Publicidade

Estado de Minas

Estado de Minas flagra viaturas descumprindo regras de trânsito

Nessa quarta-feira, pelo menos 13 carros foram vistos estacionados de forma irregular em Belo Horizonte


postado em 10/05/2012 06:00 / atualizado em 13/03/2020 10:01

Carros oficiais param em local proibido na Avenida Amazonas esquina com Rua Tupinambás, no Centro(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Carros oficiais param em local proibido na Avenida Amazonas esquina com Rua Tupinambás, no Centro (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)

O Estado de Minas flagrou nessa quarta-feira (4) várias ocorrências de desrespeito às leis de trânsito e em poucos minutos constatou pelo menos 13 viaturas estacionadas de forma irregular.

 

Apesar de elas terem privilégios em determinados locais e circunstâncias, o especialista em trânsito e o chefe do Departamento de Engenharia de Transportes da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Nilson Tadeu, afirma que há muitos abusos. “Isso é uma cultura nacional que, no caso de estacionamentos, se agrava nas grandes cidades devido ao déficit de vagas. O servidor público tem de dar exemplo, mas se aproveita da autoridade que tem para cometer infrações”, disse.

Exemplo clássico de irregularidade foi observada na manhã de ontem em frente à 21ª Delegacia da Polícia Civil, na Avenida Afonso Pena, 950. A placa permite estacionamento para viaturas, mas não descreve a posição de 45 graus em relação à calçada, usada pelos condutores para estacionar nove carros. Alguns veículos estavam descaracterizados, mas tinham um aviso no painel indicando se tratar de viatura. As vagas comportam, sem prejuízos, apenas veículos rentes à calçada, mas para os carros pudessem ficar nos espaços as rodas da frente estavam sobre a calçada e em alguns casos a parte traseira ultrapassava o limite da vaga e atingia a faixa de trânsito. Quando questionado sobre a forma de estacionamento, um policial militar alegou: “Aqui é uma área de segurança e as vagas são adequadas de acordo com a demanda.”

Viaturas e carros particulares avançam sobre a calçada em porta de delegacia na Afonso Pena(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Viaturas e carros particulares avançam sobre a calçada em porta de delegacia na Afonso Pena (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
A situação segundo Nilson Tadeu é irregular. “Há dois erros nesse caso. O Código de Posturas proíbe estacionamento no passeio, enquanto o Código de Trânsito determina egras de estacionamento que foram descumpridas”, diz. Segundo ele, o problema é que se há demanda maior por vagas, isso deve ser negociado com a BHTrans, para que haja adequação do estacionamento. “O problema é que algumas entidades da segurança têm mania de reservar o espaço e isso é um erro, caso a situação não seja de urgência. O espaço é público.”
 

Abusos


O professor afirma ser irregular a situação de duas viaturas da Polícia Civil estacionadas em frente ao número 256 da Avenida Amazonas, entre Rua Espírito Santo e Praça Sete, no Centro. A viatura Fiat Uno de placa HMH 3481 e o Doblô HNH 0374, da corregedoria do órgão, estavam parados pouco depois da placa que indicava início do estacionamento proibido. “Se não pode estacionar, não pode para todos”, disse Nilson Tadeu. A poucos metros, já na esquina da Praça Sete, o Siena HAQ 0159 estava parado depois da placa indicativa de término do estacionamento para veículos oficiais. O carro, descaracterizado, tinha um aviso no interior com o dizer: “viatura policial”. “É parada que também desobedece as leis de trânsito”, disse o especialista.

E até mesmo na hora de se explicar, o funcionário público se confunde. Questionado sobre o estacionamento no passeio, o sargento Paulo Pinheiro, da 6ª Companhia do 1º BPM, disse que estava errado, mas que optou por parar na calçada da Avenida Amazonas por causa da falta de vagas. “Aqui não é o local adequado e a viatura pode ser multada, mas somos uma base comunitária que precisa estar perto da população. Preferi parar aqui, respeitando as passagens de pedestres”, afirmou. O policial estacionou sobre o piso podotátil que orienta deficientes visuais. De acordo com o especialista, o Código de Trânsito Brasileiro prevê a livre circulação para veículos oficiais apenas em situações de urgência ou devidamente sinalizados.

A Polícia Civil não se manifestou sobre o assunto.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade