Publicidade

Estado de Minas

Governo promete demitir professores contratados que mantêm greve

Secretaria de Estado da Educação vai publicar resolução que prevê punição aos educadores designados que se recusam a voltar ao trabalho


postado em 20/09/2011 20:16 / atualizado em 21/09/2011 00:40

Os cerca de 350 professores designados na rede estadual e que ainda permanecem em greve receberão um ultimato do governo para retomarem aos trabalhos até sexta-feira. De acordo com a Secretaria de Estado de Educação (SEE), será publicada nesta quarta-feira uma resolução que determinará aos educadores contratados a retomarem as atividades em 48 horas sob pena de rescisão do contrato. Sobre os professores concursados, o governo estadual estuda medidas punitivas para obrigá-los a voltar ao trabalho.

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE) recebeu a informação da medida com surpresa. Segundo a entidade, a decisão do governo é absurda e arbitrária e fere a constituição que garante o direito de greve. Após publicada a resolução, o sindicato deverá analisar medidas para barrar a punição.

A greve foi declarada ilegal e abusiva pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que determinou o retorno imediato das aulas no estado. No entando, em nova assembleia realizada nesta terça-feira, a categoria decidiu manter o movimento grevista, mesmo sob pena de multa que deverá ser aplicada ao Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG).

Um balanço divulgado pela SEE nessa segunda-feira, 11.357 profissionais da educação permaneciam fora das salas de aula. Quando o TJMG declarou a ilegalidade do movimento, havia, segundo a SEE, 12.770 educadores paralisados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade