Publicidade

Estado de Minas

Mercado Central de Belo Horizonte recebe aula inaugural de cozinha-escola

Alunos do projeto Servas inauguraram a cozinha na manhã desta quinta-feira. As aulas serão abertas ao público e divulgadas na próxima semana


postado em 10/08/2017 12:55 / atualizado em 10/08/2017 13:04

Foi feito um dos pratos mais famosos do mundo que encanta pelo sabor e pelo aroma: a paella (foto: Jair Amaral: EM/DA Press)
Foi feito um dos pratos mais famosos do mundo que encanta pelo sabor e pelo aroma: a paella (foto: Jair Amaral: EM/DA Press)
Comidas típicas, tradição e cultura. Alunos do Cozinha Inteligente, projeto do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), participaram nesta quinta-feira de uma aula inaugural da Cozinha Escola da Mineiraria no Mercado Central, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. A aula introdutória de sabores, ministrada pelo chef Edson Puiati, teve como prato principal uma deliciosa paella mineira. O intuito é expor no segundo andar de um dos mais importantes cartões postais belo-horizontinos, produtos e colocar em atividade a cozinha-escola para receber profissionais, amadores e amantes da culinária mineira.

O espaço conta com o patrocínio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e a participação do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e das secretarias de governo, do Programa +Gastronomia, do qual faz parte a Casa Mineiraria – instalada em um edifício histórico no bairro Barro Preto, área central de Belo Horizonte.

A dona de casa Guaraciaba Amori, de 62 anos, que herdou o amor pela cozinha de sua mãe, conta que aproveitou a manhã na estreia da cozinha-escola. “Eu gosto muito de cozinhar. E a aula foi ótimo, podemos colocar na prática o que já vi estudei nas receitas”, disse. Ela faz parte da turma do Servas. Desta vez, um dos pratos mais famosos do mundo que encanta pelo sabor e pelo aroma: a paella. Composta por arroz e especiarias, a fórmula tradicional foi aptada por ingredientes mineiros: linguiça, boi, porco, frango, bacon, torresmo, quiabo, couve.

“Fizemos uma paella com ingredientes encontrados no Mercado Central. Usando os temperos tradicionais, como açafrão e páprica, mas adotamos como o nosso quiabo, por exemplo. O legal é que um prato feito com várias mãos”, explicou chef de cozinha, Chef Edson Puiati, enquanto ainda misturava os ingredientes na panela.

ABERTO AO PÚBLICO Nas próximas semanas as experiencias gastronômicas serão expandidas e abertas ao público no geral. “Não é uma cozinha profissionalizante, mas amadora. Serão ministradas aulas gratuitas. Os interessados devem se inscrever presencialmente ou pelo telefone. A programação será divulgada em 10 dias”, disse o Geraldo Campos, presidente da Associação Mercado Central.

Geraldo explica que a cozinha-escola é um projeto que já acontecia há 6 anos, mas foi interrompido após o fim de uma parceria. "Terminou em maio e gostaríamos muito que voltasse a funcionar. E, agora, a parceria é com o Governo de Minas Gerais, por meio do projeto da Codemig", contou.

O colega de turma de Guaraciaba, Rogério José Lima, de 46, ficou ao lado do chef de cozinha para acompanhar cada detalhe. Ele aprovou a experiência: “A estrutura é maravilhosa, bem compacta e com grande diversificada de equipamentos”, afirmou. Ele diz que não vai só voltar, como também vai divulgar para os amigos: “Vale a pena conhecer”, recomendou. Agora, a cozinha-escola será gerida em conjunto com o Centro Universitário UNA, que ficará responsável pela curadoria gastronômica, aquisição de insumos e formação de profissionais.

Projeto

O Cozinha Inteligente foi lançado pelo Servas em 2015 pensando na transformação social por meio da gastronomia. O projeto oferece cursos de auxiliar de cozinha a pessoas de baixa renda, com foco no aproveitamento integral de alimentos e gestão adequada dos resíduos produzidos na cozinha.

 “A gastronomia também é uma forma de inclusão social e de promoção da cidadania. Por isso, idealizamos o Cozinha Inteligente para quem realmente precisa. Além do mais, a gastronomia mineira tem um valor importante para o estado. É uma fonte de geração renda”, disse Carolina Pimentel, presidente do Servas.

O Cozinha Inteligente faz parte do Gastronomia, especialmente na atuação junto às iniciativas de Gastronomia Social. O Servas integra o grupo gestor do programa do Governo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade