Publicidade

Estado de Minas EXCLUSIVO

Luxo personalizado

Artista plástica mineira ganha o mundo pintando bolsas de marca


postado em 08/09/2019 04:00 / atualizado em 05/09/2019 16:35

Kláucia pintou várias peças em couro para a coleção verão 2017 da estilista carioca Patrícia Vieira(foto: arquivo pessoal)
Kláucia pintou várias peças em couro para a coleção verão 2017 da estilista carioca Patrícia Vieira (foto: arquivo pessoal)
 
A artista plástica Kláucia Badaró, graduada pela Escola de Belas Artes da UFMG não imaginava que abandonaria as telas para transformar peças de consumo, como roupas, bolsas e calçados em obras de arte exclusivas. Pois foi exatamente isso que aconteceu.
 
Com um talento e aptidão inatos para os trabalhos manuais e para o bom gosto, a discreta mineira começou desenvolvendo apliques para colocar nos sapatos que criava para a conhecida marca de calçados Arezzo. Sim, Kláucia foi a primeira estilista da marca. Desenhava os modelos e criou um aplique que era um laço que parecia um cristal, mas não encontrava quem fizesse o item e resolveu, ela mesma, o problema. Começou a desenvolver e produzir as peças em um trabalho bem autodidata.
Deu certo. Começou a vender tão bem, que dos apliques para calçados passou a desenvolver prendedores de cabelos com a mesma resina e a coisa deslanchou. Chegou a ter 30 empregados. Montou uma loja que funcionou por décadas na Savassi, e foi ali que começou seu trabalho de pintura em roupas, totalmente por acaso.
 
Chanel recebeu a cara de uma onça(foto: arquivo pessoal)
Chanel recebeu a cara de uma onça (foto: arquivo pessoal)
 
 
Em 2000, começou a pintar imagens sacras, outro grande sucesso, de repercussão internacional. Alguns anos depois, queria fazer uma vitrine diferente e pintou umas blusas para compor a vitrine, e viajou. Sua vendedora vendeu todas, porque fizeram o maior sucesso.
 
A primeira bolsa de marca que pintou foi de Thassia Naves, uma Goyard, que a influencer encomendou. E ela ficou sabendo do trabalho de Kláucia quando a artista foi convidada para pintar algumas peças de uma coleção da Skazi, marca mineira para qual Thássia fotografa há vários anos. Depois a modelo comprou uma das santas de Kláucia para presentear a Lala Rouge. Bastou um post de cada uma delas em seus Instagrams para nome da mineirinha ganhar fama.
 
Frida Kahlo enfeitou a bolsa Gucci (foto: arquivo pessoal)
Frida Kahlo enfeitou a bolsa Gucci (foto: arquivo pessoal)
 
 
A próxima a procurá-la foi a estilista carioca Patrícia Vieira, que tem um trabalho diferenciado com couro. Viu o trabalho de Klaucia na internet e a procurou. Este contato rendeu três coleções juntas, com peças exclusivas pintadas a mão, uma a uma. O ícone máximo foi uma jaqueta preta que virou mania entre as clientes.
 
Kláucia Badaró embarca este mês para Nova York(foto: arquivo pessoal)
Kláucia Badaró embarca este mês para Nova York (foto: arquivo pessoal)
 
 
Depois da bolsa Goyard, foi a vez de uma Birkin, da Hermés, que ela recebeu na caixa, para customizar. Em seguida, nova encomenda, uma Constance, da mesma marca, e aí começaram a chegar as Louis Vuitton. Vários modelos, novas e também as mais usadas, para dar um up no visual.
Das bolsas começaram a chegar malas, carteiras, necesseires... “As mulheres querem ter uma bolsa mais que exclusiva. Não basta ter a bolsa de luxo, ela tem que ter um diferencial, ser única, este é o grande desejo”, conta a pintora que tem uma fila de espera de no mínimo 20 dias para atender.
 
O mais interessante é que Kláucia não sabe o que vai pintar e a maioria das clientes deixa o motivo por conta de sua criatividade, na maior confiança. “A bolsa fala comigo. Sento na frente dela e começo a pintar, sem riscar antes e não erro, porque na arte não tem erro, o traço sai e a criação fui, é uma inspiração momentânea, e quando eu vejo o trabalho saiu. Cada um de um jeito. E por incrível que pareça, nunca tive uma reclamação. Ou melhor, uma única vez, quando pintei uma borboleta azul e a pessoa pediu para eu trocar a cor porque ela tinha algum tipo de trauma com borboletas neste tom. Fora isso, parece que adivinho o que a pessoa gosta”, explica.
 
Bolsa Prada personalizada(foto: arquivo pessoal)
Bolsa Prada personalizada (foto: arquivo pessoal)
 
 
Kláucia foi convidada para participar de vários eventos voltados para o público AA em Nova York, na segunda quinzena de setembro, em algumas lojas e galerias, onde pintará desde telas até bolsas de clientes, ao vivo, e fará uma exposição de seus trabalhos. A artista pretende agora investir nas telas, mas garante que não vai abandonar as bolsas, porque pintar em superfícies diversas instiga a mineira e ela não pretende abrir mão de novos desafios.
 
A jaqueta pintada à mão para a coleção de Patrícia Vieira virou a queridinha das clientes(foto: arquivo pessoal)
A jaqueta pintada à mão para a coleção de Patrícia Vieira virou a queridinha das clientes (foto: arquivo pessoal)
 


Publicidade