Publicidade

Estado de Minas

Hoje é comemorado o Dia da Televisão

Confira historias inspiradoras de quem trabalha na TV e de quem migrou para outra tela


postado em 10/08/2018 11:27

Hoje é comemorado o Dia da Televisão(foto: Educa Mais Brasil)
Hoje é comemorado o Dia da Televisão (foto: Educa Mais Brasil)

Hoje (11.08), é comemorado o Dia da Televisão. O principal meio de comunicação criado no século XX foi a televisão. Com o surgimento de outras telas, como o celular e o computador, a produção audiovisual ganha outros formatos, mas continua conquistando o público. 


Ainda existem os que adoram acompanhar a novela ou um telejornal diário enquanto estão em casa. Há ainda aqueles que deixam o aparelho ligado só para não se sentirem sozinhos assim como os que não desgrudam os olhos do celular para acompanhar cada conteúdo lançado no Youtube pelo seu blogueiro favorito. 


Desde 11 de agosto de 1958, comemora-se o Dia da Televisão. Porém, esse dia não se refere ao primeiro registro televisivo ou à invenção do primeiro aparelho. A data foi instituída em homenagem a Santa Clara de Assis, que foi declarada padroeira deste meio de comunicação pelo Papa XII. Uma curiosidade: nos anos 90, aconteceu uma mudança no calendário. Através da Lei 10.255 de 9 de junho de 2001, o Dia Nacional da Televisão passou a ser comemorado também em 18 de setembro, em lembrança à primeira transmissão televisiva no Brasil. Por esse motivo, temos duas datas para comemorar. 


Além dos programas de entretenimento, a televisão também cumpre um papel importantíssimo na formação da opinião pública. E o principal responsável por transmitir informação de qualidade e prender a atenção dos telespectadores são os Jornalistas. São eles que aproximam o público dos principais acontecimentos da sua cidade e até do mundo. 


Antes muito associada ao glamour, trabalhar em tv nos dias atuais requer talento e muita dedicação. A mineira Camila Marinho tinha dois sonhos. O primeiro, era se tornar médica. A segunda opção era formar em jornalismo. "Esses desejos sempre foram meus. Ninguém da minha família trabalhava nessas áreas", contou. Quando cresceu, ela descobriu que não levava jeito para medicina. O amor pelo jornalismo falou mais alto. 


Logo no início da carreira, Camila já sabia que iria trabalhar na televisão mas nunca tinha se imaginado apresentadora de um telejornal. A mineira já chegou à capital baiana com a oportunidade de trabalhar na Rede Bahia, filiada à Rede Globo, onde atua há 13 anos. A dedicação por trás das câmeras a levou para o posto de âncora do principal jornal da emissora. "Hoje, não consigo me imaginar fazendo outra coisa. No jornalismo, conversamos diretamente com as pessoas que estão em casa e isso acaba gerando uma grande aproximação".


No momento, Camila se prepara para um novo desafio, ainda mantido em sigilo. "O que posso antecipar é que será um programa bastante inovador que vai mostrar a cara da Bahia", revela a jornalista que está sempre atenta aos desafios da profissão. "O jornalismo não é só glamour. A televisão está sempre se reinventando e junto com ela, precisamos nos reinventar, nos reciclar e fazer algo que seja diferente, criativo e atrativo". Ativa nas redes sociais, a jornalista observa as novas mídias de forma positiva. "A internet precisa ser vista como aliada. Além de permitir que a gente se conecte mais com o público, através dela, temos a possibilidade de mostrar quem realmente somos", concluiu. 


Televisão? Não! 


A jornalista Jeniffer Geraldine, que atua há oito anos na profissão, também enxerga a internet como uma aliada. Por esse motivo, criou um canal no Youtube que leva o seu nome. No seus vídeos, ela faz análises de livros, filmes e séries. "No canal, as pessoas vão encontrar a minha opinião, as minhas preferências e dicas. O objetivo é falar, pensar e refletir sobre a vida através da literatura", define. 


Cursar jornalismo foi um sonho que se revelou às vésperas do vestibular. Antes de optar por jornalismo, a vontade era fazer Letras, formação da sua mãe e carreira bem relacionada às suas duas maiores paixões: a escrita e a leitura. "Quando o jornalismo apareceu na minha vida, veio também a oportunidade de fazer algo diferente e, ainda assim, conciliar com minhas duas paixões". 


Desde 2010, Jeniffer já atua na comunicação digital, mas sua conexão com o universo cibernético é bem antiga. Muito antes de ingressar na faculdade, ela já tinha um blog que era uma espécie de diário virtual. "Quando o Youtube chegou percebi que era o momento de expandir a minha atuação. 

Confesso que demorei para me render totalmente ao formato de vídeo. Comecei lentamente. É preciso muita organização e disciplina para produzir sozinha conteúdo nesse formato. Só em 2017 que comecei a focar mais e planejar a produção semanal dos vídeos", conta. 


Apesar de não estar na televisão tradicional e ter que decidir sozinha sobre as suas pautas, Jeniffer considera o trabalhar com o Youtube igualmente desafiador. "Além daqueles que considero de ordem pessoal, como disciplina e planejamento, o maior desafio é a própria plataforma. O YouTube tem suas regras e temos que segui-las. Não é tudo tão simples como parece. É preciso entender, estudar, como funciona. E tudo isso é dinâmico. Hoje é de um jeito, amanhã pode ser de outro. Assim é a internet", define. 


Seja nos canais tradicionais ou em plataformas mais modernas, quem se dedica a comunicar através dos meios audiovisuais tem paixão pelo que faz. A rotina intensa de trabalho e a necessidade constante de aprender e inovar fazem parte do dia a dia destes profissionais que não pensam em viver longe das câmeras. Os telespectadores agradecem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade