Publicidade

Estado de Minas

Goleiro Bruno fica cara a cara com Dayanne e pede divórcio


postado em 06/05/2011 06:24 / atualizado em 06/05/2011 07:12

O goleiro Bruno Fernandes recebeu as filhas quinta-feira na Penitenciária Nelson Hungria, onde aguarda julgamento pelo sumiço e suposta morte da ex-modelo Eliza Samudio, em visita assistida liberada pela Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi). A mulher dele, Dayanne de Souza, levou as meninas e ouviu um pedido formal de separação. Segundo o advogado de Dayanne, também ré no processo, a defesa vai avaliar as condições propostas. Procurada, Dayanne não quis comentar o encontro.

A visita aconteceu às 10h30. Dayanne passou por revista e pôde conversar com o goleiro por meia hora em uma sala de atendimento do núcleo de assistência social do presídio. Com as meninas Bruno foi carinhoso, deu abraços e muitos beijos. De acordo com o advogado Francisco Simim, que esteve com o preso logo depois, o ex-capitão do Flamengo demonstrou preocupação com a situação financeira da família e disse estar confiante. Ele não via as filhas havia seis meses.

“Ele pediu para ver as filhas. Não encontrava com elas desde a audiência. Bruno chorou muito e apenas uma assistente social acompanhou a visita, porque a conversa que ele queria ter com Dayanne era de foro íntimo. Ele queria tratar do assunto do divórcio. Já estava com esse ânimo porque está encantado com a noiva. Mas a mulher da vida dele é Dayanne e ela respeita a decisão. Só está preocupada em proteger as meninas e a ela mesma. Vamos amadurecer essa ideia”, afirmou o advogado de Dayanne, que ficou muito abalada depois que a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais negou por unanimidade o pedido de habeas corpus apresentado pelo advogado do goleiro, Cláudio Dalledone.

A Secretaria de Estado de Defesa Social informou que Dayanne solicitou a visita para as filhas. A mulher de Bruno não poderia visitá-lo porque responde ao mesmo processo criminal. De qualquer maneira, ela não foi cadastrada pelo atleta, que incluiu a noiva Ingrid Oliveira como companheira. A autorização da visita assistida foi dada às filhas menores que, por causa da idade, não poderiam ir sozinhas. Nos fins de semana, as crianças não são levadas pela avó de Bruno, dona Estela, por motivo que a secretaria desconhece. Como não havia outro parente apto para levar as meninas, a Suapi autorizou a entrada de Dayanne, responsável legal pelas crianças. O órgão informou que esse não foi um benefício concedido exclusivamente para o goleiro Bruno e que qualquer outro preso pode solicitar uma visita nessas condições.

O atleta está preso há dez meses, acusado de sequestrar, assassinar e ocultar o corpo da modelo Eliza Samudio, que tentava provar na Justiça a paternidade do filho. Por causa do quadro psicológico de depressão, Bruno divide a cela com o fiel amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, que responde pelos mesmos crimes.

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade