Publicidade

Estado de Minas

Professoras de Sabará usam mankala e xadrez para estimular criatividade e alunos


postado em 25/09/2015 06:00 / atualizado em 25/09/2015 07:55

(foto: Cristiane Mendes Pinto Rezende/Divulgação)
(foto: Cristiane Mendes Pinto Rezende/Divulgação)

Um jeito criativo e inteligente de aprender, manter firme a concentração nos estudos e levar adiante as tarefas da escola. As professoras Cristiane Pinto, de educação física, e Sônia Teodora, de matemática, da Escola Estadual Christiano Guimarães, de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, se uniram em torno de uma ideia simples e com bons resultado na sala de aula. A partir de dois jogos, o mankala, de origem africana, e o xadrez, as turmas de 6ª e 7ª séries – cerca de 150 alunos, na faixa etária de 11 a 13 anos – têm respondido com interesse e disciplina. “O mankala é um jogo com contas, então permite a aprendizagem de matemática, e o xadrez exige muita atenção, portanto, temos o lúdico e o conhecimento juntos”, diz Cristiane, explicando que o projeto entrou em ação em junho e culminou num torneio que premiou com medalhas e certificados os alunos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade