Publicidade

Estado de Minas

Corpo de adolescente levada pela enchente é enterrado em Urucânia

O irmão e a avó da adolescente ainda não foram localizados


postado em 06/12/2017 17:06 / atualizado em 06/12/2017 17:15

Ainda estão desaparecidos o irmão da garota, identificado como Vinícius, e a avó, Eva de Jesus(foto: Arquivo pessoal/Divulgação)
Ainda estão desaparecidos o irmão da garota, identificado como Vinícius, e a avó, Eva de Jesus (foto: Arquivo pessoal/Divulgação)
Foi enterrado na manhã desta quarta-feira em Urucânia, na Região da Zona da Mata mineira, o corpo de Maria Fernanda, de 13 anos. Ela estava desaparecida depois que sua casa foi levada pela enxurrada no temporal que atingiu o distrito de Parada Paulista.

O corpo da menina foi encontrado por um morador do distrito de Urucania, a aproximadamente 200 metros de onde era a residência. “Ela começou a ser velada por volta das 18h de ontem (quarta-feira). Hoje de manhã aconteceu o enterro”, afirmou a vice-prefeita Luzia Luz.

Na casa estavam quatro pessoas: a mãe da garota, o irmão e a avó. A casa foi totalmente levada pela enxurrada. Apenas o piso foi deixado. Testemunhas contaram que Érica Juventino, mãe das crianças, ligou para uma vizinha para pedir socorro. “O Mariza vem me socorrer que estou morrendo. Sai correndo. Chamei os vizinhos, mas quando chegamos não tinha nada para fazer”, Mariza Aparecida da Silva, vizinha dela.

Os quatro foram levados pela correnteza. Érica conseguiu se salvar, segundo moradores, depois de ficar presa em uma árvore. Ela foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros. Ainda estão desaparecidos o irmão da garota, identificado como Vinícius, e a avó, Eva de Jesus.

Buscas

A procura continua sendo feita por 10 militares do Bmad. Nesta quarta-feira eles continuaram a percorrer o rio em busca dos corpos. Mas, enfrentam dificuldades. “É imprevisível. Pode estar perto ou em quilômetros de distância. A área é extensa, muito local para vasculhar. Além disso, tem as galhadas”, disse o sargento Marcelo Ramos Damasceno. Junto a ele, o cachorro Bolt, da raça Border Collie, ajuda nas buscas. O cão já foi colocado em campo na Tragédia de Mariana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade