Publicidade

Estado de Minas CASA MINEIRA

Galeria de arte


postado em 03/05/2020 04:00

volumes - O branco predomina na fachada destacando a volumetria da arquitetura. Vidro, madeira e metal (nos pilares) foram materiais usados no belo projeto voltado para as montanhas(foto: Fábio Del Re e Carlos Stein/divulgação)
volumes - O branco predomina na fachada destacando a volumetria da arquitetura. Vidro, madeira e metal (nos pilares) foram materiais usados no belo projeto voltado para as montanhas (foto: Fábio Del Re e Carlos Stein/divulgação)


 Arquitetos experientes e premiados, sócios com filosofia de trabalho similares, Fernando Maculan e Mariza Machado Coelho assinam esta residência apresentada pela Casa Mineira. Selecionada para ser exibida, recentemente, pelo programa de televisão Casa brasileira entre projetos representantivos da boa arquitetura mineira, a grande atração do imóvel é, certamente, o conceito proposto pela dupla. Trata-se de uma casa-galeria.
 
minimalismo - O conceito %u201Cmais é menos%u201D prevalece no interior da casa: móveis modernistas em primeiro plano, com desenho de Nuno Ramos ao fundo, em ângulo da sala de estar(foto: Gabriel Castro/divulgação)
minimalismo - O conceito %u201Cmais é menos%u201D prevalece no interior da casa: móveis modernistas em primeiro plano, com desenho de Nuno Ramos ao fundo, em ângulo da sala de estar (foto: Gabriel Castro/divulgação)
 
 
Erguida nos arredores de Belo Horizonte, a construção impacta pela volumetria, aberturas, vãos e terraços estrategicamente traçados e pela integração com a paisagem ao redor. O terreno em aclive foi aproveitado com intervenções e pouco impressiona em sua geometria, criando três níveis que, sucessivamente, abrigam lazer (nível inferior), área social, piscina e refeições (nível intermediário), serviços e área íntima (nível superior). 
 
exterior - O projeto possibilitou a integração da casa com a paisagem circundante(foto: Fábio Del Re e Carlos Stein/divulgação)
exterior - O projeto possibilitou a integração da casa com a paisagem circundante (foto: Fábio Del Re e Carlos Stein/divulgação)
 
 
Fernando Maculan traduz a concepção arrojada do projeto. Além de moradia, seu objetivo principal, a casa foi pensada para ser, simultaneamente, local de guarda e exposição de uma coleção de obras de arte que, atualmente, inclui, os artistas Helio Oiticica, Nuno Ramos e Amílcar de Castro. O acervo é composto ainda por trabalhos de Ricardo Homen, Richard Serra, Franz Weissmann, Hilton Berredo, Martha Neves, Roberto Longo, Fábio Miguez e Cristiano Rennó. 
 
recortes - A integração do terreno e da paisagem à arquitetura é proporcionada pelo posicionamento e orientação cuidadosos de aberturas, vãos e terraços(foto: Fábio Del Re e Carlos Stein/divulgação)
recortes - A integração do terreno e da paisagem à arquitetura é proporcionada pelo posicionamento e orientação cuidadosos de aberturas, vãos e terraços (foto: Fábio Del Re e Carlos Stein/divulgação)
 
 
“O partido escultórico, que responde inicialmente a um desejo dos clientes originais com relação à arquitetura, é também parte de uma solução que pretende eliminar a distinção entre casa e galeria. O contato de moradores e visitantes com a arte deveria ser natural e extensivo a todos os ambientes; algo sugerido pela presença de superfícies brancas em quase todos os espaços”, ele explica.
 Por outro lado, ressalta, a integração do terreno e da paisagem à arquitetura é proporcionada pelo posicionamento e orientação cuidadosos de aberturas, vãos e terraços. Com a importância atribuída aos vazios, busca-se uma deliberada ambiguidade entre dentro e fora.
 
 ÍNTIMA %u2013 No bloco triangular, nível superior, fica a sala íntima anexa à biblioteca (foto: Gabriel Castro /divulgação)
ÍNTIMA %u2013 No bloco triangular, nível superior, fica a sala íntima anexa à biblioteca (foto: Gabriel Castro /divulgação)
 
 
“Uma grande variedade de ambientes, gerados por espaços com diferentes situações de abertura e separação da paisagem, cria locais específicos para as obras de arte e, ao mesmo tempo, promove diferentes percepções da natureza circundante, bem como dos limites urbanos de Belo Horizonte e Nova Lima”, observa o arquiteto, destacando que a composição arquitetônica, por sua vez, é organizada através da interseção de dois elementos básicos: um volume longitudinal, paralelo à estrada de acesso e estabelecido ao longo dos contornos do terreno, e um volume triangular, elevado do solo por uma sequência de finos pilares metálicos.
 
 GALERIA %u2013 O espaço interno visto do lado de fora realça o conceito de galeria: à esquerda e no meio, desenho Voz do morro e pintura Mar Morto, ambos de Nuno Ramos. À direita, desenhos de Amílcar de Castro (foto: Gabriel Castro/divulgação)
GALERIA %u2013 O espaço interno visto do lado de fora realça o conceito de galeria: à esquerda e no meio, desenho Voz do morro e pintura Mar Morto, ambos de Nuno Ramos. À direita, desenhos de Amílcar de Castro (foto: Gabriel Castro/divulgação)
 
 
O primeiro volume mantém funções domésticas relacionadas ao lazer e esporte, como academia, sauna e SPA, situados no nível inferior, e recebendo iluminação natural através de escotilhas abertas na parede lateral da piscina. Como extensão da área da piscina, em direção ao volume triangular, no nível intermediário, foram planejadas cozinha, sala de jantar e sala de estar, ele detalha.
No bloco triangular, no nível superior, foram posicionados os quartos e a sala íntima. “Esse andar possui dois terraços: um próximo à sala íntima, mais aberto e orientado para a cidade de Belo Horizonte. O outro, mais próximo dos quartos, mais intimista e cuidadosamente orientado para a paisagem das montanhas. Nesse terraço, um vazio circular permite a conexão visual e a entrada de iluminação natural no piso inferior”, destaca Maculan.
 
JANTAR %u2013 A conversação é composta por sofás e poltronas Barcelona e mesa de centro Saarinen. Acima, desenhos de Amílcar de Castro. O trabalho gigante de Nuno Ramos, mais à frente, é a atração do ambiente(foto: Gabriel Castro /divulgação)
JANTAR %u2013 A conversação é composta por sofás e poltronas Barcelona e mesa de centro Saarinen. Acima, desenhos de Amílcar de Castro. O trabalho gigante de Nuno Ramos, mais à frente, é a atração do ambiente (foto: Gabriel Castro /divulgação)
 
 
Já o acesso para pedestres ocorre por um caminho sinuoso de pedra, que guia moradores e visitantes ao nível intermediário, onde a área social e a piscina estão concentradas. A rampa de acesso de veículos permite a chegada ao nível superior, na garagem que articula áreas íntimas e de serviço.
O arquiteto pontua que, no projeto, a divisão espacial entre lazer, interação social, serviços e áreas íntimas é cuidadosamente definida de acordo com a orientação solar, em diferentes níveis, proporcionando a melhor execução das atividades da casa sem travessias indesejadas e perda de privacidade.
 
 ARTE %u2013 Valorizando o acervo dos donos da casa, Hilton Berredo assina relevo/pintura em borracha sintética; defronte, os desenhos Cada um %u2013 Cada um, do artista Nuno Ramos(foto: Gabriel Castro /divulgação)
ARTE %u2013 Valorizando o acervo dos donos da casa, Hilton Berredo assina relevo/pintura em borracha sintética; defronte, os desenhos Cada um %u2013 Cada um, do artista Nuno Ramos (foto: Gabriel Castro /divulgação)
 
 
Já os quartos são orientados para o Leste e têm área externa privativa como uma extensão ajardinada das áreas fechadas. Os quartos de serviço e funcionários estão voltados para um pátio privativo, que garante muita luz natural e ventilação. “Os espaços de interação e lazer caracterizam-se pela transparência de seus limites e ampliação de perspectivas em direção à paisagem”.
A concepção dos interiores ficou sob a responsabilidade dos proprietários e flerta com proposta minimalista da casa, o que significa móveis com design e luminárias decorativas, tudo dentro do espírito do “mais é menos”.
 
Colaboração  Juntos desde 2006, Mariza Machado Coelho e Fernando Maculan comandam a MACh Arquitetos, cuja área de atuação é  bem ampla, abrangendo projetos residenciais, institucionais, esportivos e urbanos, assim como intervenções no patrimônio histórico edificado. Com grande ênfase na cultura e numerosas realizações na área, o escritório de arquitetura adota a diversidade como matéria-prima profissional e concepção de projetos.
 
fotografias - Obras Homenagem a Geraldo de Barros, em p&b, e Barra colorida, ambas de Cristiano Rennó(foto: Gabriel Castro/divulgação)
fotografias - Obras Homenagem a Geraldo de Barros, em p&b, e Barra colorida, ambas de Cristiano Rennó (foto: Gabriel Castro/divulgação)
 
 
Porém, existem alguns denominadores comuns no trabalho da dupla que podem ser facilmente reconhecidos neste projeto da casa-galeria, entre eles a apropriação do ambiente externo e da paisagem como extensão da obra construída e a valorização da permeabilidade na arquitetura com igual ênfase nos espaços cheios e vazios.
 
A colaboração/parceria e o trabalho conjunto em projetos multidisciplinares também fazem parte da prática da MACh. Prova disso é que duas outras empresas – a BCMF Arquitetos e a Hardy Design –, com atuações e expertises diferentes e complementares, dirigidas por amigos, são parceiras frequentes. Uma das principais realizações desse trio foi o projeto coletivo para a sede do Google em Belo Horizonte.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade