Publicidade

Estado de Minas Det na Estrada

Engenharia Aeroespacial: uma profissão para conhecer o mundo

Conheça a trajetória da Fernanda Oliveira em busca do seu sonho


28/09/2020 09:40 - atualizado 28/09/2020 09:50

Sou Fernanda, sou ex-aluna do Pré-vestibular Determinante, e hoje estudo Engenharia Aeroespacial na UFMG. Vim trazer um pouco da minha jornada acadêmica alguns anos após a minha passagem pelo cursinho. 

Eu estudei por 11 anos e me formei no Colégio Santo Antônio, na região da Savassi, em Belo Horizonte. No fim do meu ensino médio, eu já sabia o que gostaria de cursar: Engenharia Aeroespacial! Mas de onde veio esta ideia de escolher um curso tão diferente? Bom, sempre gostei muito da área de exatas e sempre tive muita facilidade com matemática e física, mas não era só isso. Uma das coisas que eu mais gosto de fazer é viajar, e eu sempre ficava encantada com os aviões no aeroporto. Queria saber como eles voavam, porque para mim, colocar toneladas no ar não devia uma tarefa fácil. E foi esta vontade de conhecer mais a aviação que fez com que eu escolhesse fazer o vestibular para engenharia Aeroespacial
Fernanda Oliveira no curso de Engenharia Aeroespacial na UFMG e praticando esportes.(foto: Arquivo Pessoal)
Fernanda Oliveira no curso de Engenharia Aeroespacial na UFMG e praticando esportes. (foto: Arquivo Pessoal)

Por isso, em 2016, resolvi me matricular no pré-vestibular Determinante, com o objetivo de fazer o meu sonho acontecer. E o DET me ajudou a chegar lá muito rápido! Em março de 2017 eu estava indo para o meu primeiro dia de aula na Engenharia Aeroespacial da UFMG.

Hoje estou no 7º período do curso, e tem sido uma jornada desafiadora, mas incrível. É um curso difícil, mas nada impossível. As aulas são na parte da manhã e da tarde e ter uma rotina bem organizada é fundamental para aproveitar o tempo na faculdade. Consigo estudar para as matérias mais complicadas e ainda fazer várias atividades extracurriculares, como aula de canto e esportes. E ainda sobra tempo para ir às festas universitárias, as famosas calouradas! 

Os cinco primeiros períodos do curso é o que chamamos de ciclo básico da engenharia. Muitas matérias de cálculo, de física, mas poucas relacionadas a parte de aeroespacial. Por isso, para pessoas que não tem certeza se escolheram o curso certo, existem iniciativas ligadas ao curso. A AVANT é uma equipe de pesquisa e desenvolvimento de aeronaves autônomas, temos a Fênix, que é uma equipe de foguetes e estudos astronáuticos, a Czar, de cubesats. Na equipe de aerodesign Uai Sô, fly, os alunos aprendem a construir um aeromodelo para competições nacionais e internacionais. Eu participei do grêmio estudantil, que me possibilitou conhecer mais os meus colegas de curso, e da AEROJR, que com certeza foi a iniciativa que mais impactou a minha trajetória. 
AEROJR - Empresa júnior de engenharia aeronáutica no Inova MG.(foto: Arquivo Pessoal)
AEROJR - Empresa júnior de engenharia aeronáutica no Inova MG. (foto: Arquivo Pessoal)

A AEROJR é uma empresa júnior composta por alunos da Engenharia Aeroespacial. O objetivo principal dela é promover a vivência empresarial dos alunos do curso, impactando diretamente em sua formação profissional, pessoal e empreendedora. Ela é uma empresa do setor aeroespacial como qualquer outra, e desenvolve consultorias e projetos de excelência. Eu fiquei cerca de dois anos na iniciativa e fui diretora Vice-Presidente. Me desenvolvi como líder, aprendi a trabalhar em equipe e a motivar uma equipe em busca de um propósito, que é o de transformar a realidade dos nossos clientes. Aprendi também a importância do desenvolvimento da estratégia dentro de uma organização, da dinâmica de vendas, de gestão interna e de qualidade de projetos. O meu projeto preferido da AEROJR com certeza é o Gravidade! É um curso de Astronomia e Astronáutica que os membros da empresa, em parceria com os professores da faculdade, desenvolveram para alunos de Ensino Médio e Ensino Fundamental. Levamos essa temática que não é muito trabalhada hoje pelos colégios e os alunos adoraram! Alguns já até receberam medalhas de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA).

Acredito que tudo que eu aprendi na AEROJR contribuiu muito para eu conseguir a minha posição de estagiária de processos na multinacional Wabtec Company. Mas a Wabtec é uma empresa que trabalha com locomotivas, e não com aviões! 
Uma das premiações recebidas nos projetos da AEROJR.(foto: Arquivo Pessoal)
Uma das premiações recebidas nos projetos da AEROJR. (foto: Arquivo Pessoal)

Ao longo da minha jornada no curso de engenharia, percebi que são várias as áreas que um engenheiro pode atuar, e é possível ter esta mobilidade dentro do mercado de trabalho. Quando eu entrei no curso, eu queria trabalhar com manutenção de aeronaves. Na AEROJR, eu passei a ter muita afinidade pela área de qualidade e de processos, e vou ter a oportunidade de trabalhar com isso e com reparos de locomotivas na wabtec. 

O meu conselho para quem está entrando na engenharia é aproveitar todas as oportunidades que a universidade te dá. Entre nas iniciativas, nos esportes, vá em festas, não deixe de fazer atividades extracurriculares. O curso pode parecer difícil e desafiador, mas uma boa gestão de tempo te possibilita aproveitar 100%.

Fernanda Cristina de Oliveira Carvalho
Instagram : @fernandacdoc
@aerojr – da iniciativa
@gravidadeaerojr – do curso de astronomia e astronáutica

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade