Publicidade

Estado de Minas

Grupo especializado em ataques a banco troca tiros com a PM e casas são atingidas

Aproximadamente 15 homens explodiram o cofre dos Correios da cidade e de uma agência do Banco do Brasil. Com fuzis, escopetas e pistolas, os bandidos trocaram tiros com policiais militares e conseguiram fugir.


postado em 25/01/2018 14:36 / atualizado em 25/01/2018 14:44

Viaturas da PM foram atingidas pelos disparos(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Viaturas da PM foram atingidas pelos disparos (foto: Polícia Militar/Divulgação)

As organizações criminosas conhecidas como o “Novo Cangaço” voltaram a atuar no interior de Minas Gerais. Um grupo armado tirou o sono de moradores de Conceição da Aparecida, na Região Sul de Minas. Aproximadamente 15 homens explodiram o cofre dos Correios da cidade e de uma agência do Banco do Brasil. Com fuzis, escopetas e pistolas, os bandidos trocaram tiros com policiais militares e conseguiram fugir. Até mesmo um tripé acoplado nos veículos foi usado pelo bando. Casas, comércios e viaturas da Polícia Militar (PM) foram atingidos pelos disparos. Ninguém ficou ferido.


A madrugada estava tranquila na cidade de aproximadamente 10 mil moradores, quando por volta das 2h30 o silêncio foi quebrado pela ação da quadrilha. Aproximadamente 15 homens chegaram no município em duas caminhonetes, e tiveram apoio de um carro e uma moto. Eles conseguiram explodir os cofres do Correio e caixas eletrônicos do Banco do Brasil. Somente na primeira ação eles levaram dinheiro, segundo a PM.


O tenente Clemente Alves estava em apoio na cidade no policiamento. Quando faziam ronda, acabaram se encontrando com a quadrilha. “Estava tudo tranquilo e resolvemos fazer o patrulhamento. Em um cruzamento, nos deparamos com a organização criminosa que estava em duas caminhonetes. Quando nos viram, já abriram fogo na nossa direção”, conta o militar.


Cápsulas de grosso calibre foram apreendidas pela PM(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Cápsulas de grosso calibre foram apreendidas pela PM (foto: Polícia Militar/Divulgação)
O tiroteio durou aproximadamente 30 minutos. O poder de fogo da organização impressionou os militares. “Nós fizemos o recuo tático e pedimos reforço. Nos escondemos, mas eles continuaram atirando. Estavam com armas longas, fuzil, escopeta, pistolas nove milímetros e calibre 380. Até um tripé foi colocado sobre um uma caminhonete, o que nos levar a crer que usaram um fuzil longo”, afirmou.


Os tiros atingiram os muros de casas e comércios, e danificaram as viaturas da PM. Os criminosos conseguiram fugir para a zona rural de Nova Resende, cidade vizinha. “Continuamos as buscas com apoio de policiais de Alfenas e de cidades circunvizinhas. Estamos tentando, ainda, imagens de câmeras de segurança para identificar os criminosos”, explicou o tenente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade