Publicidade

Estado de Minas Arte final

Conselho da Comunicação de Minas mantém presidente e prevê recuperação


17/01/2021 04:00

Helinho Faria espera um ano de plena recuperação para o mercado mineiro (foto: FazCom/Divulgação )
Helinho Faria espera um ano de plena recuperação para o mercado mineiro (foto: FazCom/Divulgação )

 
"É preciso seguir em frente, dar sequência ao trabalho, unir nossas forças, experiências e diferenciais para fazer de 2021 um ano de recuperação." É com esse pensamento que o publicitário Helinho Faria, reeleito presidente do Conselho da Comunicação de Minas para o próximo biênio, encara a sequência de sua gestão depois de um ano marcado por incertezas. 
 
O mercado ainda tenta se refazer das perdas provocados pela Covid-19. Mas a iminente chegada da vacina realimenta as esperanças de Helinho Faria e sua diretoria. Ele fala de seus planos e lança um olhar positivo para o futuro próximo. "Nosso plano é dar continuidade ao trabalho iniciado na gestão anterior, lutando pelo fortalecimento do conglomerado da comunicação de Minas como um todo. O Conselho da Comunicação é um canal de diálogo entre as diversas entidades que compõem o nosso segmento e busca impulsionar o crescimento da nossa indústria da comunicação", explica. 

RETOMADA DO RITMO  O Conselho Empresarial de Comunicação da Associação Comercial de Minas (ACMinas) é composto pelas principais lideranças da comunicação mineira, entre elas o diretor-executivo dos Diários Associados, Geraldo Teixeira da Costa Neto, e o publicitário Mário Neves, diretor de comercialização e marketing dos Diários Associados. O órgão se apoia em três diretrizes: criar proatividade no mercado, visando a novos negócios; fortalecer e estabelecer metas para alcançar os objetivospropostos, e trabalhar para o crescimento e reposicionamento perante o mercado nacional.
 
Apesar da crise sanitária, social e econômica iniciada ano passado, o Conselho manteve sua pauta, segundo Helinho Faria. "Logicamente, a pandemia impactou os nossos trabalhos, mas nada que comprometesse nossa agenda e os projetos que estavam em andamento. No início, tivemos de nos adaptar às reuniões on-line, mas rapidamente o trabalho foi normalizado", explica Faria. 
Ainda segundo ele, “a nossa expectativa é a melhor possível para a chegada da vacina. Esperamos que, à medida que a população for se vacinando, a pandemia vá sendo controlada e a vida voltando ao normal. Com isso, a tendência é que o mercado volte a se movimentar, as empresas retomem seus projetos de investimento e a indústria da comunicação volte a trabalhar em ritmo acelerado”.

NOVO MODELO Mesmo no caos da pandemia, o presidente destaca que algumas adaptações nas agências, por exemplo, ficarão como legado positivo. "Houve uma mudança muito grande no dia a dia das agências, com a implantação do modelo de home office. E a resposta vem sendo extremamente positiva. Estamos percebendo um aumento na produtividade de vários setores (criativo, planejamento e mídia, entre outros) e um estresse muito menor entre os funcionários. Outro ponto que destaco é a dinâmica das reuniões on-line, que também se tornaram muito mais produtivas. Por fim, acredito que é um modelo que veio para ficar."

TRANSFORMAÇÃO Fugas de grandes marcas do país –  como a montadora Ford – fusões entre empresas, fechamento de agências bancárias, pontos comerciais e inúmeras falências. Em menos de um ano, o mercado virou de ponta-cabeça. Helinho Faria avalia a revolução vivida e traça um cenário mais positivo para o segmento da comunicação no próximo biênio de sua gestão.  "Todas essas mudanças impactam o mercado da comunicação, são anunciantes importantes que deixam o mercado e diminuem seus investimentos no setor. Porém, temos na contramão desse movimento, alguns segmentos com crescimento significativo e entrando fortemente no mercado da comunicação. Temos, por exemplo, os mercados das startups de tecnologia, e-commerce, logística, plataformas de jogos e muitos outros. Cito apenas alguns que chegam ao mercado com grandes investimentos e muita força. Precisamos estar atentos a esse movimento e nos preparar para atuar de maneira competitiva", enfatiza.

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS 

O Conselho da Comunicação de Minas se norteia por quatro pontos 
estratégicos, que alimentam sua agenda de trabalho ao longo de cada ano. 

1 - Motivar a sensibilização e a atenção com os principais veículos de comunicação, agregando aos debates do conselho a experiência e o expertise dessas empresas do Aglomerado. 
2 - Despertar todo o Aglomerado de Comunicação em Minas para a importância de ser reconhecido como a principal ferramenta, a fim de orientar as ações desenvolvimentistas para os investimentos e incentivos para o crescimento e o progresso integrado de Minas Gerais. 

3 - Firmar parcerias para investimentos, através do Sebrae e de outras entidades, a fim de ofertar cursos de qualificação, realização de eventos e constante aprimoramento do Aglomerado da Comunicação, de suas empresas e dos seus recursos humanos e materiais. 

4 - Aprimorar o relacionamento junto ao meio oficial, bancadas federal, estadual e municípios, agindo de forma institucional e representando os interesses para a consolidação e o crescimento deste Aglomerado.


COMPOSIÇÃO DO CONSELHO DA COMUNICAÇÃO DE MINAS 

Presidente: Hélio Faria
Vice-presidente: Eduardo Mineiro

Membros do Conselho:

Geraldo Teixeira da Costa
Mário Neves
Carlos Rubens Doné
André Gifoni
Antônio Rubens Ribeiro
Cefas Alves Meira
Lúcio Peres
Bernardo Teles
Luiz Tito
Marcelo Ligere
Marcos Carneiro
Nestor de Oliveira
Sérgio Botelho
Teodomiro Braga
Toddy Marinho
Washington Melo
Yvan Mills
Márcio Fagundes
Wagner Espanha
Wanderlei Damasceno de Azevedo
Heron Guimarães


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade