Publicidade

Estado de Minas

Crucifixo de volta à capela em Ouro Preto

Peça de 50 centímetros de altura foi restaurada retornou ao local nas celebrações da semana santa, que é um dos pontos altos da programação religiosa e cultural da cidade


postado em 19/04/2017 06:00 / atualizado em 19/04/2017 08:02

Peça foi restaurada pela Fundação de Arte de Ouro Preto, sem custos para a prefeitura(foto: Prefeitura de Ouro Preto/Divulgação)
Peça foi restaurada pela Fundação de Arte de Ouro Preto, sem custos para a prefeitura (foto: Prefeitura de Ouro Preto/Divulgação)
Uma imagem de Cristo crucificado, do século 19, está de volta ao Casarão Rocha Lagoa, sede da Secretaria Municipal de Cultura e Patrimônio, no Centro Histórico de Ouro Preto. O restauro da peça de 50 centímetros de altura foi feito pelo especialista Sílvio Luiz Rocha Vianna de Oliveira, professor da Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop), e retornou ao local nas celebrações da semana santa, que é um dos pontos altos da programação religiosa e cultural da cidade, reconhecida como patrimônio da humanidade. O trabalho foi executado sem custo para a prefeitura.

Na tarde de ontem, o secretário municipal de Cultura e Patrimônio de Ouro Preto, Zaqueu Astoni Moreira, disse que o próximo passo será resolver um mistério: a quem pertenceu e de que forma o crucifixo chegou ao Casarão Rocha Lagoa. Para resolver a situação, ele vai levar a peça ao Museu da Inconfidência, que fica na Praça Tiradentes e é vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). “Vou ver se a equipe dessa instituição me ajuda”, afirmou.

Conforme publicou o Estado de Minas em 14 de março, a peça sacra de madeira foi encontrada dentro de uma gaveta, em meio a outros objetos, num espaço próximo à capela. Na época, Zaqueu explicou ter sido uma grande surpresa. “A gaveta estava fechada, tudo indica havia muito tempo, num local antes usado como almoxarifado. Assim que ficar pronto, vamos pôr a peça sacra no lugar de destaque que merece”. Uma missa de reentronização, acrescentou, será celebrada na capela por dom Francisco Barroso Filho, conhecido como dom Barroso e residente em Ouro Preto.

Localizada no térreo do imponente casarão Rocha Lagoa, a capela vai ganhar iluminação especial e alguns reparos para ser visitada por moradores e turistas e frequentada pelos funcionários. O secretário se orgulha do teto em policromia, do século 18, doado ao município pelo ex-prefeito Angelo Oswaldo, atual secretário estadual de Cultura.

O Casarão Rocha Lagoa fica na Rua Teixeira Amaral, ladeira de acesso às igrejas São José e São Francisco de Paula e Rodoviária de Ouro Preto. De provável construção datada do fim do século 18, o sobrado recebeu esse nome por ter sido residência, já na segunda metade do século 19, da tradicional família Amaral e Rocha Lagoa.


Publicidade