Publicidade

Estado de Minas

Mortes de mulheres desafiam policiais na Zona da Mata de Minas

Em Divino, dona de casa foi assassinada e suspeito, o companheiro com quem morava havia nove anos e tinha uma filha, segue desaparecido. Em Cataguases, parte do corpo de uma jovem foi retirado de rio e polícia tenta identificá-la


postado em 17/08/2017 15:55 / atualizado em 17/08/2017 22:30

Corpo da dona de casa estava enrolado em um saco preto num corredor debaixo de uma escadaria(foto: Interlig@do/Muriaé/PMMG)
Corpo da dona de casa estava enrolado em um saco preto num corredor debaixo de uma escadaria (foto: Interlig@do/Muriaé/PMMG)

A Polícia Civil está apurando dois crimes bárbaros contra mulheres ocorridos na Zona da Mata. No mais recente, o suspeito é o companheiro da dona de casa Patrícia Cássia de Freitas, de 38 anos, que na noite desta quarta-feira a teria asfixiado e abandonado o corpo enrolado em plástico debaixo de uma escadaria, na cidade de Divino. O outro caso é de uma mulher de aparentes 20 anos, que foi esquartejada e teve partes do corpo jogadas em sacos plásticos no Rio Pomba, em Cataguases, a 315 quilômetros da capital.

A morte de Patrícia aponta para crime de feminicídio, praticado pelo companheiro dela, um homem de 40 anos. O casal estava junto havia nove anos e tinha uma filha. Na manhã da terça-feira a mãe da vítima conversou com ela e não percebeu qualquer anormalidade. Horas depois, seu genro deixou a filha do casal com avó materna e justificou que sua mulher tinha viajado para o Rio de Janeiro, para pegar algumas coisas.

O suspeito trabalha no Rio, onde o casal morava. Patrícia e a filha teriam se mudado para Divino para ficar perto de sua família e para fugir da violência no estado vizinho. Quando foi encontrado, o corpo estava enrolado em um saco plástico debaixo da escadaria de acesso a um imóvel no Bairro Cidade Nova, na cidade. Pessoas que passaram pelo local, na noite da quarta-feira, suspeitaram de algo e ligaram para a Polícia Militar.

Patrícia Freitas falou com sua mãe na manhã da última terça-feira(foto: Interlig@do/Muriaé/PMMG)
Patrícia Freitas falou com sua mãe na manhã da última terça-feira (foto: Interlig@do/Muriaé/PMMG)

O corpo estava em avançado estado de decomposição e a mulher tinha um pano enfiado na boca, o que levou à suspeita de que tenha sido sufocada pelo criminoso. O delegado Diego Gandiam Alves, que investiga o caso, recebeu informações sobre o paradeiro do suspeito, que até o fim da tarde desta quinta não havia sido localizado.

Mistério em Cataguases mobiliza policiais

O corpo da mulher encontrado em sacos plásticos por moradores ribeirinhos do Rio Pomba, apontam para um ato de crueldade. As partes foram colocadas em sacos plásticos e jogados no rio, tendo sido encontrados apenas o tronco e uma das pernas da vítima, na terça-feira.

Policiais estiveram no local e constataram tratar-se de uma jovem, com idade entre 20 e 25 anos, que vestia uma calça tipo legging com estampa de pele de onça, e uma blusa com uma foto também do animal. Segundo os levantamentos dos peritos, foram constatadas várias perfurações na região da barriga da mulher, que podem ter causado sua morte, ou ter sido feitas de propósito para que o corpo não boiasse.

A delegada Érica Nascimento, que atua na apuração de crimes contra mulheres, fez levantamentos em Cataguases, mas não constatou casos de mulheres desaparecidas no município. A policial passou então a checar nas cidades vizinhas, mas até o fim da tarde desta quinta-feira ainda não tinha informações que ajudassem na identificação do corpo.

 

(RG) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade