Publicidade

Estado de Minas CARREIRA

Capacitação profissional reflete nos resultados da empresa

Investimento no colaborador não deve ser encarado como despesa para as organizações. Os constantes treinamentos de equipe garantem assertividade, produtividade e solucionam problemas


postado em 20/02/2019 11:55 / atualizado em 20/02/2019 12:49

(foto: geralt/Pixabay)
(foto: geralt/Pixabay)

 
O investimento em capacitação, cada vez mais, se consolida como importante diferencial competitivo. Por mais que a empresa trabalhe com ideias modernas, seja inovadora e tenha processos bem planejados, se não houver qualificação dos colaboradores, a equipe corre o risco de ficar estagnada, o que refletirá no negócio como um todo.

A capacitação profissional é um dos principais caminhos para assegurar a qualidade dos profissionais e alcançar o sucesso. Fabiano Melo, empreendedor na Conexão & Foco – Desenvolvimento Humano e Empresarial e agente de desenvolvimento (PMD Pro®), enfatiza que “quando analisamos uma conquista, encontramos, na sua essência, o ser humano, seu incrível potencial intelectual, muito estudo e treinamento. No campo das possibilidades, a capacitação profissional é aquele passo importante que transforma informação em conhecimento, conhecimento em prática e prática em resultado”.

 Fabiano Melo, empreendedor e agente de desenvolvimento, afirma que a capacitação transforma informação em conhecimento(foto: Arquivo Pessoal)
Fabiano Melo, empreendedor e agente de desenvolvimento, afirma que a capacitação transforma informação em conhecimento (foto: Arquivo Pessoal)
Para Fabiano Melo, o resultado está diretamente ligado a uma combinação de técnica e competências pessoais e a sinergia entre essas duas variáveis produzem resultados extraordinários. “A capacitação profissional apresenta-se como a grande oportunidade para irmos além da técnica e trabalhar o processo criativo, decisório, a motivação, fomentar a cocriação, a cooperação e a inovação.”

Conforme Fabiano Melo, outro ponto importante nesse universo de aprendizado é não perder de vista a missão organizacional e considerá-la como ponto de partida e não apenas como ponto de chegada. “Investir na capacitação profissional é trilhar o caminho das conquistas corporativas. É valorizar o funcionário, a informação, o conhecimento individual e coletivo. É desenvolver competências específicas para o exercício do negócio. É atitude que transforma conhecimento em produtividade.”

EDUCAÇÃO A verdade é que os constantes treinamentos de equipe garantem assertividade, produtividade, solucionam problemas e corrigem comportamentos inadequados. Na empresa de vestuário masculino Cia. do Terno, que conta com 167 lojas, em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal, mais de 1.500 funcionários passam frequentemente por programas de capacitação. “Atualmente, temos 15 executivos cursando pós-graduação com ênfase em gestão de pessoas, projetos, finanças, negócios, marketing e mercados, na Fundação Dom Cabral. Isso representou investimento de R$ 400 mil, em 2018”, afirma Ana Paula Andrade, coordenadora de RH da empresa.

Regularmente, a empresa promove workshops para treinamento e reciclagem em sua matriz para os novos e antigos gerentes de todo o Brasil. “São dias enriquecedores, de muito aprendizado, porque temos a oportunidade trocar experiências e conhecer pessoalmente os nossos colegas”, declara a coordenadora. Só em 2018, foram cinco encontros e o investimento total foi de cerca de R$100 mil. Os supervisores regionais também participam de encontros a cada três meses, para alinhamento de estratégias, troca de experiências, estímulo do espírito de equipe e união e padronização do atendimento em todo o Brasil.

Equipe da Cia do Terno recebe certificado de treinamento(foto: Arquivo Pessoal)
Equipe da Cia do Terno recebe certificado de treinamento (foto: Arquivo Pessoal)

 
O desenvolvimento do capital humano na Cia. do Terno foi planejado para todos os níveis hierárquicos. Em parceria com o AloShopping (Associação dos lojistas de Shopping Centers de Minas Gerais) e outras instituições, são ofertados cursos de capacitação nas áreas de venda, liderança e gestão, bem como atualização em questões legais e operacionais e palestras.

Outra parceira da companhia é a escola Nani Língua Portuguesa, que oferece curso de reciclagem em gramática e redação. “Até agora, cerca de 40 funcionários participaram do treinamento e também puderam aprender sobre comunicação profissional, postura, tom de voz e vícios de linguagem, entre outros. Em novembro de 2018, iniciamos o curso de matemática básica e intermediária. Investimos em educação e aperfeiçoamento, porque sempre acreditamos que podemos fazer melhor como empresa e como pessoas. Temos muitos profissionais capazes, que, por força da desigualdade social, tiveram um ensino básico defasado. Tentamos amenizar essa deficiência e impulsionar o potencial de cada um para que façam uma carreira de sucesso conosco e participem ativamente da evolução da empresa”, afirma Ana Paula.

ROTINA Na Escola Americana de Belo Horizonte, oferecer programas de capacitação faz parte da rotina da instituição há 63 anos. A cada semestre, seus quase 60 professores passam por programas de reciclagem e aperfeiçoamento no Brasil e fora do país. “Nossa escola forma cidadãos do mundo em um ambiente internacional. Por isso, é importante que os docentes passem por atualizações constantes. Eles recebem treinamentos de diferentes instituições, como Harvard, Google, International Baccalaureate e College Board, mantendo a cultura de desenvolvimento profissional contínuo”, afirma Jason Baxley, coordenador do ensino fundamental fase 2 e ensino médio da escola.

Jason Baxley, da Escola Americana de Belo Horizonte, diz que o objetivo dos treinamentos é qualificar os colaboradores (foto: Arquivo Pessoal)
Jason Baxley, da Escola Americana de Belo Horizonte, diz que o objetivo dos treinamentos é qualificar os colaboradores (foto: Arquivo Pessoal)
Na instituição, 40% são professores estrangeiros e 60% brasileiros. “Para nós, é crucial ter uma equipe qualificada e em busca de excelência. Grande parte tem pós-graduação, mestrado e doutorado. O objetivo dos treinamentos é qualificar nossos colaboradores para serem pensadores criativos e críticos, solucionadores de problemas, capazes de aplicar seus conhecimentos e habilidades de forma assertiva”, esclarece Baxley.

RESULTADOS Para Alexandre Slivnik, diretor da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), o amadurecimento profissional é algo necessário. “O negócio dos negócios são as pessoas. Sendo assim, os gestores precisam investir no desenvolvimento de seus colaboradores, para que eles busquem melhores resultados para as organizações.”

Atuando com gestão de pessoas e com conhecimentos adquiridos em sua especialização em Harvard – Graduate School of Education, Alexandre Slivnik acredita que é preciso impulsionar a carreira e ter sucesso não só no ambiente de trabalho, mas também na vida. Afinal, o sucesso da carreira é consequência de uma vida com propósito. “Mas, infelizmente, por conta das muitas demandas do dia a dia, algumas questões que colaboram com o nosso crescimento são deixadas de lado. Mas com o aumento da competitividade dentro do mercado, os profissionais perceberam que a atualização e o envolvimento com suas áreas de atuação são práticas indispensáveis.”

Autor de best seller sobre desenvolvimento profissional, Slivnik afirma que o profissional desenvolvido estará melhor preparado para os desafios do mercado. “Além de melhorar a sua empregabilidade, aumenta a sua chance na busca de um eventual novo emprego. Só há crescimento quando existe a vontade de desenvolver-se de maneira contínua.”

As empresas estão constantemente em busca de quem tem habilidades para resolver problemas e, quanto maior o desafio, melhor remunerado e reconhecido esse colaborador será. “Vale ressaltar que certas competências não são características inerentes, ou seja, elas devem ser desenvolvidas a partir de atividades que visam esse resultado, ainda que algumas pessoas tenham mais facilidade ou dificuldade do que outras.”
 
Para Alexandre Slivnik, que atua com gestão de pessoas, só há crescimento, quando existe a vontade de desenvolver-se (foto: Denise Domingues/Divulgação)
Para Alexandre Slivnik, que atua com gestão de pessoas, só há crescimento, quando existe a vontade de desenvolver-se (foto: Denise Domingues/Divulgação)
 

Saber trabalhar em equipe, inovar, querer correr riscos e sair da zona de conforto são atributos essenciais para os profissionais evoluírem em suas carreiras. “E é mito dizer que uma característica, como a criatividade, não pode ser desenvolvida com a prática. É preciso estimular a inovação e a tomada de decisões com riscos, pois, somente assim, os colaboradores estarão mais propensos a pensar diferente e de forma criativa na busca de resultados”, finaliza Alexandre Slivnik.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade