Publicidade

Estado de Minas SOCIOLOGIA ENEM

Fascismo, Nazismo e Socialismo para você nunca errar

Guia definitivo dos conceitos aceitos pela historiografia oficial


postado em 06/04/2019 10:00 / atualizado em 08/04/2019 10:26

Os termos "fascismo", "nazismo" e "socialismo" voltaram a ser discutidos nas redes sociais, inclusive por autoridades do governo brasileiro, como se fossem movimentos de esquerda ou equivalentes. Mas você sabe realmente o que eles significaram e as suas bases ideológicas? Vamos esclarecer de uma forma objetiva cada um deles para você nunca errar na sua prova.


Fascismo - O fascismo surgiu em 1919 e tinha como líder o italiano Benito Mussolini, um veterano da Primeira Guerra Mundial. Originário da palavra latina "fascio littorio", tinha como símbolo um feixe de varas amarradas e representava o poder da Roma Antiga em punir e decapitar os cidadãos desobedientes. Apesar de Mussolini ser um ex-socialista, o seu partido foi construído com grupos paramilitares contra políticos de esquerda, judeus, homossexuais, órgãos de imprensa e até mesmo a classe operária. Seu objetivo era criar um regime totalitário de partido único, nacionalista, anti-marxista e militarista.


Em 1922, o Partido Nacional Fascista (PNF) assumiu o poder na Itália. Ele fortaleceu sua influência no país angariando o apoio de industriais, empresários e do Vaticano, e tornou-se referência para regimes autoritários mundo afora - Francisco Franco na Espanha, António Salazar em Portugal e, sobretudo, Adolf Hitler na Alemanha. No quesito social, o partido pouco atuou, pois pregava que as diferenças entre ricos e pobres era natural, e que um sistema no qual os fortes devem prevalecer, os fracos devem ser submissos, aceitando sua condição. A seguinte frase de Mussolini representa bem o significado do fascismo: "Tudo no Estado, nada contra o Estado, e nada fora do Estado."


Apesar de pregar forte intervenção estatal, ser autoritário e contrário ao liberalismo e ao comunismo, o regime Fascista posiciona-se na extrema-direita do espectro político tradicional. O seu programa político é claro em "A Doutrina do Fascismo" (Benito Mussolini, 1932), afirmando: "Somos livres para acreditar que este é o século da autoridade, um século tendendo para a 'direita', um século fascista".

Adolf Hitler com o fascista Conde Galeazzo Ciano. Foto tirada antes da Segundo Guerra Mundial.(foto: Jared Enos - 1938 - original CC)
Adolf Hitler com o fascista Conde Galeazzo Ciano. Foto tirada antes da Segundo Guerra Mundial. (foto: Jared Enos - 1938 - original CC)

Nazismo - A palavra Nazismo surgiu da abreviação do Partido Nacional-Socialista ou Partido Nazista alemão. Apesar do nome, não existiu nenhum vínculo do partido com grupos de esquerda, e pela definição atual é considerado um movimento de extrema-direita. O termo "nacional-socialismo" surgiu a partir da tentativa de criar uma terceira via tanto ao socialismo marxista quanto ao capitalismo liberal das elites prussianas que fracassaram na República de Weimar.


Apesar disso, a ideologia rejeitava o conceito de luta de classes, assim como defendia a propriedade privada e as empresas de alemães. Assim como o Fascismo, o Nazismo defendia o controle total do Estado pelo partido, o ultranacionalismo, o militarismo e a crença da superioridade racial, mas em uma forma ainda mais radical. Em 1920, sob a liderança do austríaco Adolf Hitler, os nazistas começam a ganhar adeptos e a se estruturar, tendo como referência o Partido Fascista italiano. Depois de um golpe fracassado em 1924, Hitler escreveu Mein Kampf (Minha Luta - 1924) onde delineou o antissemitismo e o anticomunismo no cerne de sua filosofia política, bem como o seu desdém pela democracia parlamentar e sua crença no direito da Alemanha expandir seu território. Nele, defende temas da extrema-direita, como o argumento de que pessoas "superiores" têm o direito de dominar outros indivíduos e que a sociedade deve expurgar elementos supostamente "inferiores" (esse pensamento é expresso no conceito de “Darwinismo Social”).


Outro ponto que gera uma interpretação errada é a análise de forma superficial de alguns discursos de Hitler nos quais ele exalta o nacional-socialismo como uma vertente do socialismo. O fato era que ele expressava não uma forma tradicional do socialismo marxista, mas sim o socialismo como "exaltação do social".


Em 1933, com o apoio das elites alemãs, Hitler tornou-se chanceler e os nazistas gradualmente estabeleceram um regime unipartidário e totalitário, onde judeus, opositores políticos e outros elementos vistos como "indesejáveis" eram marginalizados, escravizados, presos e assassinados. Em 1934, Adolf Hitler tornou-se o "Führer", líder máximo que levaria a Alemanha e o mundo para a Segunda Guerra Mundial e aos horrores do Holocausto.

Poster de propaganda da União Soviética: por trás da aparência simpática havia uma ditadura brutal que assassinou milhões de pessoas.(foto: Glogster.com)
Poster de propaganda da União Soviética: por trás da aparência simpática havia uma ditadura brutal que assassinou milhões de pessoas. (foto: Glogster.com)

Socialismo - Refere-se a qualquer uma das várias teorias de organização econômica que advogam a administração e propriedade pública ou coletiva dos meios de produção e distribuição de bens, propondo-se a construir uma sociedade caracterizada pela igualdade de oportunidades e meios para todos os indivíduos, com um método isonômico de compensação. O socialismo moderno surgiu no final do século XVIII, tendo origem na classe intelectual e nos movimentos políticos da classe trabalhadora, que criticavam os efeitos da industrialização e da propriedade privada sobre a sociedade. Karl Marx afirmava que a luta de classes era responsável pela realidade social, e que este conflito inevitavelmente resultaria no socialismo através de uma revolução, e em seguida uma ditadura do proletariado,  tornando-se uma fase de transição do capitalismo para um novo modelo de sociedade que não seria dividido em classes sociais hierárquicas, num modelo essencialmente comunista. Nessa última fase não haveria mais propriedade privada.


Socialistas inspirados no modelo "Estado Operário Burocrático" de desenvolvimento econômico têm defendido a criação de economias de planejamento central dirigido por um Estado autoritário que controla todos os meios de produção. Esses regimes socialistas seriam caracterizados pelo domínio de uma casta burocrática; supressão, ou manutenção apenas na forma, dos organismos de base; planificação por essa burocracia, sem controle operário; alta hierarquização no serviço público; fusão de Estado e partido; e supressão da liberdade de imprensa. São exemplos desses regimes, a antiga União Soviética (Rússia atual) a partir da Nova Política Econômica (NEP), China, Coreia do Norte, Cuba e os países do Leste Europeu. Nos dias atuais, permanecem socialistas somente a China, Cuba e Coreia do Norte. Esses regimes são classificados de extrema-esquerda.

 

Artigo de Sociologia do Percurso Pré-Vestibular.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade