Publicidade

Estado de Minas CARREIRA

Quais são os motivos para mudar de emprego?

Pesquisa feita pela Catho aponta que 93% das pessoas desejam um novo emprego em 2019. Saiba o que pode incentivá-lo a dar esse novo passo profissional


postado em 14/03/2019 12:01 / atualizado em 14/03/2019 12:36

(foto: Adam Troudart/Freeimages)
(foto: Adam Troudart/Freeimages)

 
Ter um novo emprego é o grande desejo dos brasileiros para este ano, como revelou a Catho durante um levantamento com mais de cinco mil respondentes. Segundo a pesquisa, 93% desejam um novo trabalho em 2019. Muitos são os fatores que estimulam trabalhadores a procurar novas oportunidades no mercado: não se sentir bem no atual local de trabalho, querer trocar de carreira e alçar novo voos profissionais ou, até mesmo, não ter um bom relacionamento com o chefe e colegas.

Para a gerente da Catho, Bianca Machado, é comum passar pelo dilema entre aceitar uma nova proposta de trabalho ou decidir continuar no emprego atual. "Nem sempre o fator que determina a mudança são salários, cargos ou ambiente de trabalho. Às vezes, a análise é mais profunda e é necessário levantar os prós e contras da decisão. As pessoas mudam e os seus desejos profissionais também. Almejar novos desafios é um grande estímulo para crescer na carreira."
 

ARRISCAR OU NÃO ARRISCAR
 
Fique por dentro de cinco principais motivos para repensar o seu momento atual de carreira e ir em busca de novos desafios:

1 – Desejo de mudar a área de atuação
Diante de um cenário cada vez mais competitivo, é necessário se reinventar. Uma das alternativas praticadas pelos profissionais é a mudança de carreira. Pesquisa da  Catho aponta que 86% aceitam mudar de área quando procuram um novo emprego. E que 7% dos profissionais que pediram demissão têm vontade de atuar em uma nova área.

2 – Falta de plano de carreira
A insatisfação profissional tem sim uma conexão direta com a existência ou não de um planejamento de carreira. Pesquisa feita pela Catho e a Consultoria Etalent aponta que ter um plano de carreira aumenta em 66% as chances de ser feliz na vida profissional. Os trabalhadores que colocam metas profissionais e se planejam para conquistá-las têm mais chances de alcançar uma vida de sucesso.

3 – Não gostar do que faz
Sendo a rotina de um trabalhador, ocupada por mais de 8 horas diárias no ambiente de trabalho, fazer o que não gosta dá muito mais trabalho. Queda de desempenho, desânimo, estresse e problemas de saúde são alguns dos resultados acumulados ao longo do tempo. Para essa decisão é indispensável ter autoconhecimento, identificar os incômodos e encontrar as melhores possibilidades para uma carreira saudável.

4 – Salário abaixo do mercado
Aceitar salários abaixo da pretensão salarial para conseguir uma recolocação no mercado de trabalho foi a solução para muito profissionais driblarem o momento de crise. Porém, quando essa posição se mantém e não há valorização profissional compatível às remunerações ofertadas pelas empresas, é hora de pensar se está na hora ou não de procurar um novo emprego.

5 – Má relação com o chefe ou gestor
A relação com o chefe costuma ser um ponto importante na permanência ou não de um emprego. Em outro levantamento feito pela Catho com mais de 480 respondentes, 50% dos profissionais já deixaram o emprego por causa do chefe. Entre as características que são mais incômodas, destacam-se falta de liderança, falha de caráter, que é obter os créditos para ele e destinar as críticas somente aos subordinados, e ser grosseiro/estressado demais.
 


Publicidade