Publicidade

Estado de Minas

Programa capacita jovens para participar de Fóruns Internacionais

Intitulada Diplomacia Civil, a iniciativa é do Instituto Global Attitude


postado em 13/08/2019 17:04

Programa capacita jovens para participar de Fóruns Internacionais(foto: Educa Mais Brasil)
Programa capacita jovens para participar de Fóruns Internacionais (foto: Educa Mais Brasil)

Jovens com qualquer formação acadêmica e com idade entre 18 e 35 anos podem se inscrever no programa Diplomacia Civil. A iniciativa do Instituto Global Attitude tem a missão de engajar jovens brasileiros na agenda mundial através de capacitação e coordenação de delegações para conferências internacionais, permitindo assim que os futuros líderes tenham voz ativa no cenário externo. 


Desde 2011, o Instituto Global já coordenou a participação de mais de 350 jovens em programas internacionais. Hoje, a iniciativa está com inscrições abertas para duas delegações, com data de início para outubro e novembro deste ano. Interessados podem se inscrever até o dia 25 de agosto, através dos links: WGES e Nairobi - os links de inscrição também dão acesso aos editais. 


A primeira delegação será enviada no dia 18 de outubro ao World Green Economy Summit 2019, em Dubai, Emirados Árabes Unidos. O WGES é um dos principais fóruns globais sobre economia verde. Organizado pela World Green Economy Organisation e pelo Dubai Electricity & Water Authority, o evento reúne especialistas de setores críticos do mundo todo para debater os avanços da economia verde global e da agenda sustentável. 


No dia 10 de novembro, será enviada a segunda delegação. Em Nairobi, no Quênia, os participantes terão a oportunidade de participar do The Nairobi Summit 2019, promovido pelo Fundo de População da ONU juntamente com os governos do Quênia e da Dinamarca. A conferência é de alto nível e tem o objetivo de mobilizar ações políticas e econômicas dedicadas ao alcance dos direitos da mulher e de sua saúde reprodutiva e sexual.


Foi uma inquietação de Rodrigo Reis, Diretor Executivo e Fundador do Instituto Attitude que originou o programa Diplomacia Civil. Quando morava em Londres, Rodrigo percebeu que o Brasil estava muito atrás de outros países quando se tratava da presença ativa dos jovens debatendo temas importantes. 


"É uma oportunidade única. Uma maneira de aprendizado inovador. É imersivo. Eles vivenciam essa experiência internacional, na qual têm a chance de estar em locais com tomadores de decisões, com chefes de estados, ministros, diplomatas... Vivenciam tudo isso, não só de um ponto de vista acadêmico, mas também de um ponto de vista profissional", destaca Rodrigo. 


Tatiana Ramalho, coordenadora de programa do Global Attitude, enxerga o Diplomacia Civil como uma forma de inspirar os jovens a serem agentes de mudança. "Almejamos abastecer os jovens com conhecimento, esperança e coragem para que eles busquem ser e fazer parte da mudança que querem ver no mundo. Também os conectamos a pessoas chave no cenário internacional que podem os ajudar nas suas missões. Contribuímos com a formação de líderes que podem, desde já, fazer a diferença pelo nosso país e pelo nosso planeta". 


Fóruns Internacionais: como participar


Ao acessar o link de inscrição de cada delegação aberta, será necessário preencher um formulário eletrônico e anexar currículo. O critério de seleção dos interessados leva em conta tanto a trajetória acadêmica e profissional; motivação pessoal para participar; nível de inglês e engajamento com temáticas relacionadas ao fórum. 


O programa é pago e para participar é necessário um investimento de, em média, R$10 mil. Mediante a realização do pagamento, o participante terá acesso ao credenciamento no evento, passagens aéreas de ida e volta, acomodação em hotel, seguro saúde, workshops de capacitação, supervisão e orientação para redação do artigo de pesquisa, e certificado de participação. 


Através dos editais, é possível conferir quais são os outros benefícios concedidos, saber mais informações sobre os fóruns, conhecer as etapas de seleção e esclarecer outras dúvidas sobre as delegações. Também é possível entrar em contato com o Diplomacia Civil através do e-mail: contato@diplomaciacivil.org.br ou (11) 3957-0488.


Fazendo a diferença 

 
O advogado Gabriel Miceli, de 29 anos, faz parte dos 350 jovens participantes do programa. Pensando em fazer a diferença no setor público do seu país, Gabriel agregou na delegação que embarcou para a European Development Days, em Bruxelas, e desde então, vem tentando viabilizar para que outros jovens também tenham a possibilidade de passar por essa experiência. 


Gabriel também é conselheiro titular do Conselho Municipal da Juventude, que tem a proposta de parceria entre o Instituto Global Attitude e Conselho para viabilizar a ida de outros jovens. "Acho importante que os jovens participem, para que eles se mantenham conectados com outras realidades, entendam como outros países enfrentaram as suas desigualdades e, de alguma forma, pensem soluções locais para os nossos problemas. Foi assim que eu voltei de lá, muito motivado", garante. 


Assim como Gabriel, Daniela Godoy e Letícia Rizéiro também tiveram suas vidas transformadas. Daniela participou por dois anos consecutivos em fóruns globais intergovernamentais para a igualdade de gênero e o empoderamento de meninas e mulheres no Sistema ONU. Já Letícia participou do World Urban Forum 9, em Kuala Lumpur, Malásia, em 2018. 


"Hoje, penso de forma mais ampliada em meu plano de carreira e projeto de vida enquanto cidadã do mundo e busco aplicar em meus projetos profissionais as informações das experiências bem-sucedidas às quais tive acesso por meio da participação no Programa para a melhoria da situação de meninas e mulheres em minha comunidade", contou Daniela. 


Para Letícia, ser membro da delegação deu legitimidade a sua candidatura em outros programas. Entretanto, ela consegue mensurar ganhos ainda maiores. "Acredito que o que mais impactou minha vida foi, na verdade, ter a confirmação do caminho que eu sigo agora, que é a implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, em especial o ODS 11 (Cidades e comunidades sustentáveis). Participar do Diplomacia Civil foi confirmar a pessoa que eu gostaria de ser, o impacto que quero fazer e o mundo que quero construir", conclui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade