Publicidade

Estado de Minas

Restaurada, imagem de Nossa Senhora da Piedade volta ao Santuário de Caeté

Imagem de Nossa Senhora da Piedade, atribuída a Aleijadinho, está pronta para retornar à ermida no santuário de Caeté após restauração. Jubileu atrai milhares de fiéis à serra


postado em 08/09/2014 06:00 / atualizado em 08/09/2014 07:32

Equipe fez limpeza completa na peça de madeira, removeu o verniz e manchas roxas da face(foto: Carla Castro Silva/Divulgação)
Equipe fez limpeza completa na peça de madeira, removeu o verniz e manchas roxas da face (foto: Carla Castro Silva/Divulgação)


A padroeira de Minas voltará à ermida da Serra da Piedade, em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Fora do altar desde 31 de março para restauração, a obra atribuída a Antonio Francisco Lisboa (1738-1814), o Aleijadinho, cujo bicentenário de morte é lembrado este ano, será reentronizada na semana que vem, encontrando o interior da capela-mor já pintado. O Santuário Nossa Senhora da Piedade – Padroeira do Estado de Minas Gerais vem sendo alvo de intensa visitação, com caravanas de fiéis todos os fins de semana, devido às atividades do tradicional jubileu (ver programação) com término em 12 de outubro. Em 2017, a festa será maior, pois o maciço vai comemorar 250 anos de peregrinações dos devotos.


A especialista Carla Castro Silva, encarregada do serviço, explicou ontem que a imagem está pronta para ser retirada do ateliê montado no santuário para garantir mais segurança. “Foram removidos o verniz da escultura, aplicado numa intervenção feita em 1998, e manchas roxas da face”, informou. Além disso, a equipe do Ateliê de Restauro executou a limpeza completa da peça de madeira policromada e vai fazer o mesmo no altar da Pietá das Gerais. Nossa Senhora com o filho morto nos braços vem recebendo, nos últimos 17 anos, a luz solar que passa através de um óculo e, por determinação dos órgãos de patrimônio, essa abertura na parte superior da capela será fechada, evitando-se, assim, novos danos à relíquia barroca.

Conforme documentou o Estado de Minas, a retirada da imagem consistiu numa operação cuidadosa, com acompanhamento de profissionais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha), instituições responsáveis pelo tombamento desse patrimônio cultural, espiritual, paisagístico e natural.


O trabalho demandou montagem de dois andaimes – um ligado ao camarim, onde a escultura se encontra há mais de 200 anos, e outro mais baixo, perto do altar. Quatro funcionários do santuário seguraram a peça de 1,25 metro de altura por 1 metro de largura e cerca de 100kg e a puseram na primeira estrutura. Na sequência, a relíquia foi colocada sobre o andor, que estava a postos no segundo andaime, e seguiu para a Casa dos Peregrinos. Como a ermida está em obras e fechada para os cultos, brasileiros e estrangeiros só poderão ver o resultado no mês que vem, depois do dia 12.

Especialistas do Iphan, Iepha e a restauradora Carla Castro Silva avaliaram as condições da peça em março(foto: Jair Amaral/EM/DA Press 1/4/2014)
Especialistas do Iphan, Iepha e a restauradora Carla Castro Silva avaliaram as condições da peça em março (foto: Jair Amaral/EM/DA Press 1/4/2014)


ERMIDA A obra de recuperação da capela do século 18 e entorno, iniciada em 10 de fevereiro e com previsão de término no mês que vem, é fruto da parceria da Arquidiocese de BH, que tem à frente o arcebispo metropolitano dom Walmor Oliveira de Azevedo e o governo estadual. Até o fim do serviço de restauro, o local fica fechado à visitação e as missas foram transferidas para a Cripta de São José (de segunda a sexta-feira, às 15h) e Igreja Nova das Romarias (sábados, às 11h e 16h; domingos, às 9h, 11h, 14h e 16h; e feriados, às 11h e 15h).


Em mais de 250 anos – a imagem data de 1763 –, foi a terceira vez que Nossa Senhora da Piedade deixou o seu altar. Para restauração, será a segunda, já que na década de 1980 chegou à capital para o trabalho no ateliê do Iepha, época em que o órgão estadual fez a primeira obra relevante de recuperação da ermida. No ano passado, houve cerca de 200 mil visitas registradas ao conjunto arquitetônico e alto da serra.

PROGRAMAÇÃO


Dia 14 – Festa de Nossa Senhora da Piedade

9h – Missa na Igreja Nova das Romarias
10h30 – Acolhida, animação e catequese na Igreja Nova das Romarias
11h – Missa na Igreja Nova das Romarias, seguida de procissão com o Manto de Nossa Senhora acolhendo todos os peregrinos até o Calvário.
Recitação do Angelus
14h e 16h – Missa na Igreja
Nova das Romarias

Dia 15 – Consagrado a Nossa Senhora da Piedade

12h – Recitação do Angelus
14h – Catequese e espiritualidade
15h – Missa na Cripta São José
17h – Terço

Dia 20 – Peregrinação do Seminário Arquidiocesano Coração Eucarístico de Jesus

11h e 16h – Missa na Igreja
Nova das Romarias

Dia 21 – Congresso Arquidiocesano de Catequese e Peregrinação do Apostolado da Oração Arquidiocesano
9h – Missa na Igreja Nova das Romarias
10h30 – Acolhida, animação e catequese na Igreja Nova das Romarias
11h – Missa na Igreja Nova das Romarias. Procissão com as imagens do Sagrado Coração de Jesus, Sagrado Coração de Maria e com o Manto de Nossa Senhora acolhendo todos os peregrinos
até o Calvário. Animação na
Praça Cardeal Mota
14h e 16h – Missa na Igreja Nova
das Romarias

12 de outubro – Solenidade de Nossa Senhora da Conceição Aparecida – Em comunhão com o Santuário Nacional de Aparecida (SP), será encerrado o Jubileu de Nossa Senhora da Piedade

9h, 11h, 14 e 16h – Missa na Igreja Nova das Romarias. Após a Missa das 11h, procissão com imagem de Nossa Senhora Aparecida até a Praça Cardeal Mota com recitação do Angelus e momento de animação. Após a Missa das 16h, Canto do Te Deum


Publicidade