Publicidade

Estado de Minas

Fazenda que pertenceu ao inconfidente Alvarenga Peixoto será restaurada

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) assinou um Termo de Compromisso com a Ferrous Resources do Brasil e com o Município de Conselheiro Lafaiete para recuperação e destinação cultural do local


postado em 30/01/2012 17:01 / atualizado em 30/01/2012 17:59

(foto: Jackson Romanelli/EM/D.A.Press)
(foto: Jackson Romanelli/EM/D.A.Press)
 

A Fazenda Paraopeba que foi propriedade do inconfidente mineiro Inácio José de Alvarenga Peixoto será restaurada. O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) assinou um Termo de Compromisso com a Ferrous Resources do Brasil e com o Município de Conselheiro Lafaiete para recuperação e destinação cultural do local, que foi construído no século XVII.

O Município de Conselheiro Lafaiete irá executar a desapropriação do imóvel que engloba a sede da Fazenda Paraopeba e seu entorno, para fins de pesquisa, recuperação e preservação do meio ambiente e do patrimônio cultural. Para isso, a edificação receberá toda estrutura física necessária para o funcionamento de um centro de informações sobre a Estrada Real e a Inconfidência Mineira.

Já a Ferrous irá arcar com o valor necessário para fazer a desapropriação e irá executar as medidas emergenciais necessárias para evitar o perecimento do imóvel. A mineradora comprometeu-se ainda a elaborar e executar projeto de restauração do conjunto arquitetônico e o plano de manejo e gestão da área.

O projeto de restauração da sede da Fazenda deverá ser aprovado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha) e, posteriormente, apresentado ao Conselho Deliberativo Municipal de Patrimônio Histórico e Cultural de Conselheiro Lafaiete, para análise e eventual ratificação.

Após a conclusão dessa etapa, a Prefeitura de Conselheiro Lafaiete irá instituir na área uma Unidade de Conservação de Proteção Integral e viabilizar parcerias com órgãos públicos ou privados de pesquisa e preservação, previamente aprovados pelo MPMG, objetivando a adequada gestão e funcionamento do centro.

Com informações do MPMG


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade