Publicidade

Estado de Minas

Escassez de água leva prefeitura a decrectar racionamento em Viçosa, na Zona da Mata

A partir do sábado, fornecimento será em sistema de rodízio por grupo de bairros. Semanalmente serão duas interrupções de 24 horas seguindo escala de dias por área


postado em 13/09/2017 18:27 / atualizado em 13/09/2017 21:58

Cidade volta a sofrer com medidas de racionamento para evitar o desabastecimento total(foto: Beto Novaes/EM/D.A.Press)
Cidade volta a sofrer com medidas de racionamento para evitar o desabastecimento total (foto: Beto Novaes/EM/D.A.Press)

A partir deste sábado, o fornecimento de água em Viçosa, na Zona da Mata, será em esquema de racionamento. Devido à estiagem, o prefeito Ângelo Chequer decretou situação anormal caracterizada como emergência na cidade. A decisão foi tomada depois de constatada a expressiva queda do volume de chuvas este ano, que até o mês passado era de 348 milímetros.

 

A média histórica de preciptação dos últimos 48 anos na cidade é de 1.240mm anuais. Em igual período de 2016, já havia chovido 681mm, quase o dobro do volume dos oito meses de 2017. Com o baixo índice de preciptação, houve redução também de água nos sistemas de abastecimento do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Viçosa (SAAE).

O decreto municipal determina restrições ao uso de água potável fornecida pelo SAAE. A autarquia fará a interrupção no fluxo de água por 48 horas semanais conforme escala definida por grupo de bairros. Vai ocorrer a interrupção em dois dias na semana não consecutivos pelo período de 24 horas, sempre a partir das 14h.

O abastecimento será suspenso nas segundas e quintas-feiras para consumidores do Condomínio Vale das Acácias, Inconfidência,  João Brás, Liberdade I e II, Recanto da Serra, Santo Antônio, Serra Verde, Violeira, Belvedere, Parte alta do bairro Sagrado Coração de Jesus, Vereda do Bosque, Parte alta do Lourdes e Bairro de Fátima, Santa Clara sentido Bairro de Fátima, Nova Viçosa e Posses.

 

Nas terças e sextas-feiras, a interrupção ocorre no Centro, Clélia Bernardes, Ramos, Conceição e Fuad Chequer. Também na parte baixa dos bairros Betânia, Lourdes, Bairro de Fátima, Bom Jesus, Estrelas e Sagrado Coração de Jesus não terá fornecimento de água.

Já nas quartas-feiras e sábados, o racionamento atinge moradores do Arduíno Bolivar (Amoras), Boa Vista, Portugueses, Sagrada Família,  Morada do Sol I e II, Monte Rei, Jardim Europa, Colônia Vaz de Melo, Nova Era, Maria Eugênia, Inácio Martins, Julia Molla, Bairro JK, Parque do Ipê, Bela Vista, Distrito Industrial, Cidade Nova, Barrinha, Bairro João Mariano, Vale do Sol, União, São José (Laranjal), Silvestre, Vaú Açu, São Sebastião, Prefeito Moacir Dias de Andrade (Floresta), Recanto das Veredas e Residencial Silvestre; e ainda a parte alta dos bairros Bom Jesus, Betânia e Estrelas e parcialmente o Santa Clara, no sentido São Sebastião.

Não há um prazo definido para o fim do racionamento, que pode ser suspenso a qualquer momento, desde que solucionado o problema da baixa vazão dos afluentes. Durante o rodízio, o SAAE garantirá o abastecimento de água potável às unidades de saúde, creches, escolas e prédios públicos.

 

A empresa, visando coibir desperdícios de água, decretou o estado de alerta na cidade, que proíbe ações como lavar calçadas ou veículos em residências, molhar vias públicas, entre outras. Denúncias podem ser feitas pelo telefone (31) 3899-5600.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade