Publicidade

Estado de Minas

Colégio Santo Antônio recebe selo da Unesco

Instituição de ensino de Belo Horizonte é agora integrante da rede de Programa de Escolas Associadas da instituição internacional, um reconhecimento pela sua atuação na educação


postado em 09/10/2018 06:00 / atualizado em 09/10/2018 07:58

Alunos na entrada do Colégio Santo Antônio: escola já exibe o selo, concedido a instituições que se destacam na educação humanista e promovam a paz (foto: Túlio Santos/EM/DA Press)
Alunos na entrada do Colégio Santo Antônio: escola já exibe o selo, concedido a instituições que se destacam na educação humanista e promovam a paz (foto: Túlio Santos/EM/DA Press)

Perto de completar 110 anos de história em Minas, dos quais seis décadas em Belo Horizonte, o Colégio Santo Antônio (CSA) conquista uma certificação importante na sua “vida escolar”. A instituição de ensino, com sede na Rua Pernambuco, na Savassi, na Região Centro-Sul da capital, tornou-se integrante da rede de Programa de Escolas Associadas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (PEA/Unesco). Considerado um selo na área educacional, o documento oficial foi entregue ao diretor pedagógico frei Vicente, no Encontro Nacional 2018, em Salvador (BA), com a presença de escolas da América Latina.


O certificado já foi entregue a escolas de 130 países, sendo o quinto em BH – os colégios Magnum, Padre Eustáquio, Santa Marcelina e Bernoulli o receberam – e sexto em Minas (Escola Estadual Dom Velloso, de Ouro Preto. “Ser uma escola associada representa a qualidade dos serviços educacionais que prestamos, sempre guiados pelos valores universais preconizados pela Unesco. Isso mantém o nosso compromisso com as famílias que nos escolhem para auxiliá-las na educação e na formação de seus filhos”, diz frei Vicente. Já para a Unesco, pertencer ao programa revela “um compromisso com a qualidade e a prática de uma educação humanista, que promova a paz, a sustentabilidade e o encontro entre os povos e as culturas”.


Com 3,1 mil alunos, o CSA já ostenta duas placas, na entrada e na área interna, mostrando a certificação, o que serve de motivação e orgulho para alunos e professores, segundo a direção. Satisfeito, o coordenador pedagógico, Olavo Sérgio Campos, informa que os objetivos da Unesco se harmonizam com o trabalho e os ideais franciscanos desenvolvidos no colégio administrado pela Província Franciscana de Minas Gerais.

DIREITOS HUMANOS
“Fazemos um trabalho de educação voltado para a cultura da paz, desenvolvimento sustentável, estímulo à criatividade e valorização da diversidade cultural”, afirmou Campos. As atividades se traduzem por muitas práticas, como as feiras de educação, campanhas de solidariedade e ações em prol “dos direitos humanos, da democracia”, disse o coordenador pedagógico.


Com a conquista do selo do Programa de Escolas Associadas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (PEA/Unesco), ampliam-se os horizontes, acredita Campos. “Poderá haver troca de experiências e participação em palestras e viagens internacionais, sempre tendo como meta a cultura da paz”, acrescenta.


Ao retornar ontem de Ouro Preto, a coordenadora regional da Unesco em Minas e diretora do Colégio Padre Eustáquio, Amália Kátia Ferreira Mendes, adiantou que o Encontro Nacional 2019 será realizado nessa cidade mineira, já que o tema será patrimônio histórico, e reconhecida como Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Lembrando que a certificação é concedida a escolas públicas e privadas, Amália Kátia disse que o Japão é o líder mundial, seguido do Brasil.


O PEA/Unesco atua no campo da educação e da cidadania e objetiva criar uma rede internacional comprometida com a missão de uma cultura de paz. Essas escolas formam uma comunidade organizada e ativa, que atua pelo ideal de uma educação melhor. Para ser associada, “a escola precisa comprovar o compromisso com os princípios da Unesco, além de realizar projetos relacionados à cidadania, à solidariedade e ao bem-estar social.”

HISTÓRIA O Colégio Santo Antônio foi fundado em São João del-Rei, na Região do Campo das Vertentes, em 1909, pela Ordem dos Frades Menores. De acordo com pesquisas, ele se firmou como “instituição referência em educação, recebendo estudantes de diversas regiões brasileiras, atraídos pela imagem de excelência acadêmica e de sólida formação humana e religiosa”.


Em nota, a direção do CSA informa que a educação oferecida tem como base norteadora “a pedagogia franciscana”, e que, portanto, “tal fonte de inspiração pedagógica foi herdada de São Francisco de Assis, haja vista que, através de seu modo de viver, pregou à sociedade o respeito mútuo, a solidariedade humana, o cuidado com o próximo e com os animais; e a paz entre os homens”.


E mais: “A proposta educacional visa à formação do aluno a partir de uma perspectiva que prima pelos princípios cristãos e os valores humanos, tais como a ética, a responsabilidade, a solidariedade e o respeito ao bem comum; os princípios políticos dos direitos e deveres de cidadania, o exercício da criticidade e do respeito à ordem democrática; os princípios estéticos da sensibilidade, da criatividade e da diversidade de manifestações artísticas e culturais”. (GW)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade