Publicidade

Estado de Minas

Ações de criminosos contra bancos crescem 40% em Minas

Aceleração recente ocorre mesmo depois de a Sesp lançar uma força-tarefa para evitar esse tipo de crime e criar um protocolo para padronizar as ações de combate


postado em 09/11/2017 06:00 / atualizado em 09/11/2017 07:30

Sede da empresa de valores de Uberaba destruída durante assalto no dia 6: polícia ainda procura parte dos integrantes da quadrilha(foto: Sérgio Teixeira/Polícia Militar)
Sede da empresa de valores de Uberaba destruída durante assalto no dia 6: polícia ainda procura parte dos integrantes da quadrilha (foto: Sérgio Teixeira/Polícia Militar)
O número de ataques de criminosos a agências bancárias voltou a crescer neste ano em Minas Gerais depois de dois meses de queda. Em outubro, foram 14 ocorrências, 40% a mais do que em setembro, com 10 casos, e acima de agosto, com 13 registros. Mesmo assim, a média mensal continua a mesma, 13,5 ataques, o que corresponde a 2,2 por dia. A Polícia Militar (PM) registrou 135 ataques a banco até outubro, mas, apesar da aceleração no mês passado, os números permanecem verificado em 2016, quando, somente até setembro já haviam sido registrados 189 casos. Mesmo assim, o crime ainda chama a atenção das autoridades. E a aceleração recente ocorre mesmo depois de a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) lançar uma força-tarefa para evitar esse tipo de crime e criar um protocolo para padronizar as ações de combate. Desde a publicação das medidas, foram oito crimes dessa modalidade. Somente ontem, houve três ocorrências no estado.

Em Mateus Leme, na Grande BH, o alvo foi uma agência do Santander, que fica na Avenida Getúlio Vargas, Bairro Concenza. Os bandidos atiraram contra a companhia da polícia na cidade, segundo dados da PM. Eles fugiram de carro em direção à BR-381. Não foi divulgado se os criminosos conseguiram pegar dinheiro.  Outro ataque ocorreu em Pitangui, na Região Centro-Oeste. Durante a madrugada, pelo menos dois homens tentaram explodir uma agência do Itaú e outra dos Correios. De acordo com a PM, os criminosos usavam armas longas e pistolas e estavam em um Sedan vermelho. Por volta das 4h30, tentaram explodir o banco. Em Padre Carvalho, na Região Norte, o alvo de criminosos foi a agência dos Correios. De acordo com as informações da assessoria de comunicação da 11ºRegião da Polícia Militar, responsável pelo patrulhamento na cidade, os criminosos chegaram durante a madrugada ao imóvel e tentaram, sem sucesso, explodir o terminal. Uma mochila com explosivos foi abandonada em frente ao local e uma área teve que ser isolada. Policiais militares informaram que a suspeita é de que o grupo tenha fugido para a Bahia.

ROUBO MILIONÁRIO
Um cartão e um recibo de compras encontrados por um popular em uma das ruas na zona rural de Uberaba, na Região do Triângulo Mineiro, depois do ataque à empresa de valores Rodoban foram os principais elementos que levaram a polícia até três pessoas suspeitas de participar da ação. Elas foram presas na terça-feira em Caldas Novas, em Goiás. De acordo com o delegado-chefe do 5º Departamento de Polícia Civil, Heli Andrade, o pedido de transferência do trio para Minas Gerais já foi encaminhado à Justiça. Os detalhes sobre a investigação foram repassados à imprensa durante uma entrevista coletiva concedida na manhã de ontem.

A prisão dos três integrantes da organização criminosa ocorreu depois de uma ação conjunta de diversas forças policiais do país. Ela teve início depois que uma pessoa encontrou um cartão e um recibo de compras de uma corrente de aproximadamente 20 metros e cadeados em uma loja de Araguari, também no Triângulo Mineiro. O material foi colocado em postes para evitar a chegada de policiais no dia do ataque.

“Por meio dessa compra conseguimos levantar, junto com a PM, com a polícia do Paraná e a Polícia Federal (PF), a identificação e a localização desses autores. Um deles, já tinha uma condenação de mais de 40 anos de prisão no Paraná”, explicou o delegado. As informações foram repassadas para o Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer), que conseguiu chegar até os três criminosos. Foram presos Agnaldo Francisco da Silva Pereira, vulgo Magna, Anderson Manoel de Souza, conhecido como Nativa, e Camila Pereira da Silva, mulher de Magna.

TROCA DE TIROS
As buscas por outros integrantes da quadrilha continuam. No início da tarde de ontem, policiais civis trocaram tiros com suspeitos do assalto em Conceição de Alagoas, que fica a 66 quilômetros da cidade onde aconteceu o crime. Um homem foi preso. Porém, ainda será investigado se ele participou do ataque ou foi dar apoio ao grupo.

De acordo com o delegado-chefe do 5º Departamento de Polícia Civil, Heli Andrade, os policiais foram surpreendidos por um veículo suspeito. “O tiroteio aconteceu em Conceição de Alagoas. O veículo onde os homens estavam foi atingido por tiros. Eles o abandonaram e fugiram”, comentou.

Segundo Andrade, uma grande mobilização foi feita entre policiais civis e militares. Os criminosos fugiram para o interior de São Paulo, onde voltaram a trocar tiros com a Polícia Militar paulista. No estado vizinho, roubaram dois carros e continuaram a fuga. Até o fechamento desta reportagem, nenhum criminoso tinha sido localizado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade