Publicidade

Estado de Minas UFMG

A moda além das passarelas

Curso de design de moda da UFMG, comemorando primeira década de existência , sediou o 9º Encontro Nacional de Pesquisa em Moda


postado em 10/11/2019 04:00 / atualizado em 11/11/2019 13:20

Tarcisio D’Almeida
Especial para o Feminino & Masculino
 
Look dos Alunos da UFMG no Dragão Fashion 2017(foto: Roberta Braga/Cláudio Pedroso/Pedro Brago/Divulgação )
Look dos Alunos da UFMG no Dragão Fashion 2017 (foto: Roberta Braga/Cláudio Pedroso/Pedro Brago/Divulgação )
 


O fascínio que a moda exerce nos indivíduos vai além dos desfiles nas passarelas das semanas de moda. Esse fascínio direciona para os consumos estético e mercadológico da moda. Quer seja amada, quer seja odiada, ela desempenha papel crucial na constituição de comportamentos, gostos e decisões estéticas das sociedades em suas evoluções históricas. Focados nesse objetivo central, professores, pesquisadores, estudantes e profissionais se reuniram na Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (EBA-UFMG), em Belo Horizonte, de 29 de outubro a 1º de novembro último, para o 9º Encontro Nacional de Pesquisa em Moda (Enpmoda), que foi sediado pelo curso de design de moda, em parceria com o Programa de Pós-graduação em Artes, ambos da EBA-UFMG, e com apoios institucionais da EBA-UFMG, do curso de têxtil e moda da Universidade de São Paulo (USP), do curso de moda da Faculdade Santa Marcelina (FASM), do curso de design-moda da Universidade Federal do Ceará (UFC), do curso de moda da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), do curso de design de moda da Universidade Federal de Goiás (UFG) e do curso de moda do Centro Universitário Una. O evento teve como hotel parceiro oficial o Bristol Jaraguá Hotel e contou com patrocínios do Sindivest-MG, da Syssa Baby e da Loja do Primo.
 
Criação de Raiane Cotta(foto: Thiago Bonifácio/Divulgação)
Criação de Raiane Cotta (foto: Thiago Bonifácio/Divulgação)
 
 
“É uma honra para a UFMG sediar em nossa instituição o 9º Enpmoda. Este importante evento representa não apenas uma oportunidade de divulgação de pesquisa em moda”, explica a professora Sandra Regina Goulart Almeida (reitora da UFMG), “mas também um momento de reflexão sobre o complexo fenômeno da moda e do diálogo entre os vários setores envolvidos na produção em moda no país.” Com o tema “A moda entre o pensar e o criar na evolução do tempo”, participantes procedentes de vários estados do país estiveram nessa nona edição do Enpmoda – a segunda sediada pelo curso de design de moda da UFMG, a primeira foi em 2013 – e tiveram uma programação bastante ampla e enriquecida de abordagens, reflexões e pontos de vista, que totalizaram três conferências, seis oficinas, 35 artigos de comunicações orais e 28 artigos de pôsteres científicos, além do desfile de encerramento, que teve como proposição “O povo e a cultura de Minas Gerais”, interpretado pelos alunos da disciplina pesquisa de moda II.
 
O Enpmoda tem como missão a constituição do pensamento acerca do objeto de estudo moda, isto é, a constituição do campo de saber/conhecimento devotado à moda. “A dedicação de todos [pesquisadores, professores e estudantes] à pesquisa e à construção do campo da moda é de uma força inabalável, inquestionável e de reconhecido valor”, pondera a professora Ana Paola dos Reis, coordenadora do curso de design de moda da EBA-UFMG). Essa força de produção acadêmica sobre a moda é uma realidade presente na trajetória do evento, que para a nona edição teve inscrições de trabalhos para os cinco grupos de trabalhos – Moda: ensino, pesquisa e extensão; Moda: teorias e processos criativos; Moda: história, cultura e artes; Moda: comportamento, comunicações e mídias, e Moda: tecnologia, gestão e produção.
 
"O Povo e a Cultura de MG", de Raiane Cotta (foto: Thiago Bonifácio/Divulgação)
 
A conferência “Apareça e não se esconda: a moda, a história, a construção da democracia no Brasil”, com a professora Heloisa Starling (titular do Departamento de História da UFMG), abriu o evento na noite de 29 de outubro com pensamentos sobre a importância da moda na constituição das personalidades das pessoas inseridas nos contextos históricos da sociedade brasileira. Em seguida, foi a vez de o time de criadores composto pelos estilistas Luiz Cláudio Silva (egresso do curso de extensão em estilismo da UFMG e hoje criador da grife Apartamento 03), Renato Loureiro, Valéria Mansur e Rogério Lima (diretor de criação do Minas Trend) conversar sobre “Sensibilidades criativas na moda”, assunto da segunda conferência do evento.
 
A moda e suas variadas facetas e processos criativos desempenham um papel crucial na apreensão estético-artística dos indivíduos. “Houve tempos nos quais as artes não estevam divididas entre ‘menores’ e ‘maiores’, entre ‘belas’ e ‘aplicadas’, ‘decorativas’ ou ‘utilitárias’, entre ‘arte’ e ‘artesanato’. A EBA-UFMG vivencia a diversidade como um valor essencial a cultivar e fortalecer”, conceitua o professor Adolfo Cifuentes (vice-diretor da EBA-UFMG). “É nesse diálogo permanente com o diverso que se nutre uma civilização”, complementa. Por isso mesmo, o conhecimento teórico é aliado ao conhecimento prático. Pensando nessas diversidades e sinergias, a comissão organizadora do Enpmoda estruturou as oficinas “Styling: construindo imagens para a moda” (com Rodrigo Cezário); “Bordados de linhas e pedrarias” (com Juliana Cruz); “Toda forma de nécessaire” (com Daise Menezes); “Moodboard e processos de pesquisa visual em moda” (com Danilo Araujo Nogueira); “Como transformar informação de tendência em produto de moda” (com Aldo Clécius)”; e “O casaco de Marx” (com Maíra Gouveia).
 
Encerrando a programação das conferências, a professora Lilian Santiago, do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que direcionou a força do pensamento filosófico sobre arte e moda para pensar o tema “Do Studio 54 ao museu: metamorfoses da moda”, abordando o icônico clube de Nova York, que impactou comportamentos e esteticamente várias gerações, e como a transição das práticas serve para metamorfosear a moda.
 
Em sinergia com o ano comemorativo dos primeiros 10 anos do curso da UFMG, ocorreu ainda no 9º Enpmoda a “Design de moda UFMG: mostra comemorativa de sua primeira década”, com uma seleção de criações de variadas naturezas e anos (looks, objetos vestíveis, cadernos de processos, books criativos etc.) produzidos pelos estudantes do curso. E ainda integrando a proposta de pensar o ato de criar moda no contexto mineiro, foi proposto para os alunos da disciplina pesquisa de moda II, do 4º semestre do curso de design de moda da UFMG, o tema “O povo e a cultura de Minas Gerais”, que encerrou a programação do evento na noite de 1º de novembro.


*Tarcisio D’Almeida é vice-coordenador do curso de design de moda da Escola de Belas Artes da UFMG; doutor em filosofia pela USP; líder do grupo de pesquisa Moda: teorias e processos criativos, cadastrado no CNPq; coordenador geral do 9º Enpmoda e autor do livro Moda em diálogos: entrevistas com pensadores.


Publicidade