Publicidade

Estado de Minas

Jovem com necrose rara nos ossos faz campanha para pagar tratamento na França

A osteonecrose rara de Bianca Prescovia é uma sequela de um tratamento contra leucemia diagnosticada aos 14 anos; no Brasil, a terapia viável custará a ela o movimento dos pés


postado em 02/08/2017 17:17 / atualizado em 02/08/2017 19:03

(foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)
Uma sequela do tratamento contra um câncer no sangue (leucemia linfoblástica aguda) está pouco a pouco necrosando os ossos das principais articulações do corpo de Bianca Prescovia, de 20 anos. Uma possível solução para a osteonecrose rara, que causa dores extremas, é um tratamento com células-tronco na França, que custa quase meio milhão de reais. Para conseguir realizar o sonho de ser médica, Bianca faz campanhas nas redes sociais e uma vaquinha online para conseguir juntar o montante que precisa para se curar.

"Aos 14 anos, fui diagnosticada com leucemia. Fiz tratamento durante três anos, com quimio e radioterapia e alguns outros remédios. Há dois anos tive a notícia de que estava curada", contou Bia sobre sua primeira luta para sobreviver. "Um dos remédios que tomei durante o tratamento me causou osteonecrose de forma rara, atingindo os ombros, joelhos, quadril, tornozelos, cotovelos e punhos. Meu organismo era sensível ao medicamento, não tinha como saber. Agora, sinto muita dor", disse a jovem, que hoje anda de cadeira de rodas.

Na foto, Bianca na cadeira de rodas(foto: Arquivo Pessoal)
Na foto, Bianca na cadeira de rodas (foto: Arquivo Pessoal)
À procura de tratamentos para a ostonecrose, Bianca contou que foi a vários médicos, e que a melhor saída para a doença no Brasil seria fazer uma artrodese nos pés, que consiste em fundir os ossos para aliviar a dor. Contudo, ela perderia os movimentos da articulação. Já nas demais articulações, seriam retiradas as partes necrosadas dos osso e colocadas próteses no lugar, que precisam ser trocadas de 10 em 10 anos, porém, como a área afetada é grande ficaria inviável.

"Uma amiga com a mesma doença me chamou e falou que fez um tratamento com células-tronco na França e que foi curada. Mas ela já foi avisando que é um procedimento carríssimo", disse Bianca, quando ficou sabendo da terapia. "Como tive leucemia, o tratamento tem que ser feito em partes. Primeiro farei no quadril, depois tenho que repousar três meses. A cada sessão terei que fazer um intervalo de seis meses. Ao todo serão seis idas à França e cada uma custará R$ 80 mil, totalizando R$ 480 mil", contabilizou a jovem.

Até o momento Bianca juntou cerca de R$ 18 mil. Ela pede a ajuda de pessoas que possam doar qualquer valor, pois precisa muito aliviar suas dores e continuar os estudos para ingressar numa faculdade de medicina. "Parei de estudar por conta das dores, que tiram o meu foco. Agora só fico na cadeira de rodas. Depois que terminei meu tratamento, já me via ali no hospital. É isso que eu quero fazer, continuar no hospital , porém, do outro lado, ajudando as pessoas. ", disse a jovem.

Para ajudar Bianca Precovia com doações, basta acessar sua página no Facebook.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade