Publicidade

Estado de Minas

BH terá táxi especial mais confortável e com mesmo preço dos carros comuns

Foram publicadas no Diário Oficial novas regras para serviço do táxi em BH. Os carros para o serviço especial serão maiores e mais confortáveis. A novidade para os passageiros é a manutenção da tarifa dos carros comuns nesse novos modelos especiais


postado em 22/08/2011 10:56 / atualizado em 22/08/2011 13:25

Belo Horizonte agora terá serviço de táxi especial que seguirá novas regras estabelecidas pela BHTrans e divulgadas nesta segunda-feira no Diário Oficial do Município (DOM). Os passageiros terão um serviço mais confortável pelo mesmo preços dos táxis comuns. De olho no atendimento aos turistas na Copa de 2014, o táxi especial pretende melhorar a qualidade do atendimento aos clientes. O novo modelo de transporte será feito por carros pretos, tipo sedan, e com fabricação de no máximo três anos. Os veículos terão vidro elétrico nas quatro portas, porta-malas com capacidade mínima de 400 litros, ar condicionado, impecável estado de conservação e higiene, rádio AM/FM e CD player, com blue tooth e entrada para USB.

Além dos itens de conforto, o carro também contará com equipamentos de segurança como air-bag duplo e freio ABS. Para prestação do novo serviço, serão licenciados somente permissionários que integrem regulamente o Serviço Público de Transporte por Táxi.

O diretor-presidente da BHTRANS, Ramon Victor Cesar, e o prefeito Marcio Lacerda (PSB) anunciaram o novo modelo de táxi na abertura da VI Feira Táxi de Belo Horizonte, na sede do Sincavir, Bairro Ipiranga, Região Nordeste da capital. Além das novidades em relação ao serviço especial, a BHTrans também anunciou a inclusão de veículos envelopados na prestação de serviço de transporte. Qualquer carro de cor cinza, prata e preta poderá operar no Serviço Público de Transporte por Táxi de BH, desde que esteja envelopado em branco, podendo, no caso de operação como Táxi Especial, ser envelopado em preto.

Levantamento feito pelo Estado de Minas em junho deste ano mostra que BH tem o menor índice de táxis por número de habitantes entre as principais capitais, com um carro para cada 395 pessoas. No Rio de Janeiro, a relação é de 1 para 198; em Porto Alegre, de 1 táxi para cada 359 habitantes; Salvador, 1 táxi para cada 382 pessoas e São Paulo, de 1 táxi para cada 344 habitantes. A BHTrans agora anuncia as novas regras considerando que a diversificação dos serviços de táxi é um dos objetivos do plano estratégico da empresa.

GNV

A Gasmig vai anunciar na tarde desta segunda-feira um benefício para motoristas da capital começarem a usar o Gás Natural Veicular (GNV). De acordo com a Associação Latino-Amerciana de (GNV), existem no mundo 300 mil veículos movidos a gás natural. Em Los Angeles, nos Estados Unidos, há 2,4 mil ônibus a gás, em Barcelona 300 e em Madri até caminhões de lixo estão na lista. O Brasil ainda faz experiências.

O belo-horizontino que instalar o sistema no carro ganhará bônus de 300 metros cúbicos de gás. Os taxistas que usarem o combustível vão receber o benefício de 600 metros cúbicos de gás. A prefeitura tenta mostrar os benefícios do combustível na tentativa de resolver um dos mais graves problemas do transporte público urbano, a poluição sonora e de dióxido de carbono (CO2). Um carro roda em média 10 quilômetros com um litro de gasolina, 7 quilômetros com a mesma quantidade de álcool e 13 quilômetros usando o GNV.


Publicidade