Publicidade

Estado de Minas

Avião cai em Juiz de Fora e mata presidente da Vilma Alimentos e mais sete pessoas

Domingos Costa, presidente da empresa, e Cezar Tavares, vice-presidente de vendas e marketing, morreram no acidente com a aeronave King Air B200


postado em 28/07/2012 10:08 / atualizado em 29/07/2012 18:05

Destroços do avião que caiu em uma granja próxima ao Aeroporto de Serrinha(foto: Fernando Priamo/Tribuna de Minas)
Destroços do avião que caiu em uma granja próxima ao Aeroporto de Serrinha (foto: Fernando Priamo/Tribuna de Minas)

Oito pessoas morreram depois da queda de um avião em Juiz de Fora, na Zona da Mata, na manhã deste sábado. Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave modelo King Air B200, prefixo PR-DOC, com capacidade para transportar dez passageiros, bateu no quiosque da Pousada Aconchego de Minas, atingiu algumas árvores, caiu na área de mata fechada de uma granja, que fica próxima ao Aeroporto da Serrinha, e explodiu. Após a explosão, houve um princípio de incêndio, que foi controlado pelos bombeiros.

Entre as vítimas estão o presidente da Vilma Alimentos e conselheiro do Cruzeiro, Domingos Costa, de 58 anos e o vice-presidente de Vendas e Marketing da empresa, Cezar Tavares, de 55 anos. Na tarde deste sábado, a Vilma divulgou nota lamentando o acidente e agradeceu as manifestações de condolências e solidariedade.

A empresa informou que os executivos e funcionários iam para Juiz de Fora para uma Convenção de Vendas da empresa. Além do presidente da Vilma, Domingos Costa e do vice-presidente Cezar Roberto de Pinho Tavares, estavam presentes no avião da empresa, um bimotor, modelo King Air, Gabriel Barreira Costa, de 14 anos, filho de Domingos Costa, a gerente de Controladoria, Lídia Colares de Souza Lima, 31 anos, que segundo informações de familiares estava grávida de dois meses, a gerente de Recursos Humanos, Adriana da Conceição Rocha Ezequiel Vilela, 47 anos, o analista de Geomarketing, Tiago Felipe Cardoso Bretas, 26 anos, o piloto Jair Barbosa, 62 anos, e o co-piloto, Rodrigo Henrique Dias da Silva, 35 anos.
(foto: Soraia Piva)
(foto: Soraia Piva)

Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) em Juiz de Fora e devem ser liberados ainda na noite deste sábado. Informações repassadas por familiares dão conta de que os corpos seguirão para Belo Horizonte e o presidente da Vilma Domingos Costa e seu filho Gabriel Barreira Costa, 14 anos, serão cremados neste domingo no Cemitário Parque Renascer, na capital.

Segundo o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), órgão vinculado à Aeronáutica, a aeronave decolou de BH às 7h10, com oito pessoas a bordo e previsão de pouso para às 08h10. A assessoria de imprensa da Anac (Agência Nacional de Avião Civil) informou que a documentação do avião está regular.

Uma equipe do Seripa III (Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), com base no Rio de Janeiro, também trabalharam no local do acidente durante todo o dia. O coronel Paulo Santos disse que o bimotor estava com toda a documentação regularizada junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

VEJA FOTOS DO ACIDENTE [ATENÇÃO: IMAGENS FORTES]


De acordo com o capitão da Polícia Militar de Minas Gerais, Rubens Valério, o bimotor estava em procedimento de pouso quando deve ter apresentado uma falha e caiu. Testemunhas afirmam que a aeronave sobrevoava a região há algum tempo. Mais cedo, a assessoria de imprensa da Anac (Agência Nacional de Avião Civil) havia informado que a documentação do avião estava regular.

O bimotor, que pertence à empresa Vilma Alimentos, decolou do Aeroporto da Pampulha, por volta das 7h deste sábado. A Infraero da Pampulha afirmou que por se tratar de um voo privado não teve acesso aos detalhes da viagem.

A ocorrência da queda do avião foi registrada pelos bombeiros por volta das 8h11. Cerca de 20 agentes e seis viaturas dos bombeiros foram ao local para resgatar as vítimas. De acordo com os bombeiros, os corpos foram encontrados mutilados e carbonizados. As causas do acidente só poderão ser identificadas após perícia da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). (Com Agência Estado)

Domingos Costa era presidente da Vilma Alimentos e conselheiro do Cruzeiro(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Domingos Costa era presidente da Vilma Alimentos e conselheiro do Cruzeiro (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Histórico de acidentes em julho

O acidente deste sábado é pelo menos o quarto com mortes envolvendo aviões que decolaram ou sobrevoavam Minas Gerais neste mês. No último dia 12, uma aeronave de pequeno porte que saiu do Aeroporto Carlos Drummond de Andrade, na Pampulha, caiu na Ilha de Cataguases, em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. Três pessoas morreram no acidente, entre elas o empresário mineiro Clemente Faria, diretor administrativo do Grupo Minasmáquinas.

Já no dia 06, uma pessoa morreu e outras duas ficaram feridas na queda de um avião de pequeno porte em Espinosa, na Região Norte de Minas Gerais. O acidente ocorreu próximo ao povoado de Tanque das Pedras, a 60 km da cidade.

No dia 02, um monomotor caiu em uma fazenda de Prata, no Triângulo Mineiro. Duas pessoas morreram no acidente. O avião, prefixo PTR-SMH, desapareceu dos radares por volta das 21h e foi encontrado na manhã do dia seguinte. No avião foram encontrados 250 kg de pasta base de cocaína, um fuzil 556 de origem norte-americana, um carregador de pistola e munição.

Avião em pouso no Rio Grande do Sul(foto: Reprodução da internet/http://aeroportodecanela.blogspot.com.br/)
Avião em pouso no Rio Grande do Sul (foto: Reprodução da internet/http://aeroportodecanela.blogspot.com.br/)
Susto em 2010

Em post publicado em maio de 2010 no site do Aeroporto de Canela, no Rio Grande do Sul, é relatada a dificuldade do mesmo avião, identificado pelo portal como propriedade da empresa Vilma Alimentos, em realizar um pouso. Segundo o texto, a aeronave, que aparece na foto ao lado, conseguiu fazer a aterrissagem apenas na segunda tentativa de aproximação por causa dos fortes ventos.

* Com Ludmila Fam, da TV Alterosa 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade