Publicidade

Estado de Minas

Pato Fu e Giramundo se apresentam para famílias e vítimas da tragédia de Janaúba

Espetáculo ameniza o rastro de dor deixado pela tragédia na Creche Gente Inocente, em Janaúba. Criançada caiu na farra também na "rua de lazer"


postado em 18/12/2017 06:00 / atualizado em 18/12/2017 07:37

O Música de brinquedo 2 encantou a meninada e os adultos.
O Música de brinquedo 2 encantou a meninada e os adultos. "A arte faz bem e até cura", disse Fernanda Takai, vocalista do Pato Fu (foto: Luiz Ribeiro/EM/DA Press)
JANAÚBA – Com os olhinhos vidrados, pequenos como Yasmin Steffany Fonseca, de 6 anos, assistiram ontem ao espetáculo Música de brinquedo 2. Naquela hora, ela era só alegria e ninguém diria que a menina foi uma das vítimas da tragédia que abalou Janaúba, no Norte de Minas, e o Brasil, em 5 de outubro, quando o vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, ateou fogo à Creche Gente Inocente, se matando e provocando mais 12 óbitos: nove crianças, uma professora e duas servidoras da unidade. Mais 40 pessoas ficaram feridas. O rastro de tristeza deixado pelo fogo foi amenizado pelas presenças da banda Pato Fu e do Grupo de Teatro de Bonecos Giramundo, que fizeram o show, com acesso gratuito em praça pública, em homenagem às vítimas do centro de educação infantil.

O evento de ontem foi uma Iniciativa do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), em parceria com a Cemig e com o Serviço Social do Comércio (Sesc). Os artistas doaram seus cachês. A presidente do Servas, a primeira-dama Carolina Pimentel, também esteve no evento. Antes do show, as crianças tiveram direito a uma série de brincadeiras numa “rua de lazer” durante a tarde.

A banda Pato Fu cantou e tocou músicas e arranjos com brinquedos, instrumentos em miniatura, saxofones e monstros cantantes, tendo no repertório músicas conhecidas pelo público como Severina Xique-Xique, de Genival Lacerda, Livin la vida loca, de Ricky Martin, e Palco, de Gilberto Gil. Além de divertir com os bonecos do Giramundo, como não poderia faltar na proximidade do Natal, a criançada se encantou com presença do Papai Noel.

"Aconteceu em Janaúba um fato muito triste e arte e o teatro são veículos para o resgate da alegria e da vida. Acreditamos no potencial da arte para minimizar as dores da vida"

Marcos Malafaia, diretor do Grupo Giramundo



“Acho que esse espetáculo foi muito bom para apagar um pouco a tristeza que tomou conta da cidade desde o incêndio da creche”, afirmou Camila Samile Silva Oliveira. Ela levou para assistir ao espetáculo a filha de 1 ano e 8 meses, a pequena Lais Emanuelle, que estava na Creche Gente Inocente no dia da tragédia e sofreu uma queimadura superficial no pé esquerdo, tendo sido socorrida por uma funcionária.

A pequena Yasmin, superando os maus momentos (foto: Luiz Ribeiro/EM/DA Press)
A pequena Yasmin, superando os maus momentos (foto: Luiz Ribeiro/EM/DA Press)
“Foi uma coisa drástica”, lembra Camila, que, assustada, acabou retirando a filha do Cemei após o incêndio. Para isso, deixou o trabalho em casa de família para cuidar da menina. “Ela agora só volta a estudar na creche quando completar três anos”, afirma a mãe da garota.

Outra que assistiu ao espetáculo com olhos atentos foi a menina Yasmin Steffany Fonseca, de 6. Ela inalou fumaça tóxica durante o incêndio na creche e permaneceu internada durante 10 dias no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. “Acho que este show e as brincadeiras serviram para ajudar a Yasmin a esquecer um pouco a tragédia”, apostou a doméstica Carmelita Maria Santos Fonseca, mãe da menina. Carmelita disse que, embora tenha se recuperado, a filha ainda está muito assustada. “Ela fica o tempo todo lembrando dos coleguinhas, da professora e das outras funcionárias da creche que se foram”, revelou.

Resgate da alegria


A cantora Fernanda Takai ressaltou a sua emoção de levar alegria à cidade ainda abalada pela tragédia. “Acredito que quando se quer ajudar numa causa nada melhor do que contribuir com o seu próprio trabalho. E o a gente faz é cantar e tocar, levar alegria para as pessoas. A gente faz isso o ano inteiro, Mas, vir aqui a Janaúba, que foi focalizada no Brasil inteiro, com todo mundo pensando na situação muito triste que aconteceu, é muito simbólico. Viemos com um espetáculo que traz conforto e mais leveza para as famílias”, afirmou.

A vocalista também enalteceu o papel da arte em proporcionar a alegria. “Nada melhor do que estar aqui e mostrar para as pessoas que a arte faz bem até cura. Fiquei feliz pela oportunidade de apresentar o nosso trabalho e nossa música neste fim de ano em Janaúba. É o momento de parar de pensar nas coisas ruins que aconteceram neste ano e tentar buscar um pouco de esperança e fé no futuro”, disse Fernanda Takai.

Na mesma linha, o diretor do Grupo Giramundo, Marcos Malafaia, assinalou: “Aconteceu em Janaúba um fato muito triste e arte e o teatro são veículos para o resgate da alegria e da vida. Acreditamos no potencial da arte para minimizar as dores da vida”.

A presidente do Servas, Carolina Pimentel, lembrou que desde o dia do incêndio criminoso na creche, a entidade vem apoiando as famílias das vítimas. “Sabemos que a dor da tragédia não vai passar, mas entendemos que podemos trazer um pouco de alegria para as famílias”, afirmou a primeira-dama. Ontem, o Servas ainda entregou três toneladas de sopa produzida com o aproveitamento de alimentos do Ceasa-MG para famílias carentes de Janaúba.


Publicidade