Publicidade

Estado de Minas

Casal é condenado a mais de 20 anos pela morte de conselheiro do Cruzeiro

Vítima morreu em 2011 com 13 tiros no Bairro Bonfim e, segundo as investigações, a motivação do crime foi passional


postado em 11/08/2017 10:13 / atualizado em 11/08/2017 13:04

Paulo Márcio é apontado como o executor do crime (foto: Jackson Romanelli/EM/D.A Press)
Paulo Márcio é apontado como o executor do crime (foto: Jackson Romanelli/EM/D.A Press)
 
Foram condenados a mais de 20 anos de prisão em regime fechado o casal Alessandra Severino de Moura e Paulo Márcio do Nascimento Cândido, pelo assassinato do conselheiro do Cruzeiro Antônio Pereira da Silva Filho, de 53 anos, em 2011.
 
A sentença do juiz Valter Zwicker determinou 21 anos de prisão para Alessandra e 23 para Paulo Márcio. A dupla foi condenada por homícidio qualificado. A defesa anunciou que vai recorrer da decisão e, como os condenados são réus primários, poderão responder ao processo em liberdade.
 
Ficou acordado, ainda, que a dupla deve informar e justificar suas atividades ao juiz mensalmente, além de estar proibido de deixar BH, onde mora, por mais de sete dias sem autorização judicial. A mudança de endereço também está proibida sem prévia comunicação ao judiciário. 

O conselho de sentença foi formado por quatro mulheres e três homens. O júri começou na manhã dessa quinta-feira e, dentre as testemunhas ouvidas, estava o filho de Antônio Pereira da Silva Filho. A sessão durou cerca de 26h. 

Crime

O crime aconteceu em janeiro de 2011 no Bairro Bonfim, na Região Noroeste de Belo Horizonte. Antônio Pereira, que também era presidente do Sindicato das Entidades Filantrópicas, passava pela Rua José Ildeu Gramiscelli quando foi morto dentro do carro dele, um Citroen Xsara. Testemunhas contaram a polícia que o assassino disparou 13 vezes contra a vítima. 
Antônio Pereira da Silva Filho foi baleado com 13 tiros quando estava dentro do carro dele na Rua José Ildeu Gramiscelli, no Bairro Bonfim, em 2011(foto: Reprodução/TV Alterosa)
Antônio Pereira da Silva Filho foi baleado com 13 tiros quando estava dentro do carro dele na Rua José Ildeu Gramiscelli, no Bairro Bonfim, em 2011 (foto: Reprodução/TV Alterosa)


Na época, foi levantada a suspeita de que o crime teria acontecido por causa de rixa de torcidas, mas a hipótese foi descartada ao longo das investigações. As apurações apontaram para crime passional. Segundo a polícia, Alessandra contratou Paulo para assassinar Antônio. Paulo chegou a ser preso na época, mas foi solto cerca de um mês depois.
 
*Sob supervisão do editor Benny Cohen
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade