Publicidade

Estado de Minas

Lama chega ao centro de Colatina e equipe de bombeiros tem reforços

Bombeiros vão ajudar na distribuição de água mineral para os moradores


postado em 19/11/2015 11:33 / atualizado em 19/11/2015 12:07

Governo do Espírito Santo divulgou foto do Rio Doce cheio de lama no centro de Colatina, na manhã desta quinta(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Governo do Espírito Santo divulgou foto do Rio Doce cheio de lama no centro de Colatina, na manhã desta quinta (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

A lama de rejeitos da mineração, resultado do rompimento da barragem da Samarco em Mariana, Região Central de Minas, em 5 de novembro, atingiu o trecho do Rio Doce que passa pelo centro de Colatina (ES) na manhã desta quinta-feira.

Os rejeitos atingiram Colatina, suspendendo a captação de água do rio. Prefeitura, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Exército instalaram pontos de distribuição de água na cidade. Nesta manhã, o Corpo de Bombeiros informou que mais 20 militares foram enviados ao local para apoiar as ações de distribuição do recurso.

“O objetivo é fazer a distribuição complementar com as doações recebidas da população em vários pontos de arrecadação no estado e reforçar a atividade que já está sendo realizada pelo 38º Batalhão de Infantaria, encarregado de distribuir água potável dos carros-pipa nos 51 reservatórios instalados na cidade. A distribuição foi iniciada logo após a interrupção da captação”, explica a corporação.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros do Espírito Santo, o quartel do Comando Geral já recebeu 37 mil litros de água doados, que vão se somar às aquisições feitas pela Samarco. Baixo Guandu, também no Espírito Santo, armazena outros 51 mil litros para distribuição às comunidades distantes que não podem ser abastecidas pela rede.

A previsão é de que a lama chegue a Linhares, na foz do Rio Doce, no fim de semana. A Justiça Federal do Espírito Santo deu prazo de 24 horas para que a Samarco impeça que a lama seja contida antes de atingir o litoral capixaba. Caso não cumpra a determinação judicial, a empresa pagará multa diária de R$ 10 milhões.

Com agências

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade