Publicidade

Estado de Minas

Bombeiros reúnem moradores para coibir incêndios no Rola-Moça

Moradores podem ajudar a identificar criminosos que colocam fogo na mata do parque


postado em 27/07/2017 16:55 / atualizado em 27/07/2017 22:10

(foto: Cristina Horta/EM/D.A/Press - 20/09/2015)
(foto: Cristina Horta/EM/D.A/Press - 20/09/2015)
Moradores de condomínios de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, se reuniram na tarde desta quinta-feira com o Corpo de Bombeiros para debater sobre os incêndios na Serra do Rola-Moça. De acordo com o major Anderson Passos, 31 incêndios foram registrados na área verde.

"Muitos funcionários dos condomínios já trabalham como brigadistas e combatem os primeiros focos. A ideia é que isso se intensifique. É muito importante a participação da população para coibir o fogo", afirma o major. Os bombeiros informaram que os incêndios na vegetação aumentam muito durante a estiagem, e que ocorrem como consequência de pontas de cigarro atiradas na beira das estradas, de queima de lixos e de fogueiras mal apagadas.

Os incêndios criminosos provocados intencionalmente por vândalos são as principais causas. “99,1% dos incêndios são causados pela ação do homem”, afirma o major Passos. Portanto, os funcionários e moradores podem ajudar a identificar essas pessoas e a impedir que cometam tais crimes.

PREVENÇÃO
Neste ano, para prevenir ou tentar diminuir a área queimada, o Corpo de Bombeiros lançou um efetivo diferenciado para o Parque Nacional da Serra do Rola-Moça. “Além dos seis bombeiros militares que habitualmente ali trabalham, foram acrescidos 30 profissionais nos finais de semana e feriados”, informou o major Passos.

Os militares andaram pelas áreas com maior concentração de pessoas e explicaram a necessidade de manter a vigilância sobre as áreas naturais, alertando para os riscos do fogo e também sobre o potencial de destruição de pequenos focos, que podem evoluir para grandes devastações. Ainda segundo os militares, com essas e outras medidas, em junho houve redução de 48% em relação à média histórica de incêndios naquele mês.

RB

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade