Publicidade

Estado de Minas

Operação prende 53 pessoas ligadas ao PCC que atuavam no Sul de Minas Gerais

Ao menos 124 ocorrências atribuídas à quadrilha foram identificadas. Os atos do bando eram comandados por integrantes que estão em presídios


postado em 08/08/2017 14:27 / atualizado em 08/08/2017 21:42

Uma grande operação foi desencadeada nesta terça-feira pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), em parceria com a Polícia Militar (PM), para desarticular uma célula do Primeiro Comando da Capital (PCC), organização com base em São Paulo, que atuava no Sul de Minas. Foram presas 53 pessoas durante a ação. Todos já foram denunciados por diversos crimes, entre tráfico de drogas, explosão de caixas eletrônicos, entre outros. Ao menos 124 ocorrências atribuídas à quadrilha foram identificadas. Os atos do bando eram comandados por integrantes que estão dentro de presídios.

As investigações começaram há 11 meses. Nesse período, outras duas operações foram desencadeadas para tentar desarticular a organização criminosa. “A partir dessas ações, começamos a apurar o tráfico de drogas no Sul de Minas Gerais. Identificamos que a cúpula da organização, de dentro dos presídios, davam ordens ao restante do grupo. Eles estão envolvidos com explosões de caixas eletrônicos, roubos, tentativa de homicídio de rivais, venda de dinamite, armas de fogo e tráfico de drogas”, explicou o promotor Igor Serrano Silva, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) da Regional Varginha.

O grupo criminoso atuava em Três Corações, Varginha, Cambuquira, Boa Esperança e Carmo da Cachoeira, principalmente no tráfico de drogas. A quadrilha buscava os entorpecentes em São Paulo, tanto no interior, quanto no litoral e na capital paulista. “Identificamos que está ocorrendo a cooptação de criminosos de Minas Gerais pelo PCC para atuar no que for lucrativo, como explosões de caixas eletrônicos, roubos, tentativa de homicídio de rivais, venda de dinamite, armas de fogo e tráfico de drogas”, afirma Igor Silva.

Com as provas colhidas durante as investigações, que começaram em julho do ano passado, o MPMG ofereceu denúncia contra os investigados pelos crimes de receptação, porte de arma, tráfico de drogas e formação de organização criminosa armada. “A Justiça acatou os pedidos. São ao menos 124 crimes já incluídos na ação penal. Ainda há outros que vão ser comprovados a partir de agora”, completou o promotor.

Na manhã desta terça-feira, a ação do MPMG e da Polícia Militar cumpriu 28 mandados de prisão e outros 20 de busca e apreensão. A operação contou com a participação de 113 policiais militares e três promotores de Justiça. Foram empenhadas 26 viaturas e uma aeronave. Dos 53 presos, 25 já estavam em presídios por terem sido detidos em outras ações do MPMG. Os detidos foram conduzidos para a Penitenciária de Três Corações.

 

(RG) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade