UAI
Publicidade

Estado de Minas De volta à Casa cor

Aos pés da serra

A mais tradicional mostra de decoração da cidade funciona em formato híbrido e valoriza a arte e a cultura mineira


19/09/2021 04:00

Cozinha Funcional - Ivia Maia e Mirlene Sales - A cozinha é para deixar o chef em evidência, e passar para o espectador a sensação de intimidade com a natureza, seja pelos materiais escolhidos, pelas formas sinuosas, pela paleta neutra e terrosa e também pela vegetação presente. A bancada redonda foi concebida como se fosse um palco para o protagonista. Bancada sinuosa como um rio, servindo de mesa para os convidados
Cozinha Funcional - Ivia Maia e Mirlene Sales - A cozinha é para deixar o chef em evidência, e passar para o espectador a sensação de intimidade com a natureza, seja pelos materiais escolhidos, pelas formas sinuosas, pela paleta neutra e terrosa e também pela vegetação presente. A bancada redonda foi concebida como se fosse um palco para o protagonista. Bancada sinuosa como um rio, servindo de mesa para os convidados (foto: Henrique Queiroga/divulgação)


A nova Casa Cor Minas é o primeiro grande evento da cidade desde o início da pandemia, e expõe a beleza da vista da Serra do Curral. Volta repaginada, cheia de novidades e com um formato híbrido. As visitas presenciais terão que te agendamento de horário e compra antecipada de ingresso para não ter aglomeração. Todo o espaço segue um rigoroso protocolo com o objetivo de garantir a segurança de todos os participantes e do público.
 
Living Oásis %u2013 Bárbara Barbi %u2013 O espaço busca oferecer uma sensação de deleite e tranquilidade. O living recebe uma pequena copa e área de leitura e, no deck, tem uma sauna ecológica. Mistura do contemporâneo e do rústica. Piso em porcelanato mesclado com madeira. Tapetes de artesãos mineiros, em corda náutica, juta e sisal. Escultura de André Ferri
Living Oásis %u2013 Bárbara Barbi %u2013 O espaço busca oferecer uma sensação de deleite e tranquilidade. O living recebe uma pequena copa e área de leitura e, no deck, tem uma sauna ecológica. Mistura do contemporâneo e do rústica. Piso em porcelanato mesclado com madeira. Tapetes de artesãos mineiros, em corda náutica, juta e sisal. Escultura de André Ferri (foto: Gustavo Xavier/divulgação)
 
 
Uma das maiores mudanças foi na seleção dos profissionais deste ano, que inclui um vasto time formado por jovens talentos da arquitetura, do design e também do paisagismo de Belo Horizonte e de mais nove cidades mineiras. São 47 ambientes, criados por 71 profissionais que trabalharam guiados pelo tema central desta edição: “A casa original”. A temática provoca uma série de reflexões, sobretudo pelo evidente desejo de retorno às origens, buscando na ancestralidade e na simplicidade o equilíbrio necessário entre o passado e o futuro. A inspiração trouxe a ressignificação da nossa relação com a casa, inaugurando uma série de novas reflexões sobre o morar contemporâneo.
 
Suite Lite %u2013 Igor Zanon %u2013 Quarto leve e aconchegante com painéis de MDF em jequitibá rosa, breeze de alumínio. Como arte, traz as obras de Abraham Palatinik e de Christus Nóbrega. Banco em tear de Inês Schertel. O banheiro é aberto para a mata
Suite Lite %u2013 Igor Zanon %u2013 Quarto leve e aconchegante com painéis de MDF em jequitibá rosa, breeze de alumínio. Como arte, traz as obras de Abraham Palatinik e de Christus Nóbrega. Banco em tear de Inês Schertel. O banheiro é aberto para a mata (foto: Gustavo Xavier /divulgação)
 
 
Entre os arquitetos e designers de interiores que participam desta edição estão veteranos como Lena Pinheiro, Patrícia Hermanny, Cristina Menezes, Flávio Bahia e Norah Fernandes, além de profissionais de destaque no mercado, como Alexandre Rousset, Ângelo Coelho, Ângelo Coelho Filho e Cristina Morethson, Júnior Piacesi, Sérgio Vianna, Juliana Vasconcellos, Rosângela Brandão Mesquita, Janaina Pacheco, Patrícia Abreu, Roger Lages, José Lourenço, Linda Martins, Andrea Pinto Coelho, Casa Tereze, Daniel Tavares, Igor Zanon, Bárbara Nobre. Dois convidados especiais fizeram ambientes: o premiado designer Gustavo Greco e a fotógrafa Leca Novo. Soma-se à lista um time de estreantes na mostra, como Duo Arquitetos, Cynthia Vianna, Liga Arquitetura, João Daniel Silva, Evandro Melato, Ivia Maia, Rafael Mineiro, entre outros, ampliando também de forma expressiva a participação de profissionais do interior do estado.
 
Gourmet dos Sentidos %u2013 Sérgio Vianna %u2013 A construção, o acabamento e a marcenaria foram explorados como peças de Lego. Piso parquet em porcelanato e teto ripado. Cozinha cheia de tecnologia. A ilha é o ponto central. Cadeiras e banqueta assinada por Zanine de Zanin. Estante feita com 17 cubas transformadas em nichos que lembram um cobogó gigante.
Gourmet dos Sentidos %u2013 Sérgio Vianna %u2013 A construção, o acabamento e a marcenaria foram explorados como peças de Lego. Piso parquet em porcelanato e teto ripado. Cozinha cheia de tecnologia. A ilha é o ponto central. Cadeiras e banqueta assinada por Zanine de Zanin. Estante feita com 17 cubas transformadas em nichos que lembram um cobogó gigante. (foto: Jomar Bragança/divulgação)
 
 
A boa pedida foi a valorização do paisagismo. Afinal, depois de tanto tempo em reclusão, o que mais as pessoas querem é desfrutar de ambientes abertos, amplos e cheios de natureza. Os jardins são destaque absoluto, primeiro pela necessidade de oferecer espaços mais abertos e ao ar livre, por causa da pandemia da COVID-19, que já está em fase reduzida, mas, infelizmente, ainda não foi debelada. Segundo, por apresentar o restauro de várias áreas do jardim criado por Burle Marx. Serão seis ao todo: Droysen Tomich, Felipe Fontes, Katiene Rodrigues, Naña Guimarães, Rafael Mineiro e Valter Braga. Todos reverenciando o grande mestre Roberto Burle Marx, autor dos jardins originais do Palácio das Mangabeiras, palco da mostra.
 
Gabinete %u2013 Lena Pinheiro %u2013 A inspiração veio do desejo de resgatar algumas peças do início do século 20, do arquiteto e designer escocês Charles Rennie Mackintosh. Leiaute limpo, com peças contemporâneas, como a grande mesa com forma ameboide em madeira preta, de Zanini de Zanine. É dele também a estante suspensa onde repousa uma coleção de máscaras africanas
Gabinete %u2013 Lena Pinheiro %u2013 A inspiração veio do desejo de resgatar algumas peças do início do século 20, do arquiteto e designer escocês Charles Rennie Mackintosh. Leiaute limpo, com peças contemporâneas, como a grande mesa com forma ameboide em madeira preta, de Zanini de Zanine. É dele também a estante suspensa onde repousa uma coleção de máscaras africanas (foto: Foto Jomar Bragança)
 
 
Como a maior parte dos ambientes está na área externa do palácio, os projetos foram inteiramente construídos para o evento utilizando métodos inovadores, reduzindo significativamente os impactos ambientais. A CMC, indústria do grupo mineiro Lafaete, forneceu 25 módulos, cada um com 12 metros quadrados e pé-direito de três metros, uma tecnologia que se assemelha na forma, mas que é bastante diferente dos contêineres marítimos, uma vez que são construídos de forma industrial e exclusivamente para a construção de habitações, assumindo diversas medidas, o que possibilita mais opções aos projetos.
 
Espaço (COM)Viver Assis Humberto e Marcus Vinícius Inspirado na sustentabilidade, as paredes são de descartes de obra. O revestimento foi feito por mulheres dos projetos Arquitetura na Periferia e Bioarquitetar, que coletaram em aterros terras de diferentes tonalidades. O minério da Serra do Curral, que está ao fundo, foi lembrado na escultura banco de Zanine em porcelanato. Ao fundo, um pergolado com plano cartesiano se abre para a vista
Espaço (COM)Viver Assis Humberto e Marcus Vinícius Inspirado na sustentabilidade, as paredes são de descartes de obra. O revestimento foi feito por mulheres dos projetos Arquitetura na Periferia e Bioarquitetar, que coletaram em aterros terras de diferentes tonalidades. O minério da Serra do Curral, que está ao fundo, foi lembrado na escultura banco de Zanine em porcelanato. Ao fundo, um pergolado com plano cartesiano se abre para a vista (foto: Jomar Bragança/divulgação)
 
 
Com foco na sustentabilidade, o novo formato da mostra surpreenderá desde a entrada, que dá sensação de estar em um outro endereço, à leveza do paisagismo exuberante. Até mesmo um lago, com direito a peixes vivos desfrutando a água cristalina, foi construído. Vale ressaltar que todas as edificações externas foram colocadas sobre uma estrutura criada para proteger o solo, jardins, campo de futebol e quadra de tênis – dependências existentes no palácio que receberam os ambientes.
 
Escritório da Diretora Criativa Luoda Arquitetura A proposta foi criar um lugar que tornasse as ações dinâmicas e que fosse inspirador. Moderno, mas sem pegada tecnológica, a arquiteta usou uma mesa única em porcelanato cinza, que serve tanto para reuniões como para o uso individual. Uma parede sensorial, traz personalidade e leveza
Escritório da Diretora Criativa Luoda Arquitetura A proposta foi criar um lugar que tornasse as ações dinâmicas e que fosse inspirador. Moderno, mas sem pegada tecnológica, a arquiteta usou uma mesa única em porcelanato cinza, que serve tanto para reuniões como para o uso individual. Uma parede sensorial, traz personalidade e leveza
 

PRESERVAÇÃO E MEMÓRIA Este ano, a Casa Cor Minas investe na preservação da memória, resgatando aspectos históricos da edificação. Naña Guimarães restaurou boa parte dos jardins originais de Burle Marx, e outra novidade é que a fonte criada pelo paisagista, em uma das áreas externas laterais da construção, foi inteiramente recuperada. Em dois níveis de pedra, ela tem como base um espelho d’água com espécies aquáticas e está em meio a um rico jardim que envolve tons de roxo e de verde, entre dracenas, marantas, asparagos, jiboias, peperoneas, columeias, samambaias e variedade de espécies que o preenche. Alguidares dentro e fora da água criam composição que os apresentam vazios e com plantas.
 
Loft Sense Andrea Medeiros e Cristina Capanema O loft tem recorte simétrico e mistura os ambientes internos e externos. Uma ampla bancada, adega revestida em quartzito e quarto com privacidade. Tramas naturais, tapetes feito a mão e peças do designer André Ferri compõem o cenário
Loft Sense Andrea Medeiros e Cristina Capanema O loft tem recorte simétrico e mistura os ambientes internos e externos. Uma ampla bancada, adega revestida em quartzito e quarto com privacidade. Tramas naturais, tapetes feito a mão e peças do designer André Ferri compõem o cenário (foto: Jomar Bragança/divulgação)
 

VISITA VIRTUAL Outra novidade para a edição da nova Casa Cor Minas é o passeio virtual pelo Palácio das Mangabeiras mostrando como ele era na época de sua inauguração, em 1955, desenvolvido em parceria com a Codemge e a equipe da Novus 3D. A visita foi desenvolvida a partir de um extenso levantamento histórico, resgatando imagens e dados do projeto original, e será disponibilizada aos visitantes. Quem optar por visitar a mostra virtualmente, ou conhecer tudo para depois ter a experiência de conferir os ambientes presencialmente, terá possibilidade de ver todos os ambientes em 360 graus, e fazer aproximação para ver todos os detalhes.
 
Garagem Pub %u2013 Janaina Araújo %u2013 A ideia é dar uma cara de bar a um espaço criado para receber amigos com mais privacidade, junto à garagem. Aconchegante, tem na base do balcão um muro de gabião. Paredes com tijolo artesanal à vista no pub e no fundo da adega. Piso preto em pedra-sabão e tela do artista Leo Brizola
Garagem Pub %u2013 Janaina Araújo %u2013 A ideia é dar uma cara de bar a um espaço criado para receber amigos com mais privacidade, junto à garagem. Aconchegante, tem na base do balcão um muro de gabião. Paredes com tijolo artesanal à vista no pub e no fundo da adega. Piso preto em pedra-sabão e tela do artista Leo Brizola (foto: Henrique Queiroga/divulgação)
 

GASTRONOMIA A gastronomia sempre foi um dos pontos de destaque, refletindo de forma muito fiel a relação que os mineiros têm com a cozinha. Focada em oferecer experiências cada vez mais inovadoras e marcantes para o público, a mostra está repleta de novidades. Quem assume a curadoria e a concepção gastronômica desta edição é o premiado chef italiano Massimo Bataglini, que, com Henrique Benerick, da Benericks, está à frente do Outland, um bar e restaurante a céu aberto que alia boa gastronomia, uma extensa carta de coquetéis e, claro, um bom design. O Outland comanda o restaurante, um café e os bares desta edição, com menu exclusivo e o conceito foi todo inspirado no mar Adriático. Mas tem também partos de carne e veganos para quem preferir. Além do restaurante, bar, café e uma cozinha funcional para receber os visitantes.
 
Suíte mÁster %u2013 João Daniel Arquitetura As riquezas naturais regionais e o ofício do casal serviram de inspiração. Acolhimento e tecnologia são a tônica do ambiente contemporâneo. A paleta de cores neutras e esfumaçadas, esmaecidas e terrosas, remete à terra de onde vêm as riquezas naturais. Os materiais e tecidos remetem ao minério, ouro e às pedras naturais. Cama, home office e estar íntimo compõem o ambiente, que conta também com closet e sala de banho
Suíte mÁster %u2013 João Daniel Arquitetura As riquezas naturais regionais e o ofício do casal serviram de inspiração. Acolhimento e tecnologia são a tônica do ambiente contemporâneo. A paleta de cores neutras e esfumaçadas, esmaecidas e terrosas, remete à terra de onde vêm as riquezas naturais. Os materiais e tecidos remetem ao minério, ouro e às pedras naturais. Cama, home office e estar íntimo compõem o ambiente, que conta também com closet e sala de banho (foto: Daniel Mansur/divulgação)
 
 
Suíte %u201COs Brutos também amam%u201D %u2013 Maraú Design %u2013 Revestimento que lembra o travertino em uma paginação com rejunte caprichoso e invisível, para dar a ideia de um bloco contínuo de pedra, mesmo material da cabeceira da cama
Suíte %u201COs Brutos também amam%u201D %u2013 Maraú Design %u2013 Revestimento que lembra o travertino em uma paginação com rejunte caprichoso e invisível, para dar a ideia de um bloco contínuo de pedra, mesmo material da cabeceira da cama
 
 
Sala de Estar Norah Fernandes e João Uchoa O ambiente passou por um minucioso restauro e o projeto privilegia materiais mineiros e brasileiros, pensados para o uso em uma sala contemporânea, sem perder o elo com o passado. A maior parte do mobiliário tem mais de 70 anos, é original e tem cara de novo. Destaque para a lareira/mesa de centro em pedra-sabão e cone de chapa dobrada
Sala de Estar Norah Fernandes e João Uchoa O ambiente passou por um minucioso restauro e o projeto privilegia materiais mineiros e brasileiros, pensados para o uso em uma sala contemporânea, sem perder o elo com o passado. A maior parte do mobiliário tem mais de 70 anos, é original e tem cara de novo. Destaque para a lareira/mesa de centro em pedra-sabão e cone de chapa dobrada (foto: Jomar Bragança/divulgaçãO)
 
 
Living Ângelo Coelho, Ângelo Coelho Filho e Cristina Morethson Espaço multiuso. Paredes com película de cimento queimado, painéis de madeira e jardins verticais permitem um jogo de contrastes. Sofá, poltronas em couro e carrinho de apoio trazem aconchego. Um bufê retrô, em carvalho, faz a divisória entre o estar e o jantar, que tem mesa com base em titânio e vidro carbono
Living Ângelo Coelho, Ângelo Coelho Filho e Cristina Morethson Espaço multiuso. Paredes com película de cimento queimado, painéis de madeira e jardins verticais permitem um jogo de contrastes. Sofá, poltronas em couro e carrinho de apoio trazem aconchego. Um bufê retrô, em carvalho, faz a divisória entre o estar e o jantar, que tem mesa com base em titânio e vidro carbono (foto: Gustavo Xavier/Divulgação)
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade