Publicidade

Estado de Minas HISTÓRIA DO BRASIL

Fake News e a História do Brasil

Como as mentiras viram verdades ao longo da história do país


postado em 09/04/2018 11:03 / atualizado em 09/04/2018 12:52

O avanço das tecnologias com a descentralização da comunicação da informação através dos microblogs, blogs e redes sociais, estão trazendo os boatos, as fake news (notícias falsas) e fraudes a um patamar preocupante.

 

A difamação de personalidades, mudanças na opinião pública com objetivo político, fraudes financeiras, destruição da imagem de empresas ou produtos são alguns dos resultados nefastos do mundo de hoje cada vez mais conectado. Mas isso é um sintoma sombrio das benesses do acesso a informação pela internet? A resposta é não, e o professor Newton Miranda vai te explicar como as fake news vem atuando e mudando os rumos da História do Brasil:

 

 

Veja se você é propenso a ser uma vítima de Fake News:

 

Se você acredita em tudo que recebe, acha que a maioria dos seus contatos são fontes confiáveis de informação ou do repasse delas, acha que uma mensagem sua na Internet pode salvar acabar com a fome do mundo ou fazer você ganhar um celular grátis de última geração e receber dinheiro gratuito das grandes corporações, acredita que blogs desconhecidos são uma fonte exemplar de notícias, da morte de alguma personalidade ou algum escândalo sem que tenha vista a notícia nos grandes meios de comunicação, duvida que os centros de pesquisa das maiores empresas desenvolvedoras de anti-virus (como Symantec, McAfee etc.) demorem mais do que algumas horas para desenvolver a detecção de cada novo vírus (real) que surge e, principalmente, repassa sem pestanejar todo alerta que recebe, cuidado: você (sim, você, não seu computador) está contaminado pelo vírus do Fake News.

 

Segundo mensagens do WhatsApp, essa suposta criatura - meio duende meio cachorro, foi flagrado dando um passeio próxima a casa da pastora Eliana em Feira de Santana na Bahia. Você acreditaria nessa notícia? Essa é uma das centenas de Fake News que os brasileiros recebem nas suas redes sociais.(foto: Internet)
Segundo mensagens do WhatsApp, essa suposta criatura - meio duende meio cachorro, foi flagrado dando um passeio próxima a casa da pastora Eliana em Feira de Santana na Bahia. Você acreditaria nessa notícia? Essa é uma das centenas de Fake News que os brasileiros recebem nas suas redes sociais. (foto: Internet)
 

 

A "cura" para as Fake News

 

  • Jamais repasse alertas. Deixe que sites especializados e boletins confiáveis divulguem alertas e denúncias sobre vírus, ameaças e vulnerabilidades de segurança. Se quiser repassar algo, repasse apenas links para este tipo de sites e serviços, com moderação.
  • Não seja ingênuo e não deixe que abusem de sua boa-fé ou seu desconhecimento.
  • Assuma que todo alerta ou notícia recebido por mensagens pessoais é fake news.
  • Faça uma análise crítica do que receber. Tenha pelo menos a curiosidade de entrar em buscadores e pesquisar por uma palavra-chave ou expressão relacionada à suposta ameaça no "alerta" recebido. Se for boato, você logo encontrará páginas sérias denunciando o falso alerta. Trate de arrumar um bom anti-virus com atualização diária automática.
  • Finalmente, conscientize-se: o e-mail, whatsapp, twitter, redes sociais pessoais não são um meio confiável nem tampouco adequado de divulgação em massa. Usado dessa forma, esses meios agem como a fofoca e o boato boca-a-boca, só que no mundo digital e em uma proporção incomodativamente maior, mais promíscua e muitas vezes criminosa.
Newton Miranda é professor de História no Percurso Pré-vestibular e Enem

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade