Publicidade

Estado de Minas

Dnit acumula promessas na BR-040


postado em 01/07/2011 06:00 / atualizado em 01/07/2011 06:25

Espera para atravessar com alguma segurança leva até 30 minutos(foto: marcos michelin/em/d.a press)
Espera para atravessar com alguma segurança leva até 30 minutos (foto: marcos michelin/em/d.a press)


No último dia 20, moradores da Comunidade dos Pires se reuniram em Belo Horizonte com o superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Sebastião Donizete. Ele prometeu uma licitação em 120 dias para intervenções naquele trecho da estrada, priorizando uma passarela. Também prometeu mandar um representante ao local, para avaliar as soluções junto com a comunidade. Prometeu ainda estudar a possibilidade de construção de quebra-molas em caráter provisório, desde que os estudos técnicos recomendem, até a instalação de radares, em um prazo de 30 dias.

De acordo com a presidente da Associação dos Moradores da Comunidade dos Pires, Vani Aparecida Severino Silva, desde 2006 eles cobram do Dnit uma passarela. “Lombada eletrônica não serve. Tem uma curva e quando o motorista assusta já passou por cima de alguém”, disse, mostrando a placa de velocidade máxima permitida para os carros, de 60km/h, que não é respeitada. A placa também alerta que a velocidade é controlada por radar, o que não ocorre, segundo ela. “Sabemos do transtorno que causamos fechando a estrada para manifestação, mas já cansamos de tentar uma solução pelo diálogo. Prometem resolver o problema e depois dão as costas”, disse Vani, referindo-se ao Dnit.

Ivana Celestina Gomes Fidelis faz parte da comissão de negociação com o Dnit e tem a mesma opinião de Vani. Ontem, a PRF tentou impedir o protesto, entregando um documento assinado pela 4ª Superintendência de Juiz de Fora. Segundo o chefe da delegacia, Wallace Luís Wischansky, a PRF não concorda com manifestações que possam colocar em risco a segurança do trânsito e, consequentemente, das pessoas que usam a rodovia, por diversos motivos, como trabalho, escola e lazer. “A interdição de uma rodovia com as características da BR-040, onde trafegam mais de 20 mil veículos diariamente, além de caracterizar uma infringência à legislação penal, expõe as pessoas ao risco”, diz o documento.

Wallace diz considerar justas as reivindicações encaminhadas pela comunidade e diz que já foram cobradas do Dnit medidas compatíveis com as necessidades, além de planejar ações no âmbito do policiamento rodoviário. Ivana disse que não foi possível impedir o protesto, pois mais de 2 mil pessoas já tinham ocupado a estrada. Na primeira manifestação, segundo ela, a rodovia ficou fechada por sete horas. Segunda-feira passada, das 15h às 17h. Ontem, das 6h às 9h. “Vamos esperar por uma resposta do Dnit. Se não resolver o problema, a comunidade promete fechar a estrada de novo”, ameaçou. Segunda-feira, a comunidade se reúne com mineradoras da região para discutir os problemas e pedir apoio.

Ontem, o Dnit informou ao Estado de Minas já ter comunicado ao prefeito e moradores do local que a passarela está inserida no projeto de restauração da BR-040. O edital, promete o departamento, já está pronto e deve ser publicado em breve.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade