Publicidade

Estado de Minas

Campanha alerta para sintomas de hanseníase em BH

Em alusão à Semana Mundial de Luta contra a Hanseníase, a PBH preparou uma programação especial. Hoje, uma carreta com cinco consultórios atendeu a população no Centro de BH


postado em 23/01/2017 21:30 / atualizado em 23/01/2017 23:17

Uma carreta com cinco consultórios atendeu a população na Praça da Estação, no Centro de BH(foto: SES/ Divulgação )
Uma carreta com cinco consultórios atendeu a população na Praça da Estação, no Centro de BH (foto: SES/ Divulgação )
A hanseníase é uma doença com baixa incidência no Brasil, mas que ainda gera muito preconceito. Apesar da redução dos casos, ainda não se pode considerar que a doença esteja controlada. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), Belo Horizonte registrou, em 2016, 56 casos novos de hanseníase, sendo que mais de 90% desses casos foram diagnosticados na forma multibacilar ou apresentando alguma sequela.

Pensando nisso, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da SMSA, realiza ações de divulgação e conscientização sobre a hanseníase com o objetivo de alertar a população sobre os sinais e sintomas da doença. As ações também pretendem mobilizar os profissionais de saúde quanto à busca ativa de casos novos, além de divulgar a oferta de tratamento completo pelo SUS.

Semana Mundial de Luta contra a Hanseníase


A PBH preparou uma programação dos eventos que irão ocorrer, em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) e MORHAN (Movimento de Reintegração das Pessoas Acometidas pela Hanseníase) para divulgar a Semana Mundial de Luta contra a Hanseníase.

Nesta segunda-feira, entre às 8h e 17h, uma carreta com cinco consultórios atendeu a população na Praça da Estação, no Centro de BH, com o intuito de detectar a doença. As pessoas que passavam pelo local foram convidadas a participar de uma triagem por meio de exames. Caso apresentasse algum sintoma, a pessoa seria encaminhada para tratamento no centro de saúde mais próximo de casa.

O médico Luiz Alberto Bomjardim Porto, do setor de dermatologia do Hospital Eduardo de Menezes,da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) explica os sintomas iniciais da doença: "Trata-se do aparecimento de manchas mais claras pelo corpo, perda de sensibilidade na região e redução de pelos do local da mancha", diz.

"O tratamento contra a doença dura em média de 6 a 12 meses, dependendo do tipo de hanseníase. Apresentando algum desses sintomas a pessoa deve procurar a unidade básica de saúde mais próxima", afirma o especialista.

Além do mais, amanhã e quarta-feira ocorrerá uma panfletagem nos Restaurantes Populares da Rodoviária, Barreiro e Venda Nova. Ao longo de toda a semana, também haverá divulgação sobre a doença nas salas de espera dos Centros de Saúde e nas Academias da Cidade.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade