Publicidade

Estado de Minas

Morre menina que se afogou em piscina de clube no Bairro Jaraguá

A criança brincava em toboágua quando escorregou e teve o cabelo sugado pelo ralo


postado em 04/01/2014 09:02 / atualizado em 04/01/2014 12:55

Depois do acidente, a piscina em que Mariana se afogou foi interditada, mas o clube funciona normalmente(foto: Daniel Camargos/EM/D.A.Press)
Depois do acidente, a piscina em que Mariana se afogou foi interditada, mas o clube funciona normalmente (foto: Daniel Camargos/EM/D.A.Press)


Morreu no fim da madrugada deste sábado a menina de 8 anos que se afogou depois de ser sugada pelo ralo de uma piscina no Jaraguá Country Club, na Região da Pampulha na tarde de sexta-feira. Mariana Rabelo Oliveira chegou a ser socorrida depois de permanecer cerca de 18 minutos submersa. Ela foi levada pelo Samu para o Hospital Odilon Behrens, e permaneceu internada por cerca de 12 horas no Centro de Terapia Intensiva (CTI) da unidade.

Segundo testemunhas, a criança brincava no toboágua do clube durante a tarde, quando escorregou e seu cabelo foi sugado pelo ralo da piscina. A Polícia Civil vai investigar as circunstâncias do afogamento. Para o empresário Sérgio Luiz Oliveira, de 55, tio de Mariana, houve falha no sistema de proteção no local. “A culpa é exclusivamente do clube”, declarou, logo depois de receber a notícia da morte da menina. “Minha sobrinha sabe nadar, só que foi sugada por uma tubulação na piscina”, disse. Os responsáveis pelo Jaraguá Club foram procurados, mas ainda não se manifestaram.

A morte de Mariana ocorre no mesmo dia do falecimento de Kauã Davi de Jesus Santos, de 7 anos, que também ficou preso no ralo de uma piscina em um hotel da cidade de Caldas Novas, em Goiás. Ele estava internado há três dias.

Afogamentos em Minas


Desde 31 de dezembro, pelo menos 13 pessoas morreram afogadas em Minas, segundo informações do Corpo de Bombeiros. Uma das vítimas é o garoto Guilherme Souza Cabral da Silva, de 9 anos, que se afogou no Ribeirão da Mata, em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Testemunhas informaram aos bombeiros que o pai do menino estava pescando no local enquanto ele nadava.

Durante a brincadeira, Guilherme acabou sendo arrastado pelas águas e desaparecendo. O pai do garoto e outros familiares tentaram resgatar a vítima, mas não conseguiram alcançá-lo. O menino foi resgatado e foram realizadas manobras de ressuscitação, mas sem êxito. Um médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) constatou o óbito.

Em Cana Verde, na Região Sul de Minas Gerais, um homem de 30 anos se afogou na represa de Furnas. Militares do Corpo de Bombeiros de Lavras conseguiram resgatar o corpo da vítima, que ainda não foi identificada, na tarde desta sexta-feira.

Com informações de João Henrique do Vale


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade