Publicidade

Estado de Minas OPORTUNIDADE

Empregadores preveem contratações em 2019

Telecon, indústria automotiva e logística são setores estratégicos para alavancar o número de colocações no estado, segundo a Pesquisa de Expectativa de Emprego do ManpowerGroup para o segundo trimestre deste ano


postado em 20/03/2019 11:34 / atualizado em 20/03/2019 11:35

Érika Destro, diretora do ManpowerGroup, diz que o setor de comércio & varejista é o que tem maior intenção de contratação(foto: ManpowerGroup/Divulgação)
Érika Destro, diretora do ManpowerGroup, diz que o setor de comércio & varejista é o que tem maior intenção de contratação (foto: ManpowerGroup/Divulgação)


O mercado está ou não reagindo? Certo é que o otimismo dos empresários está melhor, ainda que o emprego real esteja patinando. Pelo menos, pesquisas importantes revelam dados animadores. A Pesquisa de Expectativa de Emprego do ManpowerGroup para o segundo trimestre de 2019, feita por meio de entrevistas com uma amostra representativa de 850 empregadores no Brasil, mostra bons resultados. A seguinte pergunta foi feita a todos os participantes: “Qual a sua previsão de variação no número total de colaboradores em seu local de trabalho nos próximos três meses, até o final de junho de 2019, em comparação com o trimestre atual?”.

Os empregadores brasileiros revelam intenções de contratação levemente otimistas para o segundo trimestre de 2019. Enquanto 18% dos empregadores preveem aumento no nível de contratação, 8% preveem diminuição e 71% não esperam nenhuma alteração, o que resulta em uma expectativa líquida de emprego de 10%. Quando os dados são reajustados para permitir uma variação sazonal, a expectativa se mantém em 7% pelo terceiro trimestre consecutivo. As intenções de contratação permaneceram inalteradas na comparação trimestral e na comparação anual.

Espera-se que os níveis de contratação aumentem em todas as cinco regiões (estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná, mas a cidade de São Paulo) no próximo trimestre. Os empregadores no estado do Paraná relataram as intenções de contratação mais fortes, com expectativa líquida de emprego de 15%, e há previsão de aumento nos níveis de contratação em São Paulo, onde a expectativa é 12%. Com relação às outras regiões, espera-se um ritmo de contratação moderado em Minas Gerais, 7%, ao passo que as expectativas são de 3% e 2% na cidade de São Paulo e no Rio de Janeiro, respectivamente.

Érika Destro, diretora do ManpowerGroup, explica quais as razões para que, como mostra a pesquisa no recorte comparativo por região, Minas Gerais tenha expectativa de contratação moderada: “Os participantes da pesquisa respondem à pergunta sobre a previsão de variação no número total de colaboradores em seu local de trabalho nos próximos três meses, em comparação ao trimestre atual. A pesquisa não entra em detalhes sobre os motivos dessas alterações. Apesar dessa leve queda registrada na pesquisa, em nossa atuação em Minas Gerais, temos percebido um início de ano promissor para setores estratégicos como telecon, indústria automotiva e logística”.

COMÉRCIO Pode parecer contrassenso, no entanto, a pesquisa aponta para contratações no setor de mineração. Érika Destro justifica o resultado: “Entre os setores pesquisados, o de mineração é um dos mais otimistas com intenção de contratação de 15%, crescimento de 5 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano passado, quando estava com 10%. Os números só não são melhores do que os indicadores de comércio atacadista & varejista, que apareceu na pesquisa com 16%. Apenas para reforçar, esses dados se referem a todo o Brasil. A pesquisa não faz distinção regional quando se trata dos dados separados por setores”.

As intenções de contratação mais fortes são relatadas no setor de comércio atacadista & varejista e no de agricultura, pesca & mineração, com a expectativa líquida de emprego de 16% e 15%, respectivamente. Os empregadores do setor de finanças/seguros & imobiliário preveem um ritmo de contratações estável com expectativa de 11% e os empregadores do setor de serviços relatam expectativa de 7%. Entretanto, os empregadores do setor de construção preveem uma redução no nível de contratações e relatam expectativa de -5%.

Os empregadores participantes da pesquisa são classificados em quatro categorias, conforme o porte da empresa: microempresas, com menos de 10 funcionários; pequenas empresas, com 10 a 49 funcionários; médias empresas, com 50 a 249 funcionários; e grandes empresas, com mais de 250 funcionários. Os empregadores em duas das quatro categorias de porte de empresas estimam um aumento das contratações no segundo trimestre de 2019. Os empregadores das grandes empresas relatam intenções de contratação fortes com expectativa líquida de emprego de 21%, e a expectativa dos empregadores das pequenas empresas fica em 6%. Nos outros casos, os empregadores estimam uma redução no nível de contratação, com empregadores de microempresas e empresas de médio portes, relatando expectativas de -3% e -1%, respectivamente.

As intenções de contratação melhoram em 3 pontos percentuais para empregadores de empresas de pequeno e grande porte, em comparação ao trimestre anterior. Entretanto, as expectativas diminuem 6 pontos percentuais para empregadores de empresas de médio porte e 4 pontos percentuais para empregadores de microempresas. Na comparação anual, as expectativas aumentaram 5 e 2 pontos percentuais para empregadores de pequenas e grandes empresas, respectivamente. Os empregadores de microempresas relatam intenções de contratação relativamente estáveis e a expectativa para empresas de médio porte apresenta queda de 3 pontos percentuais.

Vale destacar que a Pesquisa de Expectativa de Emprego do ManpowerGroup mede trimestralmente o nível de confiança das contratações. A pesquisa deste trimestre, além de comparações regionais e globais, está disponível em www.manpowergroup.com/meos. A próxima pesquisa será lançada em 11 de junho e apresentará uma previsão da atividade do mercado de trabalho para o terceiro trimestre de 2019. 


Publicidade