Publicidade

Estado de Minas

PF faz operação contra pornografia infantil em Minas e outros 15 estados

Ação investiga a participação de quase 70 pessoas na troca e distribuição de conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes


postado em 22/11/2016 10:10 / atualizado em 22/11/2016 17:30

A Polícia Federal (PF) cumpriu, na manhã dessa terça-feira, 70 mandados de prisão e busca e apreensão em Minas Gerais e outros 15 estados para combater uma rede de distribuição de pornografia infantil. Ao todo, onze pessoas foram presas em flagrante.

A ação faz parte da segunda fase da Operação Darknet, que teve início em 2014. Esta fase investigou a participação de 67 pessoas na troca e na distribuição de fotos e vídeos com conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes.

Segundo o delegado Fernando Casarin, as investigações tiveram como alvo produtores e consumidores de pornografia infantil, além de abusadores. A PF antecipou o cumprimento de sete ordens judiciais para evitar o possível abuso sexual de crianças nos estados do Paraná, Distrito Federal e Rio de Janeiro.

De acordo com a Polícia Federal, 300 policiais cumpriram as ordens judiciais em Minas, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Maranhão, Pará e Amazonas.

O material pornográfico era distribuído na chamada “Deep web”, uma rede formada por sites não acessíveis por links padrões e que não podem ser localizados por sites de buscas como o Google.

Em Minas Gerais, foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão em repressão à pedofilia praticada pela internet, sendo três em Belo Horizonte, dois em Betim, um em Ituiutaba e outro em Uberaba.

Foi realizada ainda, na capital mineira, uma prisão em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. Em Betim, outra pessoa foi presa em flagrante em posse de material de pornografia infantil. (Com informações da Agência Estado)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade