Publicidade

Estado de Minas

Morre turista americano agredido em frente a boate em Uberlândia

Ele estava se recuperando nos Estados Unidos depois que a família pediu a transferência dele para lá. Na época do crime, duas pessoas foram presas


postado em 17/01/2018 16:34 / atualizado em 17/01/2018 16:41

O turista norte-americano Herman Mitchell, de 51 anos, que foi agredido na porta de uma boate em Uberlândia, na Região do Triângulo Mineiro, em dezembro, morreu nessa terça-feira. Ele estava se recuperando nos Estados Unidos depois que a família pediu a transferência dele para lá. Na época do crime, duas pessoas foram presas.

Herman era engenheiro e trabalhava em uma empresa que prestava serviço para a Souza Cruz. Por meio de nota, a empresa confirmou a morte e afirmou que presta solidariedade a família. “A Souza Cruz lamenta profundamente o falecimento do prestador de serviço Herman Mitchell. Desde o episódio de violência sofrido por ele, a companhia seguiu acompanhando o caso. A Souza Cruz ofereceu todo o apoio necessário ao prestador, a sua família e a Focke, empresa na qual Herman era funcionário”, disse no documento.

O turista estava internado no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) desde o dia do crime, em 8 de dezembro. No último sábado, porém, deixou a unidade de saúde à pedido da família, que queria levá-lo para outro hospital.

Câmeras de vídeo da PM de Uberlândia que monitoram ruas flagraram a agressão em frente a uma casa de shows. Nas imagens, o rapaz agride violentamente o homem, que em nenhum momento esboça qualquer reação.

Dois jovens de 23 anos foram presos, sendo o agressor e um amigo que teria incentivado o ato. Os dois iriam responder por tentativa de homicídio. Porém, com a morte da vítima, podem ser acusados de homicídio. Na época dos fatos, o delegado Vitor Dantas, responsável pelo caso, afirmou que os acusados alegaram que o motivo da briga foi um esbarrão, ocorrido quando o turista conversava com uma mulher no local.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade