Publicidade

Estado de Minas Enem

Como melhorar os estudos no "novo normal"?

A otimização dos estudos durante o período de ensino remoto


25/05/2021 14:17 - atualizado 25/05/2021 15:18

Com o advento da pandemia e suas consequentes necessidades de reclusão social, muitas instituições de ensino reconheceram a necessidade de readaptar suas redes de aprendizagem para otimizar o tempo de estudo enquanto perdurar a situação de Emergência em Saúde Pública pela COVID-19. Nesse novo cenário, em que meios de tecnologia da informação passaram a ser empregados como alternativa para a realização
de atividades acadêmicas não presenciais. Nesse sentido, as tradicionais salas de aulas foram substituídas por um modelo de ensino remoto desafiador, sustentado por ambientes virtuais de aprendizado (AVA), que utilizam principalmente as videoconferências e atividades on-line como recursos pedagógicos de ensino. Nesse processo de adaptação ao “novo normal”, diversos desafios são enfrentados pelos alunos para alcançarem a produtividade esperada nos estudos, tanto na área básica, como as escolas e os pré-vestibulares, quanto no ensino superior, como na graduação.
 
De acordo com a “Pesquisa Juventudes e a Pandemia do Coronavírus’’, realizada com 33.688 jovens, 80% dos entrevistados afirmam que os aspectos emocionais (como medo, ansiedade e estresse) têm atrapalhado seus rendimentos acadêmicos. Já 82% dos pesquisados declaram que possuem dificuldades de se organizar em um ensino à distância e outros 49% dos alunos alegam que não possuem tempo suficiente para estudar. Nesse âmbito, em que se pode observar o impacto negativo dos processos emocionais no rendimento acadêmico, compreende-se que a inserção do ensino remoto e de novas tecnologias pressupõe enfrentar o desafio de desenvolver novas competências para as quais nem todos os discentes e docentes estão preparados.
(foto: Freepik)
(foto: Freepik)
Na perspectiva de atenuar as dificuldades desse novo modelo de ensino emergencial, vê-se a fundamental relevância de estabelecer um bom PLANEJAMENTO DE ESTUDOS para melhorar a produtividade individual de cada aluno. Para realizá-lo é necessário ter metas e objetivos organizados de maneira que sejam cumpridos. Por mais óbvio que aparenta ser o conceito desses termos, a meta e o objetivo ainda não são
muito elucidados para a maioria das pessoas (2). Pode-se destrinchar esses termos nos quatro seguintes passos:
 
1. "Estabelecer um objetivo"

Para se definir um objetivo de vida, seja ela no campo dos estudos ou não, deve-se pensar em uma realidade futura a ser atingida.

Exemplo: terminar os simulados nos dias de semana para que no sábado e domingo fique eu mais livre.

Os objetivos por si só devem refletir fielmente os seus desejos e suas necessidades. Porém, para serem factíveis, a formulação desses objetivos deve apresentar as cinco seguintes características, devendo ser:
 

  • Claros, de forma que não gerem dúvidas a respeito de qual caminho ser seguido;
  • Desafiadores, como maneira de incentivá-lo a continuar esse processo;
  • Possíveis de serem atingidos. Os objetivos, por mais que sejam difíceis, devem ser realistas. A tentativa de realizar um objetivo intangível apenas servirá para que haja perda de esforço e de desmotivação. Pense algo que está dentro do seu alcance. 
  • Éticos: suas conquistas não devem ferir os seus conceitos pessoais. Cuidado com a autossabotagem!
  • Flexíveis. Ao estabelecermos um objetivo para nossas vidas não estamos entrando em uma camisa de força, de onde é impossível sair! Conforme as adversidades forem aparecendo, adapte-o, lembrando sempre dos motivos pelo qual o levou a começar.

2."Traçar uma meta"

Pode-se definir o conceito de meta como um o ponto intermediário a ser atingido no caminho do seu objetivo final. Em outras palavras, a meta é o estabelecimento de etapas ao longo do processo da obtenção de determinado fim. Na busca do seu objetivo, você pode estabelecer várias metas intermediárias. É importante ressaltar, no entanto, que quanto mais distante for o seu objetivo, mais importante será estabelecer metas intermediárias em todo o processo.

Exemplo: como meta para conseguir ficar mais livre no meu final de semana, irei focar no meu conteúdo de estudo e subdividi-lo nos dias da semana.

3. "Definir prazos, a partir das suas metas e objetivos traçados"

Agora que você já traçou as suas metas e objetivos, é importante quantificá-los e datá-los, determinando um prazo para que eles sejam atingidos.

Organize seus horários semanalmente, colocando atividades e tarefas para horários específicos (ou períodos específicos, como manhã, tarde ou noite). Lembre-se de estabelecer inicialmente quais são as suas prioridades e, ao terminá-las, marque-as como cumpridas.

Para estabelecer suas prioridades, uma boa maneira é listar os conteúdos a serem estudados e ordená-los por ordem de importância e/ou ordem de entrega avaliativa. Ainda que você tenha muita matéria pendente (ou um curto espaço de tempo para estudar determinada disciplina), com esse tipo de organização, seu estudo passa a ficar mais acessível. Após essa listagem, procure entender qual sua real motivação nos estudos, uma boa maneira é perguntando-se "Por que estou estudando isso?", ou então, "O que posso alcançar com esses estudos?". Além disso, compreenda bem quais são os primeiros passos que podem ser tomados rumo ao seu objetivo.

Uma boa tática, é criar um quadro de organização de suas ideias pelos seguintes elementos: motivação, ação, prioridade e plano de ação. Veja um exemplo abaixo:
Quadro de Organização por Lara Vervloet(foto: Projeto Cais)
Quadro de Organização por Lara Vervloet (foto: Projeto Cais)
4. Pronto. Agora é colocar em prática

Caso você observe que não conseguiu concluir uma tarefa dentro do prazo estimado, não se desespere! O estudo deve ser flexível. Portanto, não há problemas em fazer ajustes para tarefas semelhantes na próxima semana. Para isso, é importante que, dentro do seu planejamento, você tenha alguns momentos livres para eventuais reposições.

O foco é um fator fundamental para que tudo isso flua bem. Portanto, escolha um ambiente agradável para estudar, que seja - de preferência- iluminado, arejado, sem barulhos ou ruídos e com poucos distratores. Uma boa dica é deixar em cima da mesa apenas objetos de estudo que serão utilizados nessa prática. Se possível, deixe os aparelhos eletrônicos desligados (ou em modo avião) e avise aos outros membros de sua
casa que você iniciará uma sessão de estudo e que, portanto, não gostaria de ser interrompido.

Técnicas de estudo

Na hora de estudar, muitas técnicas podem ser abordadas. Não existe regra de qual é melhor ou qual é mais eficiente, cada uma delas se comporta de uma maneira pra cada pessoa. O importante, nesses casos, é conhecê-las e experimentá-las, testando-as para ratificar qual será mais útil em cada ocasião. Em algumas circunstâncias, pode ocorrer de uma técnica ser mais bem aproveitada de acordo com o conteúdo a ser estudado, com o tempo disponível e/ou com o objetivo do estudo. Existem diversas variáveis! Mas então, quais são as opções que posso intercalar? Veja abaixo algumas sugestões:

  • DESTAQUE DE PALAVRAS CHAVES
  • ESQUEMAS
  • RESUMO
  • MAPA MENTAL
  • MAPA CONCEITUAL
  • RESOLUÇÃO DE QUESTÕES
  • EXPLICAÇÃO DO CONTEÚDO
  • ESTUDO INTERCALADO (1)

Ah! Uma lembrança...

Não se esqueça que tão importante como criar uma rotina de estudo e buscar praticá-la com constância e técnica, é ter um momento destinado para o seu lazer, sono, atividades físicas e integração sociofamiliar. De acordo com o Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine, um periódico da Associação Médica Americana, há uma importante relação positiva e significativa entre a atividade física e a performance
acadêmica. O estudo sugere que ser mais ativo fisicamente leva a uma melhora do desempenho acadêmico.

Após ter se planejado e executado o seu plano de ação, reflita sobre a sua produtividade e pergunte-se: "Ela tem surtido efeitos positivos em seus estudos?". Caso a resposta seja negativa, procure questionar-se"quais fatores ainda faltam ser aprimorados?".

Caso você seja aquele leitor curioso e tenha mais interesse sobre temas como o aumento da produtividade, sugerimos a leitura do livro intitulado O Poder do Hábito, de Charles Duhigg. Esse livro aborda, de uma maneira simples e descomplicada, a maneira como os hábitos são formados e moldados, sendo - portanto - uma ferramenta excelente para auxiliar na manutenção de uma rotina funcional. Essa obra pode ser encontrada tanto em meio físico, como livrarias, como em formato e-book, disponível nas redes sociais.

Artigo da Lara Vervloet do Projeto Cais e Percurso Educacional

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade