Publicidade

Estado de Minas

Renda de principal executivo da BHP é cortada em 50% após desastre em Mariana

A empresa informou que a redução dos valores se deve a um 'resultado muito desafiador'


postado em 23/09/2016 07:31 / atualizado em 23/09/2016 09:37

(foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press - 06/11/2015)
(foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press - 06/11/2015)

A mineradora BHP Billiton, sócia da Vale na Samarco, reduziu em 50% o pacote de benefícios de seu principal executivo, Andrew Mackenzie, na esteira do desastre causado pelo rompimento da barragem da companhia em Mariana (MG), que resultou na morte de 19 pessoas e em passivos ambientais para os rios, a fauna e a flora da região.

A australiana BHP reduziu a remuneração total a Mackenzie para US$ 2,24 milhões em 2016, queda de 50% na comparação com os US$ 4,5 milhões do ano passado. O executivo também não recebeu bônus de curto prazo neste ano fiscal. A empresa informou que a redução dos valores se deve a um "resultado muito desafiador".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade