Publicidade

Estado de Minas

Até R$ 9,4 mil: TJAM vai abrir concurso e já contrata banca organizadora

Serão 160 vagas para assistente e analista judiciário


postado em 03/06/2019 16:30 / atualizado em 06/06/2019 05:31

(foto: Divulgação/TJAM)
(foto: Divulgação/TJAM)
O Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM) anunciou que vai abrir novo concurso público! Os preparativos já estão avançados, já que a banca organizadora já foi contratada. O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) foi a empresa escolhida para realização do certame. 
 
Serão ofertadas 160 vagas, e formação de cadastro reserva, para os cargos de assistente judiciário (nível médio) e analista judiciário (nível superior). As remunerações podem variar de R$ 4.840,70 a R$ 9.428,49. 

Os candidatos poderão optar entre as áreas de programador, suporte ao usuário de informática, técnico de segurança do trabalho, analista de sistemas, arquivologia, biblioteconomia, contabilidade, direito, engenharia civil, estatística, médico do trabalho, psicologia e serviço social. 

A seleção será realizada por prova objetiva e avaliação de títulos. Os candidatos que concorrerão às vagas da 1° Sub-região (Atalaia do Norte, Benjamin Constant, São Paulo de Olivença, Santo Antônio do Içá, Tabatinga e Amaturá) farão prova exclusivamente em Tabatinga. 

Para os da 9ª Sub-região (Parintins, Barreirinha, Boa Vista do Ramos, Nhamundá, São Sebastião do Uatumã e Urucará) as provas serão realizadas em Parintins. Os candidatos que concorrerão às vagas da capital, farão prova exclusivamente em Manaus. 
 

Último concurso

O último concurso do TJAM ocorreu em 2013 e ofertou 300 vagas para os cargos de auxiliar, analista e assistente judiciário. As remunerações variaram de R$ 1.823,75 a R$ 6.787,06. 

A seleção foi realizada por prova objetiva e avaliação de títulos. Para nível médio a prova objetiva de nível fundamental contou com discplinas de língua portuguesa, raciocínio lógico quantitativo, noções de informática, legslação institucional e noções de direito constitucional e administrativo.

Para nível médio houve disciplinas de legislação do Estado do Amazonas, direito - constitucional, administrativo, civil e processual civil, penal e processual penal. Já para superior houve questões de língua portuguesa, noções de informática, legislação do Amazonas, direito processual civil, processual penal, constitucional, administrativo, civil e penal. 


* Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade