Publicidade

Estado de Minas

Quadrilha mata PM e morador em ataque a banco em Pompéu

Criminosos invadiram a cidade fortemente armados e trocaram tiros com policiais. Um deles morreu, outro ficou ferido e há informações de que um morador também foi atingido


postado em 05/12/2017 07:50 / atualizado em 05/12/2017 16:27

(foto: Polícia Militar de Patrocínio/Divulgação)
(foto: Polícia Militar de Patrocínio/Divulgação)
Moradores de Pompéu, no Centro-Oeste de Minas Gerais, vivem uma terça-feira de pânico. Criminosos fortemente armados invadiram a cidade durante a madrugada, atacaram um banco, atiraram contra o quartel da PM e mataram um policial, um morador e feriram outro militar. A PM se manifestou e enviou nota de "imenso pesar" por conta de falecimento do militar. 

De acordo com a Polícia Militar de Bom Despacho, responsável pela região, os bandidos chegaram em cinco veículos, sendo um deles uma moto. Armados com fuzis e espingardas calibre 12, eles tentaram trancar a porta do quartel com correntes. Eles atiraram várias vezes contra o imóvel e os militares revidaram, evitando que a entrada fosse fechada. 

Logo em seguida, outros comparsas explodiram a agência do Banco de Brasil em Pompéu. Militares que chegaram ao local foram surpreendidos pelos bandidos e baleados. O cabo Osias Alves de Barros, de 33 anos, levou um tiro na cabeça e morreu no local. Outro militar da mesma patente, identificado como Lucas Reis Rosa, de 27, foi atingido por um disparo nas costas e outro na virilha. Ele foi levado para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte.

Alisson dos Reis Pinheiro, de 22 anos, funcionário de uma lanchonete, foi baleado quando saía do estabelecimento no meio do confronto. "Eu não tenho dúvidas que essa ação desses infratores foi no sentido de atirar contra o membro da sociedade para evitar que a Polícia Militar continuasse no encalço deles. Como uma estratégia de guerrilha", comentou o major Flávio Santiago, chefe da Sala de Imprensa da Polícia Militar de Minas Gerais.

 

Os bandidos ainda teriam colocado miguelitos, artefatos feitos com pregos, e correntes na rodovia de acesso à cidade para complicar a ação dos policiais.Um Palio Weekend utilizado na ação foi incendiado pelos bandidos em uma rodovia. Todas as cidades que compõem o 7º Batalhão continuarão sendo monitoradas para encontrar os criminosos. 

Ainda de acordo com o major Santiago, o comandante-geral da corporação já determinou uma grande operação na área e forças do Comando de Policiamento Especializado já estão no cerco aos bandidos. Ainda segundo o militar, o funcionário pode ter sido baleado pelos bandidos como uma estratégia para diminuir a perseguição em prol do atendimento à vítima.

Santa Margarida

A violência das quadrilhas especializadas a roubo a banco já fez outras vítimas em Minas Gerais. Em julho deste, um policial militar e um vigilante foram mortos durante um ataque a duas agências do Sicoob e do Banco do Brasil em Santa Margarida, na Zona da Mata, a 257 quilômetros da capital. A cena,  filmada por moradores,  rodou o país e assustou.  Pessoas foram feitas reféns e colocadas na traseira de uma caminhonete junto a criminosos armados.  As vítimas foram usadas como escudo na fuga. 

Em novembro, seis integrantes da organização criminosa foram condenados pela Justiça.  A soma de penas superam 230 anos para quatro deles, que tiveram participação direta nos crimes.

Foram condenados pelo juiz Bruno Miranda Camêlo, da 1ª Vara Cível, Criminal e da Infância e da Juventude da comarca de Abre Campo, Sirlande da Silva Ferreira, o “sabonete”, Josimar Pereira Rodrigues, o “salame”, Wesley Rosa Firmino, o “Ley”, e Daniel Rodrigues de Aguiar, o “cavalo”, autores do ataque. Já Ademar José Pedrosa, conhecido pelos apelidos “Seu Zé”, “Ademar Cazeu”, “Ademarzim” e “Sozé”, denunciado como chefe da organização criminosa, e Marcos Henrique Fernandes Ribeiro, o “Marquinho Curupira”, que passou informações sobre as agências atacadas, foram sentenciados com penas menores.

Confira nota de condolência da Polícia Militar

Prezados policias militares,

Com imenso pesar, comunicamos o falecimento do Cb PM Osias Alves de Barros, ocorrido esta madrugada, no município de Pompéu (7ª RPM), em decorrência da ação de marginais que adentraram a cidade para explodir caixa eletrônico.

Da ação, ocorrida por volta das 2h30, também resultou um policial militar gravemente ferido, o Cb PM Lucas Reis Rosa, pertencente àquela Fração PM, que foi baleado e se encontra internado no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte.

Ainda esta madrugada, por volta das 2h15, em ação semelhante, marginais explodiram um caixa eletrônico em Morro dos Ferros, distrito de Oliveira (área do 8º BPM), alvejando, no peito, o Cb PM Leonel Richs de Aquino. O militar foi socorrido ao hospital da cidade de Oliveira, onde permanece internado e não corre risco.

A Polícia Militar está realizando operações nas regiões onde ocorreram esses fatos e nos limites estaduais. Aeronaves e tropas do CPE (Batalhão ROTAM e BOPE) foram deslocadas para o interior do estado, com o objetivo de dar resposta forte e à altura contra esses marginais. Consternados, externamos à família do Cb Osias nossos profundos sentimentos. A Instituição prestará todo o apoio necessário para minimizar a dor neste momento de dificuldade. Também estamos oferecendo todo o suporte ao Cb Lucas e ao Cb Leonel Richs, para que se restabeleçam o mais rapidamente possível e possam retornar ao convívio familiar.

Estamos enlutados, pesarosos com os acontecimentos das últimas 24h, mas esse sentimento de tristeza deve servir para alimentar nossas forças e partirmos com “sangue no olho” contra esses criminosos. Que Deus conforte os familiares do Cb Osias. Nós, policiais militares mineiros, faremos o que for preciso para que a justiça seja feita e os responsáveis respondam pela covardia dos crimes perpetrados contra nossos irmãos de farda.

(a) Helbert Figueiró de Lourdes, Coronel PM

Comandante-Geral

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade