Publicidade

Estado de Minas

Comitiva da ONU visita Mariana neste sábado

Representantes das Nações Unidas querem ver de perto como está a situação dos atingidos pelo rompimento da Barragem do Fundão e saber como está o relacionamento com a Samarco e o Governo Federal


postado em 11/12/2015 19:23 / atualizado em 11/12/2015 20:05

Ver galeria . 66 Fotos Imagens exclusivas do Estado de Minas mostram os efeitos provocados pela enxurrada de lama que invadiu Bento Rodrigues no início de novembro. Pouco mais de uma semana depois da tragédia, o lugar se tornou uma 'cidade fantasma'. Detalhes registrados pela equipe do EM mostram que onde antes existiam casas, escola e comércio, restam apenas os escombros cobertos pelo barroRodrigo Clemente/EM/D.A.Press
Imagens exclusivas do Estado de Minas mostram os efeitos provocados pela enxurrada de lama que invadiu Bento Rodrigues no início de novembro. Pouco mais de uma semana depois da tragédia, o lugar se tornou uma 'cidade fantasma'. Detalhes registrados pela equipe do EM mostram que onde antes existiam casas, escola e comércio, restam apenas os escombros cobertos pelo barro (foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A.Press )

Uma comitiva da Organização das Nações Unidas (ONU) irá a Mariana, na região Central de Minas, neste sábado, para ouvir os atingidos pelo rompimento da Barragem do Fundão em 5 de novembro.

O objetivo é conhecer in loco o impacto causado na vida das pessoas, saber como está o relacionamento com a Samarco e o Governo Federal e ver em que pontos a organização pode interceder junto ao governo na tentativa de colaborar com essas pessoas. A informação é do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), que acompanha o trabalho da comitiva, participando de todos os eventos abertos à sociedade civil.

A comitiva da ONU está no Brasil desde o último dia 7 e permanece até a próxima quarta-feira, 16, passando pelas cidades de Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Mariana, Altamira e Belém. A ONU quer examinar os impactos negativos de atividades empresariais sobre os direitos humanos.

Amanhã, a programação começa na capital mineira, com visita à Casa de Direitos Humanos, às 8h30, e à Defensoria Pública, às 10h. Em seguida a previsão é seguir para Mariana, onde às 14h será realizada reunião com a participação de moradores atingidos pela tragédia, Ministério Público, MAB e outras organizações.

Ao fim da visita ao Brasil, será elaborado um relatório a ser entregue ao Governo Federal.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade