Publicidade

Estado de Minas

Maior operação contra a pedofilia da história cumpre 14 mandados em Minas Gerais

Operação Luz na Infância é realizada em 24 estados e já resultou em prisões. Há mandados sendo cumpridos em BH e outros oito municípios


postado em 20/10/2017 11:33 / atualizado em 20/10/2017 15:51

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)

A Polícia Civil de Minas Gerais cumpre, na manhã desta sexta-feira, 14 mandados de busca e apreensão na operação Luz na Infância, do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), maior ação de combate à pedofilia da história. A ação também é realizada em outros 23 estados, com 1,1 mil policiais. Há registro de prisões pelo país.

A ação conjunta no estado é realizada pela Polícia Civil em parceria coma a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Os mandados, segundo a corporação, são cumpridos em Belo Horizonte, Ribeirão das Neves, Guaxupé, Itabira, Boa Esperança, Sete Lagoas, Juiz de fora, Ipatinga e Uberlândia. São 74 policiais envolvidos na ação.

Os delegados Márcio Lobato Rodrigues, Joaquim Francisco Neto e Silva, Elenice Cristine Batista Ferreira, Aloísio Daniel Fagundes e Iara França Camargos, vão dar mais detalhes da ação em Minas em uma entrevista coletiva à tarde em BH.

A operação


De acordo com a Polícia Civil, os alvos da operação Luz na Infância foram identificados por meio de um levantamento feito pela Senasp e pela Embaixada dos Estados Unidos da América no Brasil - Adidância da Polícia de Imigração e Alfândega em Brasília (US Immigration and Customs Enforcement - ICE).

Polícia Civil apresentou, nesta sexta-feira, materiais apreendidos na operação em BH(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)
Polícia Civil apresentou, nesta sexta-feira, materiais apreendidos na operação em BH (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)
A partir das informações e evidências coletadas em ambientes virtuais, a Polícia Civil instaurou inquéritos policiais e representou pelas buscas e apreensões junto ao Poder Judiciário, para apreender computadores e dispositivos onde estão armazenados os conteúdos de pedofilia, indiciar e prender os criminosos. Os trabalhos levaram seis meses.
 
A Polícia Civil também destaca, por meio de nota, que “pedófilos normalmente são pessoas adultas que têm preferência sexual por crianças pré-púberes ou no início da puberdade” e que “o complexo ambiente da internet e a ausência de fronteiras no mundo virtual são elementos que propiciam terreno fértil à atuação desses criminosos”.


Publicidade