Publicidade

Estado de Minas

Corpo de universitária morta a facadas em BH será enterrado neste domingo

Sepultamento vai acontecer às 13h no Cemitério Parque Renascer, em Contagem, na Grande BH


postado em 30/04/2017 09:30 / atualizado em 30/04/2017 12:40

Isabella, de 21 anos, cursava economia na PUC Minas e foi atacada pelo vizinho dentro de seu prédio(foto: Reprodução/Facebook)
Isabella, de 21 anos, cursava economia na PUC Minas e foi atacada pelo vizinho dentro de seu prédio (foto: Reprodução/Facebook)
O corpo da jovem Isabella Perdigão Martins Ferreira, de 21 anos, morta a facadas por um vizinho na manhã deste sábado no Bairro Coração Eucarístico, Noroeste de Belo Horizonte, será enterrado hoje às 13h no Cemitério Parque Renascer, em Contagem, na Grande BH. Nesse momento, a jovem está sendo velada no mesmo local.

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)


Isabella, que cursava o 6º período de economia na PUC Minas, foi assassinada pelo vizinho Ezequiel Miranda da Silva, de 41 anos. De acordo com a Polícia Militar, Ezequiel teria problemas psiquiátricos e nutria uma paixão platônica pela jovem, fatores que contribuíram para o homicídio. Isabella foi atacada quando se preparava para sair do prédio, que fica na Rua Coração Eucarístico de Jesus, junto com a mãe e o irmão mais novo.

O crime brutal devastou a família e chocou moradores do Coração Eucarístico. Ezequiel mora em um prédio ao lado do imóvel da família de Isabella e disse à polícia que já tinha sido humilhado pela jovem e por seus parentes, o que, segundo a Polícia Militar, não procede. Isabella ainda foi socorrida com vida e levada para a UPA Oeste, mas não resistiu e morreu ao dar entrada na unidade. O pai dela, que também foi atacado pelo assassino, passa bem. Após acertar três facadas em Isabella e entrar em luta corporal com o pai da jovem, Ezequiel ainda subiu no apartamento da vítima e tentou colocar fogo no local, mas foi preso em flagrante pela PM.
Ezequiel Miranda foi preso pela Polícia Militar após esfaquear Isabella e seu pai no momento em que tentaa colocar fogo no apartamento(foto: Beto Novaes/EM/D.A PRESS)
Ezequiel Miranda foi preso pela Polícia Militar após esfaquear Isabella e seu pai no momento em que tentaa colocar fogo no apartamento (foto: Beto Novaes/EM/D.A PRESS)


O caso ocorreu por volta das 8h, quando a jovem ia sair com a mãe e um irmão mais novo de carro. Os três estavam no veículo, que fica estacionado em uma área bem perto da saída do prédio e que pode ser vista da rua. Ezequiel então aproveitou a situação e entrou no momento em que o portão estava aberto. Segundo o aspirante Samuel de Araújo Cabral Rocha, do 34º Batalhão, ele acertou a jovem com três facadas. “Quando o pai desceu para entregar uma chave para a família, se deparou com a situação e entrou em luta corporal com o autor da agressão. Ele também foi esfaqueado e foi socorrido junto com a filha por um taxista que passava na hora”, afirma o militar.

No momento em que o pai de Isabella conseguiu se desvencilhar do agressor e foi para o hospital com a filha, Ezequiel subiu até o apartamento, para onde a mãe da jovem tinha corrido no início das agressões junto com o filho mais novo. Segundo a PM, ele arrombou o local e, com a faca e uma réplica de arma de fogo, procurou outros membros da família para continuar as agressões, mas eles estavam trancados em um dos cômodos. Ele, então, aproveitou para colocar fogo em um sofá da casa e acabou preso em flagrante, pois os vizinhos já tinham chamado a polícia.

Quando a notícia se espalhou entre amigos e familiares de Isabella, várias pessoas foram para a porta da casa da jovem prestar solidariedade aos parentes. Uma colega de sala de Isabella disse que a jovem estava cursando o sexto período de economia na PUC Minas e ontem, inclusive, teria aula. Um motorista que fazia uma entrega em um supermercado na hora do fato disse que viu a jovem ferida saindo do prédio. “Ela estava com um ferimento do lado direito do peito e eu achei que não seria nada tão grave. Passou um taxista e a levou para o hospital”, afirma o homem, que não quis se identificar.

Prédios onde moram a família de Isabella e o autor do assassinato ficam lado a lado(foto: Jair Amaral/EM/D.A PRESS)
Prédios onde moram a família de Isabella e o autor do assassinato ficam lado a lado (foto: Jair Amaral/EM/D.A PRESS)



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade