Publicidade

Estado de Minas

Ércio Quaresma responde acusações pelo twitter


postado em 13/10/2010 09:10 / atualizado em 13/10/2010 09:28

Procurado pela imprensa desde domingo, quando foi acusado de ameaça de morte pela dentista Ingrid de Oliveira, de 24 anos, noiva do goleiro Bruno Fernandes de Souza, de 26, o advogado do jogador, Ércio Quaresma, não apareceu em seu escritório e manteve o telefone celular desligado nos últimos dias. Mas, na tarde de terça-feira, arranjou tempo para usar o microblog Twitter, onde comentou os últimos acontecimentos. Com a mesma ironia que vem mantendo desde que assumiu a defesa de Bruno, apontado pela polícia como mandante do assassinato de Eliza Samudio, Quaresma disse que as denúncias feitas pela dentista são falsas. “Ingrid, por favor, você é temente a Deus, não fale mentiras. É feio”, escreveu o advogado.

A dentista afirmou ter sido ameaçada depois que incentivou Bruno a trocar de advogado. Também acusa Quaresma de instruir o goleiro a tentar suicídio, cortando os pulsos, com o objetivo de usar o drama do atleta para tentar conseguir regalias na cadeia para o cliente. O amigo e ex-procurador de Bruno Vitor de Almeida Carvalho, outro que afirmou ter sido ameaçado por Ércio Quaresma, também foi citado no por ele no Twitter: “Vitinho, além de calhorda, está com medo. Vou compar uma caixa de fraudas (sic) para a criatura”, postou, escorregando na grafia.

O advogado anunciou seu acesso no microblog com a frase “Bruno, voltei”. “Aos seguidores, desculpem-me estar tratando deste assunto aqui, mas, como parei para descansar dois dias, retornei com esta ‘marola’ de acusações. Coisa de nada”, escreveu. Quaresma afirmou ser odiado por Ingrid, Vitor e incluiu Estela Souza, de 80, avó do jogador, entre os desafetos. Na semana passada, ela afirmou que a família de Bruno sofreu ameaças por ter se manifestado favorável à troca da defesa do goleiro. “Quem é mais odiado: Quaresma ou Bin Laden?”, ironizou.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil seção Minas Gerais (OAB-MG), Luís Cláudio da Silva Chaves, informou que será enviado nesta quarta-feira ofício à Subsecretaria de Estado de Administração Prisional (Suapi) pedindo autorização para que o jogador seja ouvido pela instituição, a fim de esclarecer as denúncias contra Quaresma feitas por pessoas ligadas a ele. “Será um depoimento espontâneo, ele não é obrigado a participar dessa conversa. Nós queremos saber se as denúncias realmente procedem”, afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade