Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende mais duas pessoas ligadas à morte de grávida em Ituiutaba

Além de um casal, investigação localizou mais um homem e uma enfermeira e ainda procura outras duas pessoas com participação no crime. Suspeita de encomendar o crime mentiu que estava grávida


postado em 23/08/2016 11:21 / atualizado em 23/08/2016 12:45

Corpo foi encontrado em uma lagoa de Ituiutaba(foto: Pontal em Foco/Divulgação)
Corpo foi encontrado em uma lagoa de Ituiutaba (foto: Pontal em Foco/Divulgação)
A Polícia Civil prendeu mais duas pessoas e ainda procura por mais duas suspeitas de matar a jovem grávida Greiciara Belo Vieira, de 19 anos, para retirar o bebê que ela estava esperando. A mulher morava em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, mas o corpo foi encontrado em uma lagoa de Ituiutaba, cidade na mesma região. Inicialmente, a investigação tinha localizado Shirley de Oliveira Benfica, de 30 anos, e Lucas Mateus Silva, de 22. A criança passa bem e está internada no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC/UFU).

Em depoimento, Shirley disse que encomendou a morte da vítima porque sofreu um aborto e precisava de um bebê para apresentar à família, mas a polícia já sabe que ela forjou essa gravidez, segundo o delegado regional de Ituiutaba, Carlos Fernandes. Apesar de ela passar essa informação para a família e para um suposto namorado, os investigadores chegaram a conclusão de que ela não tinha passado por uma gestação.

Já Lucas teria ficado encarregado de levar a grávida para Ituiutaba e disse que ela foi dopada com medicamentos. Além dos dois, a Polícia Civil também prendeu em flagrante Jhonatan Martins Ribeiro de Lima, de 24, e a enfermeira Jacira Santos de Oliveira, de 60 anos. Os outros dois foragidos já estão qualificados, mas seguem foragidos. Três delegados da corporação convocaram a imprensa para uma entrevista na tarde desta terça-feira em Uberlândia, onde darão mais detalhes do caso.

Greiciara tinha desaparecido na última sexta-feira em Uberlândia, onde morava com a família. Segundo a perícia, a vítima foi estrangulada com uma roupa de bebê e sofreu um corte profundo na barriga, por onde a criança foi retirada. Na tarde de ontem, a delegada de Ituiutaba, Roberta Borges, seguiu com sua equipe para Uberlândia, onde os suspeitos foram presos.

De acordo com o delegado Carlos Fernandes, a jovem desapareceu após uma pessoa a chamar para entregar um presente para o bebê. Depois disso, ela não foi mais vista. Durante as investigações, a Polícia Civil descobriu que Greiciara, morta de maneira brutal, tinha histórico policial por ameaça, envolvimento com drogas e furto.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade