Publicidade

Estado de Minas

Multa imposta à Samarco corresponde a 9% do lucro da mineradora


postado em 12/11/2015 20:10 / atualizado em 12/11/2015 20:30


Se não tivesse as atividades embargadas desde a última semana depois do maior desastre ambiental da história de Minas, bastariam 32 dias para a Samarco lucrar o equivalente à multa preliminar aplicada pelo Ibama à mineradora. Responsável pelo rompimento nas próprias barragens, que deixou centenas de moradores desabrigados em Bento Rodrigues, no município de Mariana, a empresa terá de pagar R$ 250 milhões, como afirmou nesta quinta-feira a presidente da República, Dilma Rousseff, após sobrevoar a região devastada.

A multa corresponde a 9% do lucro líquido obtido pela Samarco, R$ 2,8 bilhões, no ano passado, segundo informações do Valor Econômico. A mineradora registrou receita líquida de R$ 7,5 bilhões em 2014 antes da dedução de juros, impostos, depreciação e amortização.

A multa à mineradora, segundo a presidente, será por poluição dos rios, tornar área imprópria à ocupação humana, interrupção no fornecimento de água a cidades, lançamento de resíduos em rios e lançamento de efluentes danosos a biodiversidade. Após anunciar a multa preliminar para a mineradora Samarco, aplicada pelo Ibama, Dilma afirmou que a empresa ainda pode ser contemplada com vários tipos de multa, o que pode elevar esse valor.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade